Perfil

Minha foto
Brazil
"Acho que finalmente me dei conta que o que você faz com a sua vida é somente metade da equação. A outra metade, a metade mais importante na verdade, é com quem está quando está fazendo isso."

terça-feira, 10 de maio de 2011

Elino Julião


Elino Julião (Timbaúba dos Batistas, 13 de novembro de 1936 — 20 de maio de 2006) foi um cantor de forró conhecido pela forte ligação à cultura regional.

Forró do rela Bucho - Elino Julião e Zeca Baleiro



Elino nasceu no quente sertão do Seridó, na cidade de Timbaúba dos Batistas/RN. Filho de Sebastião Pequeno, tocador de cavaquinho e Concertina. Foi menino butador d'água junto ao seu estimadíssimo jumentinho "Moleque", no sítio Tôco, onde cantarolava batendo numa lata as modinhas que aprendia na festa de Sant'Ana em Caicó/RN.



Na casa grande da fazenda , onde se reuniam os moradores da redondeza, Elino Julião fazia a alegria da rapazeada. Costumava sair da fazenda descalço e a pé, rompendo 18 km de caatinga para bater a famosa "peladinha" em frente à Igreja de Sant'Ana na cidade de Caicó e articular-se, claro, para cantar na sede do Caicó Esporte Clube, no domingo à tarde. Cantar para Elino, já era êxtase.

Meu Cofrinho de Amor


Nos anos 50, destemidamente o garoto de 14 anos "pegou morcego" no caminhão de Artur Dias e veio para Natal. Na capital, foi morar com uma tia no bairro das Quintas. e logo garantiu seu espaço para cantar no Programa Domingo Alegre da Rádio Poti, junto ao radialista Genar Wanderley e no animado Forró da Coréia, onde hoje é o o Estádio de futebol Machadão, forró esse que o inspirou a compor um dos seus grandes sucessos: "O forró da Coréia''.

Conseguiu espaço e reconhecimento. Na rádio, cantava músicas de Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e outros. Sob a bêncão do padre Eymard Lérecat Monteiro, amigo da família, retomou os estudos a noite no colégio Marista.

Julião ficou em Natal por dezoito anos. Durante esse período, serviu o exército, mas logo que se libertou das forças armadas voltou para a Rádio Poti, onde conheceu Jackson do Pandeiro. O já famoso Jackson o convidou para o Rio de Janeiro, onde foi morar e trabalhar como cantor, iniciando uma parceria que rendeu grandes frutos musicais e selou uma longa amizade.

Como ritmista de Jackson, se apresentou nas rádios, tvs e viajou o Brasil inteiro. Elino confessa que não foi fácil gravar no Rio de Janeiro nos anos 50. "Passei muito tempo para gravar. Naquela época dos auditórios de rádio, a gente cantava mas não gravava. Só gravava quem tinha muita sorte e cantava mais que Vicente Celestino", lembrou saudoso do amigo.

Foi na casa de Jackson, que Elino começou a compor suas primeiras músicas. Gravou seu primeiro disco em 1961, na gravadora Chanticlê, que além dele, lançava simultaneamente : Noca do Acordeon, João Silva, Geraldo Nunes, Mineiro e Teixeirinha. Do grupo só Teixeirinha fez um grande sucesso com coração de luto.- O sucesso do colega o desanimou e pensou em desistir da carreira, porém Jackson o estimulou e o levou para a gravadora Phillips, por onde lançava seus discos.

Foi na Philips/Polygram, que gravou seus primeiros sucessos: Puxando Fogo e Xodó do Motorista, que logo se transformaram em verdadeiros hits. Mas antes disso, suas composições já faziam sucesso. Entre elas Rela Bucho, na voz do pernambucano Sebastião do rojão. Em função do sucesso, foi convidado para uma gravadora maior, a CBS, hoje Sony Music, permanecendo por 23 anos.


Ainda no Rio, foi contratado da extinta Rádio Tupi e da rádio Nacional. Nesta última como convidado especial, já que só se apresentavam os cantores contratados pelo governo. Em meio ao sucesso saiu da "cidade maravilhosa" e foi para São Paulo trabalhar com Pedro Sertanejo (pai de Osvaldinho do Acordeon), ficando na terra da garoa por seis anos.

Luiz Gonzaga estreou na TV Cultura o show "Chapéu de couro" e o convidou para trabalhar como ritmista, permanecendo aí por mais três anos. Vale lembrar também que o seridoense morou com o Rei do Baião e seu irmão Zé Gonzaga, conhecido como o príncipe do forró, a quem Julião não se negava a dar uma força. Elino, Jackson, Trio Nordestino e outros do gênero saíram da CBS em 86, quando a gravadora, preferindo apostar nos internacionais Michael Jackson e Júlio Iglesias, alegou que estava em dificuldades.
 
Criador de grandes sucessos da música popular Nordestina tais como: O Rabo do Jumento, O Relabucho, Maria Home, Puxando Fogo, Na Sombra do Juazeiro, A festa do Senhor São João, Cajueiro de Pirangi, Filho de Gaiamun e muito outros.

Mulher de Verdade


O trabalho de Elino Julião tem um perfil regionalista muito transparente, que o caracteriza como um "autêntico cantor do nordeste". Ele tem extrema facilidade em compor a respeito das particularidades do seu povo, dos fatos do cotidiano. Um prático. Fazia música de ouvido, letra e melodia. O seu forró é considerado genuinamente "Pé -de- Serra" dos melhores. Ele ficou conhecido como um dos artistas que mais participou das populares coletâneas de música junina, os "Pau- de- sebo".

Nos mais diversificados locais que se acenda uma fogueira, seja no sertão ou nas vilas suburbanas das grandes cidades, o repertório obrigatório ainda é o de Julião, como foi demonstrado no São João deste ano em Natal e interiores. Elino, é um homem, simples. Não é exagero mencionar que carrega na fala e no gesto a pureza e espontaneidade do verdadeiro sertanejo. O falar doce e manso traduz um romantismo que toca o coração, sem usar de maiores prolixidades.

Suas letras revelam também a irreverência e humor do nordestino. O artista não perdeu sua naturalidade, ainda que tenha sido presença constante das famosas rodas do histórico Hotel Glória/ RJ, e muitas vezes escolhido o artista do mês pelas rádios. Produziu 700 músicas, com mais de 40 discos em vinil e quatro CDS.
 
Discografia

1968 - Tô na Praça
1969 O Fino da Roça Vl. 1
1970 O Fino da Roça Vl. 2
1970 - Fogo na Geringonça (Coletânea)
1971 Pau de Sebo Vl. 5
1971 - Aquilo
1972 Pau de Sebo Vl. 6
1972 - Desafio (com Jacinto Silva)
1973 Pau de Sebo Vl. 7
1973 - Xodó de Lado (com Jacinto Silva)
1974 - Pau de Sebo Vl. 8
1974 - Dois Sujeitos Incrementados (com Messias Holanda)
1974 O Melhor do Forró
1975 Pau de Sebo Vl. 9
1975 - Cara de Durão (com Messias Holanda)
1975 - Seleção de Carimbó
1976 Seleção Carinbó
1976 - Forró e Mulher
1977 - O Enganador
1978 Pau de Sebo Vl. 12
1978 - Coração Louco
1978 Sucesso de Ouro Elino Julião
1979 Pau de Sebo Vl. 13
1979 - Meu Coração é das Mulheres
1980 - Preço do Amor
1981 - Meu Bauzinho de Felicidade
1981 - As Mulheres Merecem Flores
1983 - Coração Doce
1983 - Na Sombra do Juazeiro (com Lucymar)
1984 O melhor de Elino Julião
1984 - Arrastando a Vida
1984 - Eu de Cá, Você de Lá (com Edson Duarte)
1985 - Puxando Fogo (Coletânea)
1986 - Só Gosto de Você
1992 - Simplesmente Elino Julião
1994 Na Sombra do Juazeiro
1997 Eu de cá Você de Lá
1995 Eu de Cá você de Lá, 1995
1998 Elino Julião Só Sucesso
1998 - Vamos Fazer Run-Run!
1998 20 S. Sucesso Elino Julião
2000 - Canto do Seridó
2002 - Canto do Seridó II
2003 Sucesso do Povo Especial
2006 - Dentro do Movimento
 
Na Bodega Do Expedito


Olá Bicho


FONTE

site oficial

Wikipédia

site letras

4 comentários:

Bruna Dayane Sagaz disse...

OIIII... OLHA TEM UM SELO PRA TI NO MEU BLOG!

BJS

Beth disse...

Oi Bruna muito obrigada pelo carinho!
Bjs!!

Beth disse...

Eu recebi de Bruna Dayane- http://brunadayanesagaz.blogspot.com
um selo. Gostei. O primeiro selo a gente nunca esquece né!! E então vi que ela comentou no Blog dela algo que eu tbm confesso: Não entendo direito como funciona essa parada de selos. É bonitinho e tal, porém como funciona? Como faço para mostrar que realmente estou grata com o presente?Ao receber e participar das regras resolve todo o dilema dos selos?

Bem, mas vamos as regras:

1. Indicar a 5 blogs.

http://poesiaspublico.blogspot.com

http://wwwgordurinhaneto.blogspot.com

http://edmarcorreaesuagente.arteblog.com.br

http://coisasdemim.blogspot.com

http://brunadayanesagaz.blogspot.com

2. Uma música que te marcou muito.
São tantas músicas!!! Minha vida tem trilha sonora, mas vou citar uma que considero incrível: "True Colors", de Cyndi Lauper

3. Cinco livros que nunca vai esquecer.
*Um Ano Inesquecível, de Nicholas Sparks
*Desvendando os Segredos da Linguagem Corporal, de Allan e Barbara Pease
*O andar do bêbado: como o acaso determina nossas vidas, de Leonard Mlodinow
*A Tríplice Vitória do Amor, de Munguba Sobrinho
*O pequeno príncipe, de Saint-Exupéry

4. Dizer por que você acha que ganhou o selo: "Eu acredito que a Bruna me deu um selo porque Quem tem Blog sabe como é que tudo acontece: um dia despretensiosamente nossa alma escritora exige registro público de tudo aquilo que mexe com nossos sonhos, ideias, curiosidades, emoções e reações... ponto semelhante entre os blogueiros, caracteristicas que atraem um segundo olhar, uma indicação, um selo (RsRsRs)

=)

Beth disse...

Obrigada!!
Fiquei muito feliz pela referência do meu espaço em seu Blog!!
Bjs!!