sábado, 21 de abril de 2012

Men At Work



O Men at Work foi uma banda de rock australiana formada na cidade de Melbourne, em 1979. A banda teve o auge de sua popularidade no início da década de 1980 com influências do reggae.

O Men at Work é mais conhecido pelo seu sucesso de 1982, "Down Under", uma canção alegre e cômica sobre australianos viajando pelo mundo confiantes das virtudes de seu país e sobre a imposição da cultura norte-americana e européia às belezas naturais de seu país.

Down Under

A canção foi um sucesso de vendas em vários países, incluindo o Reino Unido, onde alcançou o primeiro lugar nas paradas, sendo a única canção deles a entrar nos "Top 20" daquele país. Ela tornou-se um hino extra-oficial para a Austrália para vários movimentos underground ou musicais de seu país.

Seu primeiro álbum, Business as Usual (1981) marcou um recorde de maior tempo para um álbum de estreia como primeiro nas paradas dos Estados Unidos. Além de "Down Under", os hits "Who Can It Be Now?" e "Be Good Johnny" tornaram-se videoclipes de sucesso durante os primeiros anos da MTV americana. "Who Can It Be Now?" e "Down Under" atingiram o primeiro lugar nas paradas americanas. Sendo um dos álbuns mais famosos do início da década de 1980. Business As Usual teve seis milhões de cópias vendidas nos Estados Unidos, e estimam-se mais de quinze milhões vendidas mundo afora.

"Who Can It Be Now?"

Be Good Johnny

Business As Usual

A banda ganhou o Grammy Award de melhor artista iniciante no ano de 1983.


O segundo álbum da banda, Cargo (1983), alcançou menos sucesso que o primeiro, atingindo apenas a terceira posição e três milhões de cópias vendidas nos Estados Unidos. Três singles foram lançados, "Overkill" (3° nos Estados Unidos), "It's A Mistake" (6° nos Estados Unidos), e "Dr. Heckyll And Mr. Jive" (28° nos Estados Unidos).

Overkill

It's A Mistake

Dr. Heckyll And Mr. Jive

No ano seguinte a banda demitiu o baixista John Rees e o baterista Jerry Speiser. Quando seu terceiro álbum Two Hearts foi lançado em 1985 com quase nenhum sucesso (apenas 500 mil cópias vendidas nos Estados Unidos) o guitarrista Ron Strykert também deixou a banda, e logo em seguida o tecladista e saxofonista Greg Ham também seguiu o mesmo caminho.

O único remanescente da banda original, o vocalista Colin Hay, continuou a fazer apresentações com músicos contratados até o final de 1985 quando o Men at Work finalmente se dissolveu. Two Hearts só conseguiu uma canção de sucesso mediano, "Everything I Need", que não chegou nem mesmo aos 40 primeiros nas paradas norte-americanas.

Everything I Need

Em 1996 os membros originais Colin Hay e Greg Ham se reagruparam e fizeram turnê mundial também com músicos contratados.


Em 1996 produziram um álbum ao vivo, Brasil, gravado ao vivo em sua turnê brasileira; repetindo a dose em outras visitas.




Em 2000 a banda tocou no fechamento dos Jogos Olímpicos de Sydney naquela cidade, cantando em coro com o público a canção "Down Under".

Down Under

Em 19 de abril de 2012, Greg Ham foi encontrado morto em uma casa no subúrbio de Melbourne por um grupo de amigos.


O sargento da Polícia australiana Shane O'Connell indicou à imprensa que a causa da morte está sendo investigada e que, por enquanto, há alguns "aspectos inexplicáveis". "Neste momento não estamos preparados para entrar em detalhes precisos do que aconteceu", acrescentou O'Neill, segundo a rede de televisão ABC.


Ham, que tinha 58 anos, se juntou à banda em 1979, em substituição a Greg Sneddon, e tocava flauta, saxofone e teclado. O grupo alcançou reconhecimento nacional em 1981, com a canção "Who can it be now?", e ganhou fama internacional no ano seguinte, com o álbum "Business as usual", que liderou as paradas de Austrália, Estados Unidos e Reino Unido. A banda se envolveu em uma polêmica em 2010 envolvendo os direitos autorais do hit "Down under". Na ocasião, Ham chegou a dizer que temia pelo seu futuro financeiro.


Of Monsters And Men at Work - Little Talks / Down Under
(Mash-up Mondays @ Jimmy Kimmel Live)

FONTE

https://pt.wikipedia.org/wiki/Men_at_Work

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2012/04/musico-da-banda-men-work-e-encontrado-morto-na-australia_1.html

sexta-feira, 13 de abril de 2012

SESC Partituras


Não sei porque mas o Mato Grosso do Sul ficou de fora...

O Serviço Social do Comércio – SESC, lança no próximo sábado, 14 de abril, um portal voltado à difusão da música brasileira e à formação de novos músicos e grupos de câmara. O SESC Partituras será lançado simultaneamente em todo país nessa data.

Para marcar o lançamento do site, no dia 14 de abril, serão realizados concertos simultâneos em 23 estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Brasília, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná., Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins. Grupos de câmara, corais, solistas e orquestras regionais participarão das apresentações, com repertórios compostos por obras do acervo do SESC Partituras.


O site SESC Partituras contará com um sistema de catalogação e busca eficiente, que permitirá a perfeita visualização e a audição das obras de seu acervo. A consulta será feita por meio de uma ferramenta de busca, com pesquisa pelo título da obra, nome do autor, formação do grupo ou instrumentos. O objetivo é oferecer suporte a músicos, estudantes de música e pesquisadores.

Todo o acervo estará disponível na íntegra para impressão. Entre as composições disponíveis, destacam-se peças raras (até então mantidas em manuscritos originais) de compositores consagrados como Francisco Mignone, Guerra-Peixe e Glauco Velásquez; obras de relevância histórico-patrimonial como as do Padre José Mauricio Nunes Garcia (1767-1830); músicas de compositores representativos de diversas regiões do país como Maurício de Oliveira (ES), Tó Teixeira (PA), Adelmo Arco Verde (PE), Fernando Cerqueira (BA) e João Rodrigues de Jesus (SE); além de obras de compositores contemporâneos de destaque no cenário nacional como Alexandre Schubert, José Orlando e Elieri Moura.

Com esta iniciativa, o SESC traz relevante contribuição para o desenvolvimento da cultura musical no país, apoiando a preservação e difusão do patrimônio musical brasileiro, fomentando a produção e divulgação de artistas brasileiros e promovendo o acesso à música em seus diversos gêneros e estilos.

Histórico

Iniciado em 2007, o então Banco Digital SESC de Partituras possuía um programa de editoração de partituras e um acervo de obras digitalizadas, com pontos de acesso em 17 unidades do SESC, sendo um importante subsídio para pesquisa de estudantes e músicos locais. Em 2010, iniciou-se o processo de reestruturação do projeto, visando a ampliação de seu alcance por meio da criação de um portal, que envolveu equipes de especialistas em editoração, catalogação, direitos autorais, ferramenta de busca na internet.

A programação completa dos concertos de lançamento do site SESC Partituras está disponível em www.sesc.com.br/sescpartituras

O projeto, lançado nacionalmente com um concerto simultâneo em vinte e três estados do país, vai ter Sobral como cidade sede, no Ceará. O lançamento, no Teatro São João, terá participação das orquestras Pão de Açúcar de Fortaleza, Orquestra de Câmara da Escola de Música de Sobral e a participação de professores solistas do curso de Música da UFC de Sobral. No concerto, os artistas executarão as obras que fazem parte deste acervo.

Em Palmas, o evento acontece no Teatro SESC de Palmas, às 20h, e contará com a participação do grupo Palmas Música que apresentará composições que estão disponíveis no site. O site contém as obras do acervo do projeto SESC Partituras e funcionará como uma biblioteca virtual de música, que permitirá aos usuários o acesso a composições brasileiras de todas as épocas.

O SESC Partituras é um projeto desenvolvido em âmbito nacional sem fins lucrativos que visa preservar, difundir e democratizar o acesso ao patrimônio musical nacional por meio da criação de uma biblioteca virtual de obras de compositores brasileiros transcritas digitalmente por meio da utilização de sofisticados programas de editoração.

Para a promotora cultural em música do SESC/TO, Veridiana Barreto, a importância desse projeto está na democratização do acesso. “O portal possui um sistema de busca simples e eficiente que facilitará a pesquisa de composições raras, obras de relevância histórico-patrimonial e músicas contemporâneas de destaque no cenário musical. E o melhor é que todas as obras estarão disponíveis na integra para impressão”, ressaltou.

Ainda segundo a promotora, artistas tocantinenses estão presentes nesse acervo. “Existem três obras de Othonio Benvenuto, artista conhecido da cidade de Gurupi e também uma obra de Leonardo Perotto, nascido no Rio Grande do Sul, mas radicado em Palmas, que fazem parte do acervo”, afirmou Veridiana. Todas essas composições serão apresentadas na cerimônia de lançamento.

Repertório da Apresentação

1. Duas Miniaturas, de Alexandre Schubert (violão solo)

2. Noite Escura, de Alexandre Schubert (voz e violão)

3. Tema, de Alexandre Schubert (clarinete e piano)

4. Intercâmbios, de J. Orlando Alves (flauta, clarinete e piano)

5. Duas Invenções Breves, de Othonio Benvenuto (flauta e clarinete)

6. Duas Canções, de Othonio Benvenuto (voz e piano)

7. Sonata, de Othonio Benvenuto (flauta e piano)

8. Super 8, de Leonardo Luigi Perotto (flauta, clarinete, violão e piano)

9. Flor Amorosa, de Joaquim Antônio Callado (voz, flauta, clarinete, violão e piano)

Sobre o Grupo

O Palmas Música entende a música de concerto como principal forma de expressão artística. O grupo desenvolve iniciativas de formação de plateia e projetos artísticos a partir de obras escritas especificamente para o grupo. Atualmente prepara sua turnê pelo programa SESC Amazônia das Artes, que percorrerá dez capitais do país, entre maio e setembro de 2012.

Em Piauí, um concerto com apresentação de Erisvaldo Borges e da Orquestra Sinfônica de Teresina marca o lançamento do site “SESC Partituras”, no dia 14 de abril, às 19h no Palácio da música. Na primeira parte do concerto, Erisvaldo Borges, apresentará composições próprias e dos compositores Alexandre Schubert e Kelson Coutinho. Em seguida, a Orquestra Sinfônica de Teresina, sob a regência da Aurélio Melo, apresenta o concerto Orquestra de Cordas com Suíte nº 1, de Glauco Velasquez, Balandê de Cordas e Sarau na Roça, de Aurélio Melo.

O repertório apresentado nos concertos consta do acervo SESC Partituras – um projeto sem fins lucrativos que objetiva preservar, difundir e democratizar o acesso ao patrimônio musical brasileira. A proposta é disponibilizar a todos os interessados um sistema de catalogação e busca coerente com as reais necessidades dos músicos e pesquisadores.

FONTE

SURGIU

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Ellen de Lima


Helenice Teresinha de Lima Pereira de Almeida, a Ellen de Lima (Salvador, 24 de março de 1938) é uma cantora e atriz brasileira que fez sucesso durante o período dourado do rádio, na década de 1950. Tornou-se conhecida do público por ser a intérprete da célebre "Canção das Misses", escrita por Lourival Faissal, para servir de tema do tradicional concurso de Miss Brasil.


Ellen nasceu na Bahia, mas já aos dois anos seguiu para o Rio de Janeiro. Começou sua carreira em 1950 no programa de calouros de César de Alencar, na Rádio Nacional, bem como no "Alvorada dos Novos", da Mayrink Veiga, pela qual foi contratada em 1954 para apresentar-se no Rio e em São Paulo.


Foi uma das primeiras contratadas da Columbia (depois CBS e atual Sony-BMG), no Brasil, lançando nesse mesmo ano o seu primeiro disco, a convite do maestro Renato de Oliveira, com o samba-canção "Até Você" (Armando Nunes) e o slow-fox "Melancolia" (Allain Romans, versão de Capitão Furtado).

Em 1957, fez sucesso com o bolero "Vício" (Fernando César), gravando seu primeiro LP, "Ellen".


Foi na década de 1960 que Ellen de Lima conquistou o público brasileiro com a "Canção das Misses", tema do concurso de Miss Brasil, à época promovido pelos Diários Associados.

Atuou bastante em televisão (trabalhou como atriz-cantora na TV Globo, ao lado de Fernanda Montenegro e Sérgio Britto) e em diversas boates, como a Oásis paulistana e O Galo, no Rio de Janeiro, além de participar de espetáculos no Copacabana Palace, ao lado de Haroldo Costa e das Irmãs Marinho.




A partir de 1988 passou a integrar o grupo As Eternas Cantoras do Rádio, ao lado de Carmélia Alves, Violeta Cavalcante, entre outras, com o qual gravou três CDs. No volume 3, gravou "Estrela" (Gilberto Gil), em duo com seu autor, e "Bésame" (Flávio Venturini e Murilo Antunes).


Ellen já ganhou títulos importantes, como o de Rainha dos Músicos e a medalha Oswaldo Cruz.


'Nós não somos saudosistas. Somos pessoas de bom gosto', diz a cantora, lembrada por cantar sucessos do passado. (AQUI)

FONTE

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ellen_de_Lima

domingo, 8 de abril de 2012

Priscilla Alcântara


Fazer a pesquisa sobre a Priscilla mexeu com minhas emoções... ela me lembra a Danielly (10/06/1992 - 06/01/2005) minha filha ainda mais quando canta "Um Anjo Veio me Falar".

Priscilla Alcântara Silva Fonseca, (Itapecerica da Serra, 19 de junho de 1996) é uma apresentadora de televisão e cantora brasileira. Filha de músicos, Priscilla Alcântara sempre contou com o apoio e incentivo dos pais. Ela canta na igreja que congregava desde os dois anos de idade.

Estreou como apresentadora de TV no dia 1º de agosto de 2005 ao lado de Yudi Tamashiro e Ítala Matiuzzo no Bom Dia & Cia do SBT. Ela iniciou sua carreira artística no programa Código Fama do SBT. A apresentadora também já apresentou os programas Domingo Animado e Carrossel Animado também no SBT.


Em 2006, Priscila lançou, ao lado de Yudi Tamashiro, o CD Os Pequenos Rebeldes (que conteve regravações de músicas do grupo RBD, sendo parceria do SBT e da EMI). Ela também é evangélica, e gravou sozinha o seu 1º CD chamado O Inicio, lançado em 2008, e o seu 2º CD chamado Meu sonho de criança, lançado em 2010.



Apresentadora
2005-Atualmente: Bom Dia & Cia
2007-2008: Carrossel Animado
2007-2008: Domingo Animado
2011: Cantando no SBT
2011: Sábado Animado
2012: Dia No Parque

Discografia

Álbuns De Estúdio: Solo
2008: O Início
2010: Meu Sonho De Criança

Álbum De Estúdio: Com Yudi
2006: Os Pequenos Rebeldes

Singles
2009: Reina
2009: Meu Segredo
2010 Meu Sonho De Criança
2011 Rio De Águas Vivas

2012 Podemos Fingir

Turnê
2008-2009: Turnê d'O Início
2010: Turnê do Meu Sonho De Criança
2011 Turnê Priscilla Alcântara 2011



FONTE

http://pt.wikipedia.org/wiki/Priscilla_Alc%C3%A2ntara

Floriano Belham


Floriano da Costa Belham (Rio de Janeiro, 3 de fevereiro de 1913 — Rio de Janeiro, 20 de setembro de 1999) foi um cantor juvenil brasileiro muito popular nos anos 20 e 30, tendo sido a primeira "criança" no mundo a gravar um disco profissional, em 1929.

Ele comoveu o público com sua voz aguda e seu timbre infantil, que se mantiveram até seus 22 anos. Como até então era muito baixo – 1,40 m de altura – e magro, o rosto e a voz de garoto, passava por mais jovem. Seu sucesso abriu caminho para seguidores, como Dircinha Batista.

Outra particularidade em suas gravações foi as mudanças profundas de voz num cantor: soprano na infância e adolescência, tenorino aos vinte anos e logo barítono; em todos os estágios, manteve o timbre limpo e uma alta dose de inspiração.

Nasceu no bairro da Tijuca, filho de João Henrique, funcionário do Ministério da Fazenda, e Maria Luísa da Costa Belham. Seu avô paterno, o inglês William Belham, almirante da Marinha Britânica, lutou na Guerra do Paraguai. Durante o conflito, o oficial se casou com uma índia guarani e, após o fim da guerra, o casal se estabeleceu no Rio.

Floriano perdeu a mãe aos três anos de idade; a partir de então, ele passou a ser educado por sua tia paterna, a professora Leopoldina Belham, residente da ilha de Paquetá. Reporta-se que ele foi um menino teimoso e insubordinado. Foi durante sua infância que Belham se tornou fumante. O tabagismo foi a causa de sua degeneração física e, posteriormente, de sua morte.

Começou a cantar aos dez anos de idade, apresentando-se em festas e reuniões de sua escola, o colégio Dom Pedro II.

Em 1927, quando tinha quatorze anos, apresentou-se num espetáculo beneficente para crianças tuberculosas em Paquetá, no qual foi bastante aplaudido. Durante a apresentação, foi assistido pelo empresário teatral Armando Alvin, que o convidou a integrar sua companhia, o Centro Artístico Regional.

Floriano receberia o cachê de cinquenta mil réis, uma quantia bastante alta, até então reservada às grandes estrelas. A companhia, da qual fazia parte também artistas consagrados como o bandolinista João Martins e os cantores Augusto Calheiros, Ruth Franklin, Francisco Alves e Sílvio Caldas, era itinerante e se apresentava em duas sessões diárias em temporadas de quinze dias a um mês.

O menino Floriano Belham, como passou a ser anunciado, apresentava-se sempre acompanhado de Rogério Guimarães (então conhecido como O Rei do Violão), com quem continuou atuando mesmo depois do fim da companhia, no ano seguinte.

Em 1928, apresentou-se num show de Francisco Alves no Teatro Lírico. O cantor chamou Floriano repentinamente para bisar "A Voz do Violão", seu sucesso mais recente, enquanto ele o acompanharia ao violão ao lado de Guimarães, e o rapaz foi bastante aplaudido pela platéia.


Em 1930, foi convidado pela gravadora Victor, junto de Guimarães, para gravar seu primeiro disco, em que registrou as canções "Mamãezinha Está Dormindo" (André Filho) e "Canção do Ceguinho" (Cândido das Neves). Foi um grande sucesso, devido principalmente à primeira canção.


No ano seguinte, fez sucesso com o fox-canção "A Carícia de um Beijo" (Joubert de Carvalho e Olegário Mariano) e com a canção "Quando a Noite Desce" (André Filho e Roberto Borges), além do choro "Minha Cabocla", de sua própria autoria. Foi contratado pela Rádio Philips para o Programa Casé.


Voltou a gravar em 1935, já com voz adulta, lançando o primeiro sucesso nacional de Ataulfo Alves, o samba-canção "Saudades do Meu Barracão". Participou do coro que o acompanhou na gravação o então iniciante Orlando Silva.


Presente frequentemente no Café Nice, conhecido ponto de encontro de artistas, entrando em contato com os grandes astros da época, entre eles, Orestes Barbosa (cuja esposa, Regina Nunes da Costa, foi sua professora), Pixinguinha, Moreira da Silva, Ciro Monteiro, Araci de Almeida e Noel Rosa, de quem se tornou um grande amigo. Ainda naquele ano, gravou as valsas-canções "Vestido de Lágrimas" e "Soluços", de Orestes Barbosa e Sílvio Caldas, a quem sempre admirou.


Em 1936, gravou pela Odeon, de André Filho a canção "No Apartamento Risonho" e "Marisa", sendo este seu último sucesso.

Retirou-se da vida pública dois anos depois; tornou-se auditor fiscal da Fazenda Federal, passando a viajar pelo Brasil, caçando inadimplentes. No início da década de 1940, morando em Vitória, se casou e foi pai de três filhos. De volta ao Rio de Janeiro, formou-se em Direito em 1955.

Aposentado em 1961, se transferiu para Paris, França, e, depois, para Los Angeles, EUA, retornando ao Brasil apenas no início dos anos 70. Floriano, apesar de destituído da carreira artística, nunca deixou de cantar para os amigos e familiares.

Aposentando-se em 1961, decidiu transferir a família para Paris, para conhecer a Europa. De 1968 a 1973, mudou-se com a família para Los Angeles, para cuidar da educação dos filhos.

Ainda que exonerado da vida artística, nunca deixou de cantar para os amigos e nas reuniões familiares. Em 1976, chegou a gravar uma fita com canções clássicas. acompanhado pelo violonista João Pereira Filho. Mostrava a mesma voz lírica que exibia no fim de sua carreira. A nostalgia do auge artístico o levou a começar a escrever memórias.

Em 1993, aos oitenta anos, foi diagnosticado com enfisema pulmonar, o que o obrigou a largar o cigarro. Faleceu seis anos depois, no Hospital Santa Lúcia, no Rio de Janeiro, vítima de infecção pulmonar. Até então, acreditava-se que ele estava completamente esquecido como artista. Entretanto, a família Belham foi surpreendida com o comparecimento de um fã ao seu enterro, no cemitério do Caju.


Discografia

Mamãezinha Está Dormindo/Canção do Ceguinho (1930) Victor
Sinhá/Cinzas de Amor (1931) Victor
Maninha Torna a Voltar/Negra Sorte (1931) Victor
A Carícia de um Beijo/Quando a Noite Desce (1931) Victor
Minha Cabocla/Quando Ocê Passou na Estrada (1931) Victor
Morena Que Dorme na Rede/Saudades do Meu Barracão (1935) Victor
O Vestido das Lágrimas/Soluço (1935) Victor
No Apartamento Risonho/Marisa (1936) Odeon

Morena Que Dorme na Rede

No dia 15 de abril de 2006 a Cultura AM apresentou um especial sobre Floriano Belham - "A Voz Popular" apresentou um intérprete muito pouco conhecido, mas que em seu tempo foi um prodígio: Floriano Belham. O carioca nasceu em 1913, e viveu até 1999. Teve uma carreira curta na década de 1930, gravando apenas 8 discos em 78 rpm. Foi o primeiro cantor infantil do Brasil a gravar um disco comercial.

Cinzas de Amor

O programa apresentado por Luiz Antônio Giron contou com depoimentos de Eduardo Belham (filho de Floriano), José Ramos Tinhorão (crítico de música) e Humberto Franceschi (pesquisador e historiador). No repertório do programa, parte das 16 gravações registradas por Floriano Belham, entre elas "Negra sorte", "Saudades do meu barracão" e "Mamãezinha está dormindo".

Bando da Lua - Saudade do meu barracão (1937)

FONTE

http://pt.wikipedia.org/wiki/Floriano_Belham

http://radiobaseurgente.blogspot.com.br/2006/04/cultura-am-traz-especial-sobre.html

http://www.digestivocultural.com/ensaios/ensaio.asp?codigo=86&titulo=Belham:_nossa_maior_voz_infantil

http://www.museudocd.com.br/main.php?page=catalogo&action=search&ID_PROD=8884

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Helena Elis


Helena Elis é um dos mais novos talentos de nossa MPB. Nem por isso é recente no mundo da música: percorre essa estrada desde os seis anos de idade e acumula muito para contar. Sua produção registra mais de cem criações, entre músicas gospel e MPB. Além de excelente instrumentistaela destaca-se também pela magnífica voz, o que a torna uma profissional completa.



Um pouco de Helena Elis... aos seis anos de idade principiou a se interessar por instrumentos, inicialmente com o violão das irmãs mais velhas. Superou-as em pouco tempo e foi convidada a tocar no coral da igreja. Fez Teoria Musical por cinco anos, violão popular e canto por três anos, improvisação por dois anos, e conservatório musical.

Em 1997 decidiu-se pela MPB, que a fascinava, e cursou escola para educar sua voz. Estreou nesse mesmo ano no antigo Bardrugada, em São Paulo. Vendeu cocada de porta em porta para obter recursos para a produção de seu primeiro CD (ETC Brasil). Lançou ETC Brasil (2000), Lugares Proibidos (2002), As Mais Pedidas de Minha Noite (2005), Alma Feminina (2006).

Suas músicas, hoje, são ouvidas por mais de centena de rádios em todo o país e recebe apoio mais empolgado da rádio Nova Brasil FM de São Paulo, que opera em cadeia para Campinas, Brasília, Recife, Salvador e Rio de Janeiro. Seus shows não se limitam a São Paulo. Já se apresentou em várias cidades, particularmente em Fortaleza e São Luis, capitais onde suas músicas se tornaram parte da programação das rádios locais. Quando apresentando-se em Fortaleza, foi convidada por produtores portugueses a fazer uma turnê por Portugal. Enorme sucesso, sendo maravilhosamente bem recebida nas cidades em que esteve ao longo dos dois meses de sua turnê.

Em 2003 foi convidada e participou do Programa do Jô, na rede Globo, o que lhe ensejou convites para participar de apresentações na TV Diário (Verdes Mares), TV Jangadeiro - SBT e TV Cidade – Record.

Realizou diversos shows pelo Brasil ao longo de 2005 ao período atual, conquistanto públicos e críticos, atualmente trabalha na divulgação do CD "Tudo Tem Dois Lados".

Começou sua turnê Alma Feminina/Sedução abrindo o projeto Chuva de Estrelas do Centro Cultural São Paulo em 01/03/07.



Em Agosto se lançou na televisão também como apresentadora do programa Boteco na Net pela Just TV que vai ao ar todas as segundas-feiras às 19 h, levando sempre um artista conhecido da grande mídia e outros que ainda fazem a noite brasileira.

Neste mesmo ano levou ao palco do CCSP o Projeto As Novas Divas Brasileiras idealizado pela sua produção, dividindo o palco com a artista carioca Lanna Rodrigues, lançando assim seu 1° DVD ao vivo.

Pode-se destacar no ano de 2007 algumas entrevistas como as dos portais na Internet, Ritmo e Melodia, Portal do Leão Lobo, programa São Paulo Tudo de Bom, AM1370/FM100.5, programa Bandeirantes Acontece, BAND AM/FM, Programa Espaço Livre, rádio Jundiaí AM 730, entrevistas na rádio CCSP e aparições na TV Gazeta no Programa Ronnie Von.

Em 2008 cedeu algumas entrevistas na Rádio Tupi AM e aparições na TV aberta canal 72.

A inclusão de seu maior sucesso “Lugares proibidos” na coletânea Nova Brasil FM e Octávio Café pela EMI Music, juntamente com Ivan Lins, Daniela Mercury, Jorge Vercillo, Roberto Menescal, Fernanda Abreu e outros, também foi um marco em 2008.

Essa mesma canção fora regravada ganhando uma nova releitura pelo Grupo Doce Encontro (Samba) e hoje é executada em todas as rádios populares como Gazeta FM, Band FM, Tropical FM, Transcontinental entre outras, sempre em posições de destaque.

Apresentou músicas de seu 5° Cd totalmente autoral chamado Tudo Tem Dois Lados, lançado em 20/03/08 com sucesso de bilheteria no Centro cultural de São Paulo.

A turnê ganha continuidade em outras cidades fora de São Paulo como em Diadema no projeto Mulheres em Cena Helena Elis In Concert no Teatro Clara Nunes e percorrerá cidades como Rio de Janeiro, Salvador, Recife e Brasília.

Em junho levou sua turnê ao desejável palco do Teatro Alfa com rica repercussão.

Em Julho fez a gravação ao vivo de algumas canções escolhidas por seu público no palco do Lua Nova Arte & Bar, cuja participação de seus fãs foi impressionante, sendo uma delas na música “Casal” que a rádio Nova Brasil FM recentemente incluiu na programação após uma a execução de mais de dois anos e meio do grande sucesso “Lugares proibidos”.

Em Outubro, a nova versão dessa mesma canção, desta vez Remixada, abriu caminho para a inserção da música na programação de rádios com diferentes perfis, alcançando um novo público.

Para comemorar seus 10 anos de carreira, a artista acaba de incluir dentro do que se pode chamar de sexto álbum autoral ou Perfil Independente, Os Maiores Sucessos de Helena Elis, causando assim, uma expectativa ainda maior no coração dos fãs em relação ao seu CD que saiu em 2010, incluindo a música "Um inteiro", de sua autoria.


 
Você Sabia?

Segundo Helena Elis suas influências na infância foram as músicas de Luiz Gonzaga, músicas sertanejas tradicionais (Ronaldo Adriano), Jerry Adriani, Roberto Carlos – que meus pais escutavam e tocavam sempre. Além de música Gospel, como Ozéias de Paula e Álvaro Tito. Depois comecei a ouvir Verônica Sabino, Adriana Calcanhoto, Guilherme Arantes e Ney Mato Grosso.

Helena Ellis estudou Teoria Musical por 5 anos, violão popular e canto por 3 anos, improvisação por 2 anos e conservatório musical. O curso Universitário está “incompleto”, pois Helena começou o curso de Historia, mas parou para dedicar-se a música, que não tem horários definidos de trabalho. De musicas sacras e músicas para os candidatos da cidade, em 1985 (Jânio Quadros, Antônio Ermírio, Paulo Maluf, Ulisses Guimarães, etc) Helena Elis já cômpos um pouco de tudo. Nesse período tocava nas igrejas, em casa e em formaturas. Isso quando havia tempo entre uma profissão e outra que foi exercendo com o passar dos anos (vendedora de artigos de mesa e banho na feira junto a uma de minhas irmãs mais velhas, vendedora de amendoins junto ao pai na linha do trem de Vila São José e mais tarde de doces em geral, assistente de limpeza, professora de datilografia, professora de violão particular e numa entidade filantrópica em São Paulo, auxiliar odontológico e fabricante artesanal e vendedora da própria cocada).

Em 2004, após uma aparição no programa do Jô Soares, Helena Elis foi para Fortaleza/CE, aonde passou uma temporada. E recebeu o convite de uma família de portugueses, para passar dois meses apresentando-se em Portugal. Pediram-lhe para fazer um disco simples com músicas conhecidas de outros autores, incluindo a canção Meu mel, que eles gostavam demais. O CD seria vendido junto com o CD - Lugares Proibidos e o ETC... BRASIL. Pois ela era pouco conhecida no Brasil, menos ainda na Europa. O CD deveria ter, inclusive, musicas das novelas brasileiras das quais os portugueses eram telespectadores assíduos. O CD - AS MAIS PEDIDAS DE MINHA NOITE foi o terceiro (não autoral).



FONTE

SITE LETRAS

terça-feira, 3 de abril de 2012

Roberto Carlos: Orquestra Brasileira de Espetáculos

Durante quase uma década (entre 1967 e 1975), para cada novo LP que Roberto Carlos lançava, a Orquestra Brasileira de Espetáculos lançava o mesmo álbum, só que em versão instrumental, ou seja, a partir de 1967, cada vez que Roberto Carlos lançava disco novo, saía quase em seguida um LP da OBE com as mesmas 12 músicas, em versões instrumentais suaves, magníficas, com arranjos de grande orquestra.

Estes discos era lançados inclusive, pela mesma gravadora de Roberto, a CBS, e há até quem o diga que, pelo menos alguns dos playbacks desta Orquestra são os mesmos das gravações do Roberto, e que sua voz era apenas retirada e substituída por cordas e metais, mais um ou outro arranjo, já que nunca se soube ao certo quem eram os músicos que compunham a OBE.

Orquestra Brasileira de Espetáculos - 1967 -
Eu Te Darei O Céu e Outros Sucessos De Roberto Carlos
01. Eu Te Darei O Céu
02. Nossa Canção
03. Não Precisas Chorar
04. Eu Estou Apaixonado Por Você
05. Meu Grande Bem
06. Gosto Do Jeitinho Dela
07. Esqueça
08. Quero Que Vá Tudo Pro Inferno
09. Namoradinha De Um Amigo Meu
10. A Garota Do Baile
11. Aquele Beijo Que Te Dei
12. Ar De Moço Bom

Orquestra Brasileira de Espetáculos - 1968
É Tempo De Amar e Outros Sucessos De Roberto Carlos
01. De Que Vale Tudo Isso
02. E Por Isso Estou Aqui
03. É Tempo De Amar
04. A Volta
05. Escreva Uma Carta Meu Amor
06. Folhas De Outono
07. Como É Grande O Meu Amor Por Você
08. Por Isso Corro Demais
09. Meu Grito
10. Você Não Serve Para Mim
11. Só Vou Gostar De Quem Gosta De Mim
12. Você Deixou Alguém A Esperar

Orquestra Brasileira de Espetáculos  - 1968
Eu Te Amo, Te Amo, Te Amo e Outros Sucessos De Roberto Carlos
01. Quase Fui Lhe Procurar
02. As Canções Que Você Fez Pra Mim
03. Ninguem Vai Tirar Você De Mim
04. Quando
05. Eu Te Adoro Meu Amor
06. Tenho Um Amor Melhor Que O Seu
07. O Tempo Vai Apagar
08. E Não Vou Mais Deixar Você Tão Só
09. Você Me Pediu
10. Eu Te Amo, Te Amo, Te Amo
11. Nem Mesmo Você
12. Largo Tudo E Venho Te Buscar

Orquestra Brasileira de Espetáculos - 1969
Aceito O Seu Coração e Outros Sucessos De Roberto Carlos
01. As Flores Do Jardim De Nossa Casa
02. Aceito Seu Coração
03. Se Você Pensa
04. Eu Disse Adeus
05. Você Vai Ser O Meu Escândalo
06. Nada Tenho A Perder
07. Do Outro Lado Da Cidade
08. As Curvas Da Estrada De Santos
09. O Diamante Cor De Rosa
10. Oh! Meu Imenso Amor
11. Custe O Que Custar
12. Sentado À Beira Do Caminho

Orquestra Brasileira de Espetáculos - 1970
Ana e Outros Sucessos De Roberto Carlos

01. Ana
02. Uma Palavra Amiga
03. O Astronauta
04. A Palavra Adeus
05. Sua Estupidez
06. Milhões De Vezes
07. Vista A Roupa Meu Bem
08. Maior Que O Meu Amor
09. Minha Senhora
10. Quero Ter Você Perto De Mim
11. Preciso Lhe Encontrar
12. 120...150...200 Km Por Hora

Orquestra Brasileira de Espetáculos - 1971
A Namorada e Outros Sucessos De Roberto Carlos
01. Debaixo Dos Caracóis De Seus Cabelos
02. A Namorada
03. Eu Só Tenho Um Caminho
04. Você Não Sabe O Que Vai Perder
05. Detalhes
06. Como Dois E Dois
07. De Tanto Amor
08. Traumas
09. I Love You
10. Se Eu Partir
11. Amada, Amante

Orquestra Brasileira de Espetáculos - 1972
Você É Linda e Outros Sucessos De Roberto Carlos
01. A Distância
02. A Janela
03. Você Já Me Esqueceu
04. Quando As Crianças Saírem De Férias
05. Acalanto
06. Agora Eu Sei
07. Negra
08. Como Vai Você
09. Você É Linda
10. Por Amor
11. A Montanha
12. O Divã

Orquestra Brasileira de Espetáculos - 1973
A Cigana e Outros Sucessos De Roberto Carlos
01. O Homem
02. Atitudes
03. Amigos, Amigos
04. Palavras
05. O Show Já Terminou
06. Sonho Lindo
07. A Cigana
08. El Dia Que Me Quieras
09. Rotina
10. Não Adianta Nada

Orquestra Brasileira de Espetáculos - 1974
Despedida e Outros Sucessos De Roberto Carlos
01. Eu Quero Apenas
02. Jogo De Damas
03. Quero Ver Você De Perto
04. Eu Me Recordo
05. O Portão
06. Resumo
07. Despedida
08. Você
09. A Deusa Da Minha Rua
10. A Estação
11. É Preciso Saber Viver
12. Ternura Antiga

Orquestra Brasileira de Espetáculos - 1975
Além Do Horizonte e Outros Sucessos De Roberto Carlos
01. Além Do Horizonte
02. Inolvidable
03. El Humahuaqueño
04. Amanheceu
05. Desenhos De Parede
06. Olha
07. Quero Que Vá Tudo Pro Inferno
08. Elas Por Elas
09. Existe Algo Errado
10. Seu Corpo
11. O Quintal Do Vizinho
12. Mucuripe

Orquestra Brasileira de Espetáculos Os Grandes Sucessos
De Roberto Carlos
01. O show Já Terminou
02. Quando
03. Detalhes
04. Eu Disse Adeus
05. As Flores Do Jardim De Nossa Casa
06. Eu Te Amo, Te Amo, Te Amo
07. A Namorada
08. A Distância
09. A Montanha
10. Nossa Canção
11. As Canções Que Você Fez Pra Mim
12. Debaixo Dos Caracóis Dos Seus Cabelos
13. Traumas
14. Amada, Amante

FONTE

PARE & PENSE