quarta-feira, 29 de junho de 2011

Bruno Miguel


Bruno Miguel (1984) é um ator, dublador, cantor e compositor brasileiro. Filho do cantor Márcio Greyck, Bruno Miguel começou a atuar ainda criança em diversos trabalhos artísticos, destacando-se em mais de 100 comerciais.

Seu primeiro trabalho em novelas foi em Chiquititas, no SBT, em 1999, como "Gustavo".

Em 2002, na Rede Globo, atuou em As Filhas da Mãe, em uma participação especial. Depois fez pequenas participações em Malhação, Mulheres Apaixonadas, Sítio do Picapau Amarelo, A Diarista, Começar de Novo e América.

Em 2005, na Rede Bandeirantes, Bruno Miguel fez enorme sucesso em Floribella, remake da novela argentina Floricienta, como o músico "Leonardo", apelidado de "DiCaprio" pelas garotas.

Seu último trabalho em novelas foi em Caminhos do Coração, na Rede Record, em 2007, como o jovem mutante "Lupi", que podia se transformar em cachorro quando precisasse.

Bruno tambpem atuou como dublador, em clássicos desenhos como "O Rei Leão" fazendo a voz do pequeno SIMBA, em " TOY STORY ", fazendo o dono dos brinquedos ANDY, e em mais de 2000 filmes e desenhos, como Jonny Quest, Fievel, Ken ( Barbie ), DIdino, e o vagabundo.

Como cantor, esteve na trilha de Malhação, em 2003, com a música "Faz assim", tema do casal protagonista "Luiza" (Manuela do Monte) e "Victor" (Sérgio Marone).



Bruno Miguel esteve presente também na trilha de Floribella com "Vem dançar", um dueto com Juliana Silveira.



Sua última participação em trilhas sonoras foi em Vende-se um Véu de Noiva, em 2009, com o sucesso "Onde eu errei".



Bruno Miguel canta também o tema de abertura da animação da Disney Jake Long - O Dragão Ocidental. Conhecido por na maioria das vezes, dublar personagens interpretados por Chad Michael Murray.
Em 2009 lançou seu primeiro CD solo, intitulado "Meu Mundo", contando com 13 faixas.


Bruno Miguel foi indicado ao Grammy Latino nas categorias de cantor revelação, melhor álbum pop e melhor cantor do ano. Bruno é recordista de views no youtube, onde a soma de seus vídeos supera a marca de 3,5 milhões de visitas.

FONTE

WIKIPÉDIA

Ney Marques

O Bandolin Elétrico é um grupo instrumental formado por Ney Marques (bandolin), Zé Antonio (piano), Beto (violão), Luizão (percurssão) e Bosco Fonseca (baixo). O grupo existe há quase dez anos e mantem uma proposta interessante de mesclar elementos do jazz, do choro, do pop e da musica regional; tocando composições próprias e pérolas de Jacob do Bandolim, Pepeu Gomes, Sivuca, Pat Matheny, Beatles e Armandinho...


O bandolinista e violonista Ney Marques se prepara para o show de lançamento de seu segundo CD solo. Com composições próprias e interpretações de artistas como Jacób do Bandolim, Pixinguinha, Sivuca e Pat Metheny, o instrumentista faz uma viagem pelo choro, rock, jazz e frevo.

Além de suas interpretações personalistas, Ney Marques introduziu para esse trabalho uma guitarra baiana MIDI. A pedido do bandolinista, o luthier Ivan Freitas da Music Maker desenvolveu esse instrumento único, que produz uma variação enorme de trimbres, como a cítara, o banjo, o violino e todos os outros instrumentos de cordas.

Para o show, Ney Marques convidou para subir ao palco, músicos que o acompanham há mais 20 anos de carreira na música, com Zé Antonio (teclados e arranjos), Dadi (Bateria), Ítalo Peron (Violões e
guitarra) e Bosco Fonseca (Baixo Acústico). Além disso, Ney terá a participação especial da cantora e compositora Lucinah.

Bandolinista , guitarrista e violonista, Ney Marques é músico profissional há mais de 25 anos e começou a carreira trabalhando com Ney Matogrosso. Desde então, o instrumentista solidificou sua carreira como um dos melhores bandolinistas e violinistas no cenário musical, acompanhando músicos como Francis Hime , Peninha, Placa Luminosa, Leandro e Leonardo, Klebi Nori , Luli e Lucina e Ney Matogrosso.

O instrumentista trabalhou por 17 anos como diretor musical da dupla sertaneja Leandro e Leonardo. Em 2009, foi diretor musical da Fundação Bachiana, que tem como fundador e regente o maestro João Carlos Martins.

Nesse mesmo ano, com a Orquestra Filarmônica Bachiana dirigiu o encontro da orquestra com o jazzista Dave Brubeck no Lincoln Center, em Nova York, e com Cris Brubeck, em São Paulo.

No final de 2009, Ney Marques também trabalhou como diretor musical do primeiro encontro da música clássica com a música sertaneja, quando a dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó tocou com a Orquestra Bachiana Filarmônica, sob a regência de João Carlos Martins.



FONTE

CONEXÃO VIVO

Atilano Muradas


Atilano Muradas é um escritor, cantor, compositor, brasileiro de música gospel e também MPB. Conhecido no meio evangélico por defender a inclusão de ritmos musicais brasileiros nos cultos protestantes, Atilano Muradas foi, durante anos, integrante da escola de samba Jesus Bom à Beça, de Curitiba, sendo seu intérprete e compositor desde a fundação da escola, em 1997, até o ano de 2005, quando se mudou para os Estados Unidos.

CHEGA DE SAUDADE (Tom Jobim e Vinícius de Moraes)

Atilano Muradas atua tanto no meio gospel quanto no meio não-evangélico como músico profissional, e já gravou 7 CDs próprios (Minha Geração, Brasileiros, Carta aos levitas, Missões, O Brasil precisa de Deus, Canto Brasileiro e Trampolim) e publicou 3 livros ("Tocar violão é fácil", Editora Betânia; "Decolando nas asas do louvor", Editora Vida; e "A música dentro e fora da Igreja", Editora Vida). Com este último, ganhou o Prêmio Areté (antigo ABEC), em 2004.


Atualmente, Atilano Muradas reside em Houston, no Texas, EUA, onde é pastor-titular da Igreja Presbiteriana Brasileira de Houston, juntamente com sua esposa Isildinha Muradas, além de desenvolver carreira como jornalista, cantor e compositor, escritor e conferencista internacional.



Em maio/2011, Atilano Muradas, compositor e cantor brasileiro radicado no Texas, USA esteve realizando turnê pelo Brasil. No dia 09 de Maio, ele tocou no Espaço Cultural Alberico Rodrigues, na Praça Benedito Calixto - Pinheiros/SP, para o lançamento de seu album “Trampolim”.

FONTE

WIKIPÉDIA

site oficial

Sergio Carrer


Sergio Carrer é um cantor compositor e produtor musical brasileiro... Nascido em 20 de novembro de 1959, Sérgio é um Artista, produtor musical, maestro, arranjador, compositor, produtor de videos, e músico.

Durante duas décadas na indústria do entretenimento, Sergio Carrer, Feio, já vendeu mais de 20 milhões de cópias no mundo inteiro, 1 indicacao ao Grammy Award, 3 indicações para o prêmio Sharp, 1 indicação ao Troféu Imprensa. Ele é mais conhecido como o produtor, compositor, músico e arranjador musical de Sandy e Junior desde 1989, e como compositor, produtor e maestro da música "Vamos Construir" (Criança Esperança, da TV Globo).


Produziu, dirigiu e compôs (música e vídeo) de 2 hinos dos Jogos Paraolímpicos (Sidney 2000 e Atenas 2004), compos mais de 40 hits em sua carreira. Produziu muitos dos mais famosos artistas do Brasil e com Tony Brown, produziu Reba MacEntire com Chitãozinho e Xororó. Fez Produções para todas as principais gravadoras como, Universal Music, Sony Music, BMG, EMI Music, Warner, Abril Music, e outras. Quase duas décadas como escritor/compositor exclusivo da Universal Publishing. Uma historia incrível de sucesso e perseverança que começou bem cedo.

Em 1965, seu primeiro desempenho (Universidade Metodista, S. Paulo, Brasil). Naquele mesmo ano, já era considerado um artista multi instrumentista, atuando em escolas, teatros e Shows locais.

Em 1974, Sérgio e seus amigos Roberto Gomes e Naka, formaram o trio SN & B, os primeiros artistas Country do País e introdutores do estilo Country Music no Brasil.

Em 27 março de 1979, formou a Dupla Feio e Mau (Ugly & Bad), com seu amigo e parceiro Celso Lourenço. Seis meses mais tarde se apresentou em um Bar, “Branding Iron Night Club” em Zephyrhills, Florida, EUA, onde aprendeu a tocar banjo, mandolim e violino. Voltou ao Brasil e trouxe na bagagem conhecimento e equipamentos de alta tecnologia para os seus shows e se tornaram um dos nomes mais importantes e respeitados da historia da musica. Até hoje ele é um dos mais conceituados produtores e compositores do Brasil.

Sergio nasceu em Ipiranga, São Paulo, Brasil, na Clínica Infantil do Ipiranga, hoje em dia, Hospital Dom Antonio de Alvarenga, e vem de uma família tradicional italiana, até então, o filho caçula de Landri Carrer (Trio Guadalupe)que foi um artista famoso no anos 50/60 e Lourdes Pereira Carrer.

Quando ele tinha 3 anos de idade, seu avo italiano Luigi Carrer (Luis Carrer no Brasil), o ensinou a ler, escrever e também as suas primeiras notas musicais. Sérgio descobriu seu talento para a música vendo e ouvindo as apresentações de seu pai em TVs e rádios.

Em 20 de novembro de 1965, sua mãe lhe deu um violão, auto-didata, em poucos minutos já estava tocando duas canções e seis meses depois, na Universidade Metodista de São Paulo, fez sua primeira apresentação, no Dia das Mães, (Maio de 1966). Logo depois, escreveu sua primeira canção.

Entre 1967 e 1971 fez varias aparições em shows na Escola Professor Otílio de Oliveira, em São Bernardo do Campo, São Paulo e em muitos outros teatros. Aos 9 anos, teve aulas de Violão Clássico com o seu tio Mario Carrer, irmão de seu pai, na Escola de Violão Mario Carrer e escreveu sua primeira partitura clássica. Também aos nove anos, cantou (tenor), no coro da igreja adventista do sétimo dia.

Aos 17 anos jogou futebol semi-profissional (Aliança Futebol Clube, agora SC São Bernardo). Estudou Comércio Exterior e Publicidade e Propaganda na Universidade Metodista, no entanto, abandonou os estudos quando recebeu uma oferta para uma turnê como cantor e líder da dupla de Country Music Feio & Mau.

Em 1979, em sua primeira visita aos Estados Unidos, fez um curso de pára-quedismo em Zephyrhills Parachute Center, cidade Skydive, saltava de dia e de tocava country à noite em um Bar chamado Branding Iron em Zephyrhills, Fl. Depois disso, foi a Nova York, estudou música e arranjo, e fez uma modesta apresentacao no Central Park para um público de 300 pessoas. Após seu retorno ao Brasil, Sérgio continuou fazendo muitos shows e logo ele descobriu o dom para arranjar canções. Recebeu uma série de propostas para fazer arranjos para artistas como Chitãozinho e Xororó, Sandy e Junior. E assim sua carreira se desenvolveu e uma história estava pra ser escrita.

Em 1966, sua primeira aparição, tocando e cantando duas canções de Roberto Carlos no Dia das Mães, no anfiteatro da Universidade Metodista em Rudge Ramos, São Bernardo do Campo/SP. No mesmo ano, escreveu sua primeira canção.

Ele estudou composição e teoria e Violão Clássico com Mario Carrer, seu tio, na Escola de Violão Mario Carrer em 1969 e três meses depois, escreveu sua primeira peça clássica (recuperada e reeditada por Mario Carrer). Sergio tinha 10 anos, em seu primeiro concerto clássico. Fez várias audições e shows e em uma delas conheceu Celso Lourenço, um dos alunos de Mario Carrer.

Em 1973, no ginásio (Escola Estadual do Terceiro Grau, Terceirao) se reúne com Roberto G. Silva e rapidamente começaram a ensaiar e tocar juntos.

Em 1974, incluiram o amigo Naka para tocar bateria, e formaram a banda SN&B de Country Music e introduziram esse estilo no país. Fizeram várias apresentações em teatros e festivais, mas foi em 1978, no Teatro Cacilda Becker, em São Bernardo do Campo, seu primeiro grande show. Sergio convidou Celso Lourenço, que já se tornara profissional, para tocar baixo na banda e foi incrível. Era pra ter durado muito tempo, mas isso não aconteceu. Pouco depois a banda se desfez. Logo em seguida junto com Celso, formou a Dupla Feio e Mau.

Em 1983, gravou seu primeiro disco (Compacto simples), lançado pela gravadora Voo-Livre. Assim iniciou sua carreira de gravações como Artista e cantor da dupla e como músico de estúdio. Como músico, gravou para varios artistas, tocando violão, banjo, gaita, mandolim , guitarra e fazendo arranjos e cantando.

Sergio tornou-se diretor musical em 1986, acompanhando as gravações de Chitãozinho e Xororó, após arranjar e gravar a música "Pé na Estrada" (1987 Meu Disfarce, Álbum de Copacabana).


Em 1987, numa noite em São Paulo no Bar Clyde's conhece Maria Eleanor Saad, diretora da Rede Bandeirantes de Rádio e de Televisão, (Brazilian TV Broadcast), que o convidou para participar do programa número um da emissora,"Perdidos da Noite" apresentado por Fausto Silva. Após sua apresentação, se tornou um artista muito requisitado em todo o Brasil fazendo uma média de 25 shows por mês e mais de 350 por ano.

Em 1989 foi convidado por Xororó para ajudar a gravar e organizar a produção do primeiro álbum de Sandy e Junior (1991, Aniverssário do Tatu pela Polygram Records) o qual vendeu mais de 300,000 cópias.

Como compositor, seu primeiro grande sucesso aconteceu no ano seguinte com Sandy e Junior (1992 Sábado A Noite pela Polygram Records) que vendeu perto de meio milhão de cópias.

A música "Vamos Construir", também foi tema do Criança Esperança da TV Globo.

Sua última produção para Sandy e Junior, foi em 1999/2000, (Quatro Estações pela Universal Music).

Sérgio já possuia muitos sucessos e já havia vendido quase 15 milhões de cópias. Depois de mais de 18 anos, sua dupla, Feio e Mau termina e inicia um novo projeto. Focado na carreira, formou uma nova dupla, "Par Ou Impar" em 1995 com o amigo Alexandre Rangon. A preparação do disco levou dois anos e finalmente foram para Nashville TN para a gravação.

Sérgio teve que se desfazer de bens como seu apartamento, o seu estúdio, o seu carro, e ainda obter financiamento para realizar seu projeto. Depois que o trabalho terminou, ele voltou ao Brasil e no dia seguinte foi para o Rio de Janeiro para mostrar seu álbum a Mariozinho Rocha, diretor musical da TV Globo, que em 24 horas Mariozinho aprovou uma das canções (Vai e Vem) para a novela "O Amor Esta no Ar" de 1997, com o apoio de Mariozinho Rocha e Pierre Max, Diretor de AR da Universal Music, foi enviado para Sergio Afonso, presidente da Warner Music WEA e assinou seu primeiro contrato com uma grande Gravadora como artista.

Após a assinatura do contrato, em 1997, voltou aos Estados para a realização de dois vídeo-clipes, e um deles, o clipe "Alô" foi muito executado no Brasil pela CMT Country Music Television e a mesma música atinge o primeiro lugar no Brasil e muitos outros países . O álbum lançado foi considerado um triunfo artístico.

Sérgio começou a compor para todos os grandes nomes e já teve suas canções em temas de novelas, filmes e chegou a incrível marca de 49 canções que atingiram o primeiro lugar nas paradas. No mesmo período, Sergio trabalhou como arranjador, músico, produtor e compositor de alguns dos mais importantes artistas da época, incluindo Yasmin, KLB, Guilherme e Santiago, e Pedro e Thiago.

Foi convidado pelo Comitê Paraolímpico Brasileiro para escrever e produzir o Hino Paraolímpico Brasileiro para os jogos Paraolímpicos de Sidney 2000 "Campeão" (Campeão) e também produzir e dirigir o filme de promoção.

Quatro anos mais tarde, escreveu, produziu, interpretou e dirigiu o filme do novo hino Paraolímpico dos Jogos de Atenas 2004: "Herói Guerreiro".

Em 2007, Sergio colaborou com John Brooks e Ellis Paillet para o show de Yasmin, em Nova Orleans no Jazz Fest & Haritage.

Em 2011, ele publicará sua autobiografia, Q: The Autobiography of Sergio Carrer (Feio). Em 10 de julho de 2011, Em cada episódio, relatara as ações e ensinara todo o seu conhecimento e experiência no ramo da música, em composição, produção e direcao.

  • Trabalho com Sandy e Junior
Em 1989, foi o primeiro contato com Sandy e Junior. Sandy estava com seis anos, e Junior tinha cinco anos. Desse encontro surgiu a concepção de uma obra fonográfica criado por Xororó e Noely (pais). A pedido do Xororó, basicamente, o álbum seria feito por Sérgio, como uma gravação do músico e Co-Produção, que prontamente aceitou o desafio.

Outro músico, arranjador e maestro, Júlio Teixeira, foi chamado para participar com a programação e organizar músicas, eo resto seria gravado por Sergio (guitarra acústica, guitarra, banjo, bandolim, gaita, percussão, e harmonias).

O estúdio foi o M & M Studios em Campinas/SP, com o proprietário / engenheiro André Mais. O álbum "Aniverssário do Tatu" (Tatu `s aniversário) foi gravado em 1990 e lançado em outubro pela Polygram, na época, Pantano foi o presidente e Mayrton Bahia, diretor da AR.

A música "Maria Chiquinha" impulsionou as vendas e foi o começo do sucesso Duo e vendeu mais de 100.000 cópias, e Sergio recebeu seu primeiro disco de ouro.

  • Albums (Produzido, co-produzido, arranjado, gravado Músico, composto)
Ano Título

1991 Aniversário do Tatu
1992 Sábado uma Noite
1993 Tô Ligado Em Você
1994 Pra Dançar Com Você
1995 Você e D
1996 Dig Dig-Joy
1997 Sonho Azul 1998 Era UMa Vez (Ao Vivo)
1999 As Estações Quatro
2000 Todas As Estações - Remixes
  • Vida pessoal
Sergio, nascido em São Paulo, Brasil, em 1959, Filho de Landri e Lourdes, casado com Tathyane G. Carrer, tem dois filhos: Sonny e Wendy.

1965 estudou na Escola Metodista Pre
1967-1971 • Estudou na Professor Otílio de Oliveira Elementar School
1972-1975 • edifícios estudados no colégio técnico em EETG School (Médio)
1976-1978 • estudadas (Edificações) "Edifícios" na escola técnica em E. E. Lauro Gomes de Almeida (Alta)
• Em 1978 serviu no exército
• Em 1978 jogou futebol semi profissional (futebol)
1979-1982 • estudou Administração de Empresas pela Universidade Metodista
• 1979 pela primeira vez nos Estados
• 1979 fez um curso de pára-quedismo em Zephyrhill
• 2001 casou com E. Tathyane G. Carrer
• 2002 nasceu seu primeiro filho Sonny Carrer
• Em 2007, seu primogênito a filha Wendy Carrer

Sergio apareceu no rádio e diversos programas de televisão desde 1979, quando começou a moda do MusicBrazil País, introduzido por ele.

• Fantástico 1979 (GloboTV)
• Gincana 1980 Record • 1984
• 1988 Perdidos da Noite (TV Band)
• Musicamp 1988 (TV SBT)
• 1989 Domingão do Faustão (Globo)
• 1988/2010 TVs várias mostras em todo Broadcast no Brasil

  • A cultura americana

Sergio é um grande admirador da cultura americana. Ele viaja todo ano para os Estados Unidos desde 1979, em busca de aprender música. Desde 1974 tem vindo a desenvolver e divulgar a música country americana no Brasil. Fez estágios e produções para melhorar seus projetos artísticos e musicais. Escreveu várias canções com compositores americanos, e muitos deles foram temas de novelas no Brasil.

FONTE

Ricardo Feghali


Ricardo Feghali é violonista, segundo guitarrista e tecladista do grupo carioca Roupa Nova.

Ricardo começou a tocar órgão ainda pequeno, aos 9 anos de idade. A partir do final da década de 60, integrou a banda Los Panchos Villa, ao lado de Kiko e Paulinho, e também ao lado de sua irmã, Jandira.

Em 76, foi convidado a entrar para a banda Os Famks. Dois anos depois, gravou a música Rainy Day sob o nome de Richard Young, que entrou na trilha sonora da novela Locomotivas. Hoje é um exemplo de profissional dentro do mundo da música, produzindo diversos álbuns de vários artistas de peso.

Atua tanto no teclado, quanto no piano, no violão e nos vocais. Emprestou a sua voz para algumas músicas, como Quem Virá (Roupa Nova - 1981), Nos Bailes da Vida (Ouro de Minas - 2001), Sensual (ROUPAcústico II - 2006)e Cantar Faz Feliz o Coração (4U - 2008) e cantou também partes de algumas músicas do álbum (Ao Vivo-1991). Entre suas composições, destacam-se A Lenda e Volta Pra Mim.


Composições

A Lenda
Composição: Nando - Kiko - Feghali - (ROUPAcústico - 2004)


A Nossa Canção
Composição: Ricardo Feghali – Nando - (Vida Vida - 1994)

Adrenalina
Composição: Nando - Ricardo Feghali - (Através dos tempos - 1997)

Agora Sim
Composição: Ricardo Feghali – Nando - (Agora sim! - 1999)

Amar é
Composição: Cleberson Horsth - Ricardo Feghali - (6/1 - 1996)

Amar... é quando não dá mais pra disfarçar
Tudo muda de valor
Tudo faz lembrar você
Amar...é a lua ser a luz do seu olhar
Luz que debruçou em mim
Prata que caiu no mar
Suspirar sem perceber
Respirar o ar que é você
Acordar sorrindo
Ter o dia todo pra ver
O amor é um furacão, surge no coração
Sem ter licença pra entrar
Tempestade de desejos
Um eclipse no final de um beijo
O amor é estação, é inverno, é verão
É como um raio de sol
Que aquece e tira o medo
De enfrentar os riscos e se entregar
Amar é envelhecer querendo te abraçar
Dedilhar num violão
A canção pra te ninar

Anos 60
Composição: Cleberson Horsth - Ricardo Feghali – Nando - (6/1 - 1996)

Asas do Prazer
Composição: Kiko - Ricardo Feghali - (Frente e Versos - 1990)

Bate um Coração
Composição: Nando - Ricardo Feghali - (6/1 - 1996)

Bem Simples
Composição: Ricardo Feghali - (Roupa Nova - 1981)

Betty e Lou
Composição: Nando - Ricardo Feghali - Ed Wilson - (Frente & Versos - 1990)

Camaleão
Composição: Serginho - Ricardo Feghali - (Luz - 1988)

Chama
Composição: Ricardo Feghali – Nando - (Luz - 1988)

Cristina
Composição: Serginho - Ricardo Feghali - (Herança - 1987)

Demônio do Meio Dia
Composição: Ricardo Feghali - Serginho - Marcio Borges - (Roupa Nova - 1982)

E você o que é que faz?
Composição: Serginho - Ricardo Feghali - (Roupa Nova - 1985)

Falar dos Meus Pais
Composição: Serginho - Ricardo Feghali - (6/1 - 1996)

Faz a Minha Cabeça
Composição: Ricardo Feghali - Serginho - Ronaldo Bastos - (Roupa Nova - 1982)

Fica Comigo
Composição: Ricardo Feghali - (Frente e Versos - 1990)

Herança
Composição: Kiko - Ricardo Feghali - (Herança - 1987)

Ídolos
Composição: Kiko - Ricardo Feghali – Nando - (Luz - 1988)

Já Nem Sei Mais
Composição: Kiko/Ricardo Feghali/Nando - (ROUPAcústico - 2004)

Latinos
Composição: Kiko - Ricardo Feghali - (Herança - 1987)

Lembranças
Composição: Nando - Ricardo Feghali - (6/1 - 1996)

Luz do Teu Caminho
Composição: Ricardo Feghali – Nando - (Através dos tempos - 1997)

Mais uma Chance
Composição: Nando - Ricardo Feghali - (Vida Vida - 1994)

Metade da Maçã
Composição: Ricardo Feghali, Kiko e Nando - (ROUPAcústico II – 2006)

Meu Universo é Você
Composição: Ricardo Feghali – Nando - (Luz - 1988)


Muito Mais
Composição: Cleberson Horsth - Ricardo Feghali - (Através dos Tempos - 1997)

Na Mira do Coração
Composição: Cleberson Horsth - Ricardo Feghali – Nando - (Herança - 1987)

Nossa História
Composição: Ricardo Feghali – Nando - (6/1 - 1996)

Os Embalos de Todo Dia
Composição: Kiko - Ricardo Feghali - (Vida Vida - 1994)

Perdoa
Composição: Kiko - Ricardo Feghali - (6/1 - 1996)

Quem Virá?
Composição: Ricardo Feghali - Marcio Borges - (Roupa Nova - 1981)

Razão de Viver
Composição: Ricardo Feghali/Nando - (ROUPAcústico – 2004)

Retratos Rasgados
Composição: Ricardo Feghali/Kiko/Nando/Serginho - (ROUPAcústico II – 2006)

Romântico Demais
Composição: Kiko - Ricardo Feghali - (Luz - 1988)

Sensual
Composição: Ricardo Feghali - Cleberson Horsth - Claudio Rabelo - (Roupa Nova - 1983)

Seu Jeito & Meu Jeito
Composição: Ricardo Feghali – Nando - (Luz - 1988)

Sexo Frágil
Composição: Kiko - Ricardo Feghali - (Herança - 1987)

Tanto Faz
Composição: Ricardo Feghali - Fausto Nilo - (Roupa Nova - 1981)

Tempo de Paz
Composição: Nando - Ricardo Feghali - (6/1 - 1996)

Tolo Ciúme
Composição: Cleberson Horsth - Ricardo Feghali – Nando - (Herança - 1987)

Tudo de Novo
Composição: Ricardo Feghali – Nando - (Roupa Nova - 1985)

Últimas Palavras de Amor
Composição: Ricardo Feghali - Nando - (Vida Vida - 1994)

Um Caso Louco
Composição: Kiko - Ricardo Feghali - (Roupa Nova - 1985)

Um Lugar no Mundo
Composição: Ricardo Feghali – Nando - (Herança - 1987)

Um Toque
Composição: Serginho - Ricardo Feghali - (Herança - 1987)

Vício
Composição: Ricardo Feghali – Nando - (Luz - 1988)

Videogame
Composição: Cleberson Horsth – Ricardo Feghali - (Roupa Nova - 1983)

Vira de Lado
Composição: Ricardo Feghali - Serginho - Mariozinho Rocha - (Roupa Nova - 1982)


Volta Pra Mim
Composição: Cleberson Horsth - Ricardo Feghali - (Herança - 1987)

FONTE

WIKIPÉDIA

Humberto Effe


Humberto Effe é um cantor, compositor, violinista e guitarrista. Humberto é carioca da Tijuca, líder e vocalista da banda carioca Picassos falsos, que surgira em meados da década de 1980. A formação da banda é original de 1985 e combinava já, desde então, elementos musicais como Rock, Funk com Baião, Afoxé, Soul, Maracatu e Samba... algo que só viria a ser comum na música brasileira a partir dos anos 1990, com artistas como Chico Science & Nação Zumbi e Mundo Livre S/A. A banda fez sucesso com canções como "Carne e Osso", "Quadrinhos", "Supercarioca" e "O homem que não vendeu sua alma".

Humberto Effe é produtor e apresentador do “Sangue Novo”, programa que vai ao ar às Sextas-feiras, com co-produção de Clarice Azevedo (filha do ilustre Geraldo Azevedo) e que faz parte da programação da Rádio Roquette-Pinto, dedicado às revelações da música brasileira e que ganharam espaço na programação na emissora do Estado do Rio de Janeiro, dedicado aos novos artistas da música brasileira de todos os gêneros.

Em 1990, Picassos Falsos se separou e seus integrantes dedicaram-se a atividades diversas. Humberto Effe dedicou-se à carreira solo, lançando um disco em 1995 pela Virgin.

Junto com Thalma de Freitas, Humbert Effe tem participação no DVD ao vivo do ex-guitarrista da banda Legião urbana, Dado Villa-Lobos, gravado no teatro Dulcina, no Rio de Janeiro e intitulado de “Jardim de Cactus” (lançado em 2005) cantando a música Laufunk.



Humberto Effe tem três musicas no disco de Dado Villa Lobos. Duas em parceria com o proprio Dado, "Natureza e "Quase Nada", e uma com o guitarrista Laufer, "Laufunk", co-produtor do disco. A grande novidade para Effe foi a participação de Chico Buarque de Holanda na faixa "Natureza" dividindo os vocais com Dado e recitando poema de Rimbaud.
FONTE

Cecitônio Coelho


O músico e compositor Cecitônio Coelho, nascido aos 11 de maio de 1964 na cidade de São Mateus, norte do Espírito Santo. Filho de Zulmira Ferreira e Oraldo Coelho, ex-maestro da "Lira Mateense" banda penta-campeã dos encontros de bandas civis no estado, regida desde 1975 pelo seu irmão Datan Coelho.

Cecitônio Participou de um programa de calouros promovido por uma banda de baile local, que aconteceu de dezembro de 1975 á setembro de 1977 tendo sua final no parque de exposição dentro da festividade distrital de São Mateus, conquistando o primeiro lugar com a música "Serafim e seus filhos" de Rui Maurity.


Em 16 de junho de 1978 Cecitônio e seu irmão Datan Coelho, fundaram o Regional Pizindim, grupo de chorinho e gafieira onde Cecitônio tocava cavaquinho e violão. Pizindim, apelido de Pixinguinha foi o nome escolhido por se tratar de um dos mais importantes nomes da nossa música instrumental, e também por se encaixar com a proposta do grupo.

Em 1979 o regional passou a se chamar "Banda Pizindim", com proposta de baile e modificações como a inclusão de baixo, guitarra e cantores, alem de incluir no repertório, músicas de Luiz Gonzaga, Alceu Valença, Banda de Pau e Corda, Quinteto Violado, e alguns sucessos populares, adaptados em arranjo regional, com shows em todo o estado do Espírito Santo, norte de Minas Gerais e sul da Bahia.


Em abril de 1980 participou como músico, cantando e tocando trompete e guitarra na peça "Os Palhaços Não Podem Morrer" do GRUMATA (Grupo Mateense de Teatro Amador) que venceu o Festival de Teatro Amador de Vitória naquele ano, se apresentando no Teatro Carlos Gomes, com os atores Euclides Rampineli Filho e Antônio Eduardo Barbosa. A peça se passava no picadeiro de um circo, com bandinha executando marchinhas tradicionais, com flauta, violão, guitarra, contrabaixo, trompete, trombone, bateria e voz.


Na bandinha de circo, Cecitônio tocava violão e trompete, além de cantar as canções; "Sonhos de um Palhaço", de Antônio Marcos, e "Somos Todos Iguais Nesta Noite", de Ivan Lins, acompanhado por Datan Coelho (flauta transversal e trombone), Bené (contrabaixo e guitarra) e Valdir Batera (bateria).

Cecitônio Coelho permaneceu na Banda Pizindim como cantor e guitarrista até 27 de julho de 1992 quando decidiu seguir carreira sólo, tocando em bares e restaurantes em Vitória e Vila Velha.


Além da banda Cecitônio produzia suas composições e participou do primeiro festival da canção da cidade de Montanha em 1979 com o blues "O Guarda Maluco" de Datan Coelho.

Participou dos festivais em Pinheiros até setembro de 1988 sendo premiado em todos, sendo mais importante, o que aconteceu no ano de 1987 conquistando o terceiro lugar com "A Dona da Calçada" composição de sua autoria, o segundo lugar e melhor arranjo com "Mato", sua canção com texto de Datan Coelho.


No dia 4 de Dezembro de 1993 de volta aos festivais, aconteceu a final do primeiro festival da canção de Boa Esperança (ES), e lá estava Cecitônio com a canção "Estrela Morena" de sua autoria, conquistando o primeiro lugar e melhor arranjo.

Cecitônio Coelho montou o "Show Vitória" apresentado no dia 25 de Setembro de 1998 na FAFI, nos dias 7 e 8 de Novembro de 1998 no Teatro Carlos Gomes, no dia 17 de Janeiro 1999 na Arena de Camburí em Vitória / ES e no dia 4 de Fevereiro de 1999 na Praia de Gurirí em São Mateus dentro do projeto cultural promovido pela Petrobrás.


No ano de 2000 apresentou o autoral "Show Vitória" no Teatro Metrópolis da UFES dentro do projeto "Quinta Nossa Musical", além de participar dos shows de Danilo Diniz, Dennise Pontes e Márcia Coradine dentro do mesmo projeto, que vem incentivando artistas e bandas capixabas, dentro do circuito universitário, com seu espaço aberto aos trabalhos autorais.

Em 2000 / 2001 participou de gravações das cantoras Simone Itaboray e Márcia Coradine, além de ter sua música "Tapete Mágico" no CD "Atmosfera Clara" e a música "Corazón Arrebatador" no 2° CD da cantora e compositora Dennise Pontes, que assina os textos.

Em julho de 2001 Cecitônio participou da gravação de uma faixa do CD da cantora e compositora Nô Stopa, filha do cantor Zé Geraldo, à convite do músico Alexandre Lima da banda Manimal, que é produtor musical do CD. Cecitônio Coelho, gravou dois violões de base e sólo, e o CD conta ainda com participações de outros músicos capixabas.

Em 19 de Novembro de 2004 Cecitônio Coelho participou de uma palestra sobre "cordel" com o poeta maranhense; Jorge Sales, dentro do projeto "Conversa com o Escritor" com os acadêmicos de Pedagogia e Biblioteconomia da IESP/UNIGRAN em Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul.

No dia 20 de Novembro, se apresentou no "Teatro Fernanda Montenegro" em show de composições próprias, onde aconteceu o lançamento do livro; O Reino Encantado do Cordel "A Cultura Popular na Educação" do escritor Rubenio Marcelo, que é titular da cadeira nº 35 e Secretário-Geral da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras.

No domingo dia 21 de novembro, Cecitônio se apresentou na residência de Pierre Adri, editor da revista "Destaque" que cobre o meio sócio-político-cultural do estado de Mato Grosso do Sul, onde aconteceu o lançamento do CD "A Arte Maior de Rubenio Marcelo e Jorge Sales", sendo que Cecitônio atua como intérprete, músico e arranjador em quatro faixas.

Cecitônio Coelho integrou a caravana IV do "Projeto Pixinguinha 2005" acompanhando a cantora Marcela Lobo pelas regiões Centro-Oeste e Norte, onde seguiram; Zé da Velha (tocava com Pixinguinha) e Silvério Pontes (tocava na Banda Vitória Régia do cantor Tim Maia), acompanhados pelos músicos; Charles da Costa, Alessandro Couto Cardoso e Netinho do Pandeiro.

Na Caravana IV (centro-oeste/norte) seguiram também o cantor Marcos Sacramento, acompanhado pelos músicos; João Hermeto e Rodrigo Jesus, todos do Estado do Rio de Janeiro.

Cecitônio Coelho interpretou cordéis da parceria; Jorge Sales/Rubenio Marcelo/Cecitônio Coelho em show autoral _ sexta-feira, dia 11 de janeiro de 2008 na Fundação Casa de José Américo, localizada na Av. Cabo Branco, nº 3336 - Cabo Branco _ João Pessoa/PB.

A dois anos, participa do GRUPO ILHA que toca exclusivamente sambas de Chico Buarque, João Nogueira, Paulinho da Viola, Candeia, Nelson Cavaquinho, Noel Rosa, Martinho da Vila, Adoniran Barbosa, entre outros, configurando "A Nata do Samba" e teve seu show apresentado no FEMUSQUIM _ Festival de Musica de Botequim (Morro dos Alagoanos/ES), no Palco Aberto Para o Samba (Teatro Carmélia/ES), no Armazém (Porto de Vitória/ES), e participou do programa "Eu Sou o Samba" exibido pela TVE.


Entre os meses de Setembro e Outubro de 2008 Cecitônio Coelho participou da gravação do CD 2009 dos sambas enredos das escolas de samba de Vitória/ES, como arranjador e violonista de 6 e 7 cordas.

No dia 21 de Outubro de 2008 Cecitônio Coelho participou do Show ELBA RAMALHO A FLOR DA PARAÍBA _ Concebido e Dirigido por Juca Fardin _ Convidada Especial: Elba Ramalho _ Participações Especiais: Marcela Lobbo (voz), Jully Victória (voz), Idalina Dornelas (voz), Dennise Pontes (voz), Cecitônio Coelho (violão de 7 cordas), Mirano Schuler (acordeon), Coral Infantil (30 crianças da Rede Municipal de Viana) e 5 coreografias com alunos da rede municipal de Viana e de Vitória. Realizado no Teatro Municipal de Viana/ES, no dia 21 de outubro de 2008 às 15:00 h. _ Direção Musical: Cecitônio Coelho

No dia 5 de Dezembro de 2008 Cecitônio Coelho participou como arranjador e violonista, além de interpretar a música "São Benedito" na gravação do CD & DVD "Cantos de Vitória" com criações musicais de alunos do ensino fundamental de Vitória/ES. Este projeto foi realizado pelas Secretarias de Educação, de Turismo, pela CDV (Centro de Desenvolvimento de Vitória) e Prefeitura Municipal de Vitória/ES.


(A coordenação da 1ª Mostra de Criação Musical é do cantor e compositor Carlos Papel. Direção musical e arranjos do cantor e compositor Cecitônio Coelho. Houve a participação de uma banda musical básico com acompanhamento dos seguintes artistas capixabas; Marcela Lobbo, Cecitônio Coelho, Dennise Pontes, Daniela Moraes, Amaro Lima, Lula D'Vitória, Fred e Jonathan.)

No dia 10 de Dezembro de 2008 Cecitônio Coelho participou como violonista do show da cantora Marcela Lobbo com a dupla gaúcha Kleiton e Kledir no Teatro Carlos Gomes com direção da Cajú Produções.


No dia 19 de Dezembro de 2008 Cecitônio Coelho participou do show da cantora Dennise Pontes em homenagem à Clara Nunes no Teatro do Sesi, sito à Rua Tupinambás, n° 240, Jardim da Penha, Vitória/
ES. Participaram os músicos; Cecitônio Coelho, no violão, Roger Bezerra, no teclado, Gleydson Santos, no cavaquinho, Marlon Aloyr, na bateria, e Kássio, na percussão.

No dia 11 de Março de 2009 Cecitônio Coelho participa como violonista do show da cantora Dennise Pontes com Fátima Guedes e no dia 13 de Maio de 2009 participa com o GRUPO ILHA no show das cantoras Vera da Matta e Dona Ivone Lara, dentro do Parojeto Seisi e Meia no Teatro Carlos Gomes com direção da Cajú Produções. Atualmente, Cecitônio Coelho vem trabalhando na finalização do CD "PEDACINHO DO BRASIL" que traz composições próprias com arranjos de Datan Coelho e o patrocínio da Lei Rubem Braga.

ALUZIVO (Jucutuquara), FLOR DE LIZ (Djavan), FATO CONSUMADO (Djavan) e CHICLETES COM BANANA (Gordurinha) com Cecitonio Coelho e A Velha Guarda de Jucutuquara no Sábado, dia 22 de Janeiro de 2011 no Quintalzinho na Praia do Canto_Vitória/ES.

FONTE

LETRAS

Música instrumental aterrissa no Juscelino Kubitschek

Atenção senhores passageiros, desembarque imediato na música instrumental brasileira: de 8 a 27 de julho, no aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, será realizado o projeto Música no Aeroporto, com apresentações gratuitas de 19 bandas em dois horários, das 12h30 às 13h30 e das 18h às 19h na área de desembarque.

De acordo com release da assessoria de imprensa, o projeto chega ao Distrito Federal com objetivo de difundir a cultura musical brasileira após sobrevoar as capitais do Rio de Janeiro e São Paulo. O Música no Aeroporto tem o patrocínio da Redecard e termina sua temporada em agosto, em São Paulo.

"Ao todo são 130 apresentações com mais de 250 músicos renomados divididos nas três capitais brasileiras em 65 dias para um público diversificado. O projeto tem o apoio cultural da Infraero, Laselva e Lei Federal de Incentivo à Cultura, realização MPCult e Arbra Arte & Música", informa o texto de divulgação.


  • Música no Aeroporto

08/07 - Quarteto Garatuja


09/07 - Alma Brasileira Trio

10/07 - Aquario


11/07 - Jazz Brasília

12/07 - Kadu Lambach & Grupo


13/07 - Jose Cabrera


14/07 - Amoy Ribas & Grupo


15/07 - Choro & Cia.

16/07 - Andre Arraes & Grupo

17/07 - Duo 13


18/07 - Galinha Caipira Completa


19/07 - Pablo Fagundes & Grupo


20/07 - Renato Fagundes & Grupo

21/07 - Marcus Moraes Quarteto


22/07 - AQuatro

23/07 - Marambaia

24/07 - Dudu Maia & Grupo

25/07 - Oswaldo Amorin & Grupo

26/07 - Bruno Patrício e Grupo


27/07 - Pablo Fagundes & Amigos

FONTE

DGABC

terça-feira, 28 de junho de 2011

Carlos Colman

Carlos Colman é um músico e compositor brasileiro. Começou a tocar na década de 1970 no estado de Mato Grosso do Sul. É o autor da canção Castelânea, uma das mais conhecidas do estado.


Só vou ser bem feliz numa casa pequena
Pintada de branco de portas abertas
Pra quem lá chegar
Um cavalo pintado um cachorro vadio
O vento no rosto a viola e o tempo
Pra te amar...
Eu quero viver sem muito falar
Quero o sol no coração
E um amigo que possa abraçar
E sentir o calor da vida queimar
Na aguardente corpo e alma
Livre no tempo numa paz bem maior
E sentar na varanda sem nó na garganta
Bebendo a tarde na concha da alma a brilhar
E te dar meu calor
Ser a tua luz quando o dia apagar
Do brilho os olhos
Da força, o sangue
A brisa mansa sobre o teu ombro a soprar
E sentar na varanda sem nó na garganta
Bebendo a tarde na concha da alma a brilhar



Filho de músico e professor de violão, iniciou a carreira no Grupo Therra. Já participou da gravação de vários projetos musicais, como Prata da casa, Caramujo som, Mato Grosso do som, Festival do chamamé e Festival do Mercosul. Explora em suas canções vários estilos da música de raiz, entre eles, a polca, o chamamé, a toada e o arrasta-pé.



fonte

wikipédia

Daniel Boaventura


Aqui está fazendo muito frio!!! E, realmente não é o meu clima preferido =) Então, pensei em fazer algo que deixasse meu coração feliz: OUVIR MÚSICA. Perfeito! Daniel Boaventura. Imenso talento... O que posso fazer?! Imaginar que estou num lugar aconchegante, desfrutando de uma companhia incrivel, tendo nossos olhares, palavras, carinho... embalados por excelente música!!! Achei o lugar... Eu queria postar aqui o clipe de "Hello Detroit!", com Daniel Boaventura - mas infelizmente no youtube o código deste vídeo não pode ser compartilhado!!! Please! alguém corrija isso!!! (RsRsRs)

Daniel do Rêgo Boaventura, (Salvador, 19 de maio de 1970), mais conhecido como Daniel Boaventura, é um ator e cantor brasileiro.


Baiano radicado em São Paulo, o ator, cantor e músico (saxofonista), Daniel Boaventura é conhecido por suas performances em musicais, bem como atuações em novelas e peças teatrais.

Entre outros espetáculos, participou de "Vítor ou Vitória", "A Bela e a Fera", "Chicago" e "My Fair Lady". Participou também do projeto "A Casa Cai de Roney Giah", onde substituiu o saxofonista Milton Guedes.


Filho de professores de uma família tradicional que ouvia MPB e canções eruditas, Daniel Boaventura teve a música como algo natural em sua formação. Aos 15 anos, comprou o álbum Dire Straits ao Vivo, que o impulsionou definitivamente para esta arte.

Daniel Boaventura montou duas bandas com os amigos da escola: Horas Vagas e Os Tocáveis, que competiam com o cursos de Administração, Relações Públicas e Publicidade. Três tentativas que apenas reforçaram sua vocação para as artes. As “brincadeiras” musicais ficaram sérias e a banda Horas Vagas foi convidada a participar do musical Cinema Cantado.

Em 1991, Fernando Guerreiro, criador da Cia. Baiana de Patifaria, após assistir a estreia de Daniel Boaventura nos palcos, apresentando o clássico tema On Broadway, o convidou para o musical Zás Trás. Na sequencia, fez o “show” solo chamado Pop n’ Jazz – que lhe rendeu o Troféu Caymmi, na categoria revelação de intérprete -, e logo depois encenou “O Casamento do Pequeno Burguês”, de Bertold Brecht, no qual, além de cantar e atuar, tocava saxofone.

Em maio de 2009, Daniel lançou seu primeiro álbum de estúdio Songs 4 U, que também promoveu a turnê e o DVD ao vivo do cantor.


O ator e cantor Daniel Boaventura fez uma participação especial na gravação do DVD ao vivo de Hebe Camargo, no dia 27 de outubro de 2010, no Credicard Hall, em São Paulo. Participaram também do DVD Maria Rita, Fábio Jr., Chitãozinho & Xororó, Bruno & Marrone, entre outros.

beijo técnico entre Hebe e Daniel Boaventura

Daniel Boaventura é um artista completo. Com uma carreira já consagrada no teatro e na teledramaturgia, o artista também mostra um talento refinado na música.


Em 2010, Boaventura, atuando, na novela Passione, onde ele interpreta o misterioso e enigmático Diogo. Inspirado pelo clima de Passione, Daniel resolveu lançar um novo (seu segundo) álbum só de músicas italianas. Além da trama das 9, gravada no Rio, o ator, que mora em São Paulo, excursiona pelo país fazendo shows de divulgação dos CDs Songs 4 U (2009) e Italiano (2010).


No repertório, músicas como "I'm In The Mood For Love", que foi tema dos personagens "Raj e Maya" emCaminho das Índias, e "Send in the Clowns", clássico de Stephen Sondheim (78). "Graças a Deus, o CD é um sucesso. Ultrapassei a marca de 40 mil cópias, o que é muito bom para os dias de hoje, ainda mais para um CD todo cantado em inglês", vibra.


1º CD, DVD & Blu-ray Ao Vivo: Daniel Boaventura

"O show é mais pulsante do que o disco, que tem uma característica mais romântica e intimista", acrescenta Daniel. No palco, o público pode vê-lo cantando também "Unchain My Heart", sucesso na voz de Joe Cocker (65), e "Love is in the Air", lançada em 1978 por John Paul Young (59). E é justamente esta mistura que dá o tom do DVD ao vivo.


Daniel foi, com suas duas filhas, na reestreia do filme O Rei Leão, em versão 3D; e declarou à uma repórter da TVBand que gravará o seu DVD ao vivo em outubro de 2011 com base no seu 1º CD; e algumas músicas do 2º.

CURIOSIDADES

*Daniel Boaventura também marcou presença na semana de moda mais famosa do país, a São Paulo Fashion Week, na Bienal do Ibirapuera. O ator , que é conhecido pelos seus musicais disse ter adoração por ternos. "Eu tenho muitos ternos e paletós e eu uso muito por conta da minha carreira como cantor. Mas a minha verdadeira obsessão são roupas pretas. A grande parte das minhas roupas eu faço com o mesmo alfaiate. Como eu tenho o corpo grande ele sabe fazer o corte e a modelagem perfeita". aqui


*Daniel Boaventura tratou de avisar os fãs por meio de sua assessoria de imprensa que o seu perfil no Twitter é falso. A conta é intutulada como oficial e escreve como se fosse o próprio ator, chegando a enganar fãs e seguidores, mas o ator avisa que as publicações deste Twitter são bem diferentes. "Esse falso 'Daniel' tem o jeito de falar diferente que o meu. Quem me conhece, sabe que eu não escrevo daquela forma. Sempre me preocupei em escrever o português corretamente e não costumo falar gírias como ele", conta o ator. Daniel ainda ressaltou que não tem Twitter e sim uma página oficial no Facebook. aqui

*Daniel Boaventura abriu os desfiles do Intercollection, no shopping Interlagos, em São Paulo. O ator e cantor apresentou looks da coleção outono/inverno das lojas do shopping. Entre uma entrada e outra na passarela, Daniel cantou para delírio das fãs. Boaventura está no musical Evita, no teatro Alfa, em São Paulo. aqui


fonte

wikipédia

site oficial

Brunna e Mateus


Brunna e Mateus, cantores, compositores e versionistas iniciaram suas carreiras no projeto “Jovens Talentos”, homenageando a Jovem Guarda e resultando em CD e DVD de ouro, além das turnês no Amazonas e, fora do Brasil, na Itália, obtendo sucesso com as musicas escritas e produzidas no país, trazendo dois videoclipes: “Mia Bella, Matera” e “Pra Sempre”.

Após tantas composições próprias, a dupla arrisca em sua primeira versão! Lançam “Volte Atrás” na internet e a musica começa a chamar atenção com mais de 60 mil visualizações em pouco tempo, abrindo o caminho para o sucesso “Agora É Tarde”, que rapidamente, atinge a marca de 300 mil, entre acessos e downloads, alcançando os primeiros lugares em rádios de todo o Brasil.


Lançam seu primeiro disco, incluindo musicas autorais, versões próprias e algumas regravações de artistas consagrados da música, incluindo os destaques da dupla “Volte Atrás” e “Agora É Tarde”.


A Turnê 2010 com abertura oficial na principal festa de Minas Gerais, a Fenamilho trouxe a espontaneidade e experiência de dois jovens, um show particular de cenografia e iluminação e um repertório ousado, na mistura do novo disco da dupla em grandes encontros da musica estrangeira com a musica pop e sertaneja, canções que a galera canta do inicio ao fim.

Brunna e Mateus emplacaram um de seus sucessos na trilha da novela Rebelde. A música Me Liga, que ficou famosa por causa do grupo Paralamas do Sucesso, é tema do casal Roberta (Lua Blanco) e Diego (Arthur Aguiar). Brunna conta que não acreditou quando a dupla foi chamada para participar da trilha e ainda fala que a ficha só caiu quando assistiu a um dos capítulos.


- Eu e o Mateus já tínhamos recebido vários convites para fazer parte de trilha de novelas, mas nunca acontecia nada. Ficamos descrentes. E mesmo com tudo acertado para a música fazer parte de Rebelde, a gente só acreditou quando tocou pela primeira vez, no terceiro capítulo da novela.


Você Sabia?

*Em uma pequena turnê de 20 dias por algumas cidades da Itália, Brunna e Mateus destacaram-se no show realizado antes do jogo entre 'Juventos', da Itália e 'Kosovo', do Canadá. Depois da viagem, fizeram uma música em homenagem à cidade de Matera, que resultou em um vídeo clipe.

*A música 'Volte atras', da dupla Brunna e Mateus é uma versão de "Midnigh Bottle", da cantora Colbie Caillat que está na trilha sonora da novela "Três irmãs", da Rede Globo. A música abre o segundo disco da dupla e já é sucesso em todo a Brasil.

FONTE

site oficial


segunda-feira, 27 de junho de 2011

Nelson e Davi


A Dupla Nelson e Davi foi criada em janeiro/2005 pelo paulistano Nelson e pelo mineiro Davi.

Nelson Scaff Bonotti tinha passado por bandas de rock e se graduado em Engenharia Mecânica até que, em 2002, largou tudo e foi para Goiânia decidido a se tornar cantor sertanejo. Chegou a formar uma dupla que não deu certo, apesar de ter gravado um disco. Voltou a São Paulo disposto a encontrar um novo parceiro e recorreu ao estúdio Pró Mix, onde havia gravado seu primeiro CD. Lá, ouvindo várias fitas, se impressionou com a voz de um rapaz de nome Davi e, após descobrir a cidade que morava, seguiu em seu encalço.

Davi Rodrigues de Oliveira, mineiro de São Francisco de Sales, vivia em sua cidade natal. Pescador contumaz, ia sempre ao rio da cidade de bicicleta. Numa dessas idas à pescaria, por muito pouco não foi atropelado por um motorista. Ao voltar para casa, deparou-se com Nelson, que o procurava com a proposta de formar uma dupla. Detalhe: fora Nelson que quase o atropelara…



A partir desse pitoresco – e quase trágico, convenhamos – encontro, os cantores começaram a descobrir afinidades. Ambos gostavam de música sertaneja de raiz e também de rock nacional e internacional. E ambos começaram a se envolver com música aos doze anos. Não poderia ser outro o destino de Nelson e Davi a não ser cantar juntos…



Em 2005 e 2007 a dupla lançou dois discos e emplacou sucessos como Tudo Por Você e Inocente Como Um Anjo.

Nelson e Davi se tornaram popularíssimos no interior de São Paulo, região do Triângulo Mineiro, Goiás e Mato Grosso do Sul. Mas o grande estouro veio mesmo com Locutor, que tomou de assalto as rádios populares de todo o Brasil, que rendeu o CD TUDO POR VOCE, lançado em 2007 pela EMI Music.

Em 2008 a dupla se destaca mais uma vez em todo o Brasil, com a música “Mesmo Erro”, versão de “Same Mistake,de James Blunt que em poucos dias se tornou uma das músicas mais pedidas em todo o Brasil.


Em 2009 a dupla lançou seu quarto CD, com produção de Gabriel Jacob, com músicas como “Taxista” e “Vai Ter Que Me Escutar”, ambas compostas por Nelson Bonotti e Bruno Caliman, seguindo a mesma linha dos sucessos “Locutor” e “Porta de Bar”, além da músicas “Viva a Vida” e “Vai Me Sufocar”, que antes mesmo do CD ser lançado já começam a ganhar espaço nas rádios de todo o Brasil.



Contato para shows: (0XX11) 8503-2987

FONTE

SITE OFICIAL