terça-feira, 31 de maio de 2011

Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga em Juiz de Fora


Inscrições abertas para evento que tem o maior departamento de música antiga do país; promoção é do Centro Cultural Pró-Música - O Centro Cultural Pró-Música abre no dia 1° de junho inscrições para o 22º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga realizado em Juiz de Fora (MG) entre os dias 17 e 30 de julho.

A organização receberá inscrições de cerca de 700 alunos para 48 cursos nas áreas de cordas, sopros, orquestras, vozes e didática da musicalização ministrados por 44 conceituados professores brasileiros e estrangeiros.

O evento, que tem o maior departamento de música antiga do país, oferece cursos de trompa natural, traverso, viola da gamba, violino, violoncelo, cravo, além de canto barroco. Entre as opções também estão os instrumentos modernos e as oficinas para crianças, como a de prática de orquestras. A formação de professores tem espaço com o curso de didática da musicalização infantil.

Este ano, o Festival amplia seu conteúdo teórico com a realização de masterclass internacionais e palestras, ministradas por Paulo Bosísio, Homero Magalhães Filho, Luis Otávio Santos e Rodolfo Valverde.

Para o público a novidade é o bate-papo sobre os concertos, toda noite, às 19h30. O professor Rodolfo Valverde fará comentários sobre as atrações e os programas dos concertos.

Na programação cultural, destaque para o alto nível de mais de 30 concertos vespertinos e noturnos, todos gratuitos, em teatros e nas ruas.

Entre os pontos altos está a apresentação da Orquestra Barroca do Festival. Formada por músicos de consolidada carreira internacional, a orquestra faz mais um registro em CD da música barroca e colonial interpretada de forma historicamente correta.

O grupo francês Doulce Mémoire tem participação confirmada.



O Quinteto Villa-Lobos é um conjunto musical brasileiro de sopros fundado em 1962, com a proposta de divulgar a música de câmara brasileira.

O Quarteto Camargo Guarnieri foi criado em outubro de 2001 por quatro renomados músicos do ambiente musical de São Paulo para homenagear o grande compositor paulista.

A execução e valorização de obras de autores brasileiros são sua principal meta, assim como de obras consagradas do repertório internacional. A estréia do quarteto aconteceu em janeiro de 2002 no 13° Curso Internacional de Música Scala em Juiz de Fora (MG), onde houve aclamação do público e exaltados elogios dos renomados instrumentistas e professores presentes no curso.

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais vem cumprindo a sua missão de oferecer ao público um trabalho de excelência artística. Por esse trabalho, foi premiada pela Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA) como o Melhor Grupo Musical erudito de 2010.

Compõem a Filarmônica instrumentistas mineiros e de vários lugares do Brasil e do mundo. O talento e a dedicação desses artistas se harmonizam com um repertório ousado, abrangente e diversificado, oferecendo aos ouvintes uma experiência musical única.

A Orquestra Ouro Preto foi criada em maio de 2000, com o nome Orquestra Experimental UFOP/Ouro Preto, por Rufo Herrera e Ronaldo Toffolo, ambos então professores da Universidade Federal de Ouro Preto. Tem como propostas o desenvolvimento de repertório diversificado em gênero e épocas e a oferta à comunidade universitária, local e itinerante de uma programação permanente de concertos, além da difusão da música de “compositores da escola mineira”, com ênfase naqueles que atuaram em Vila Rica e Mariana nos séculos XVIII e XIX, a exemplo de João de Deus de Castro Lobo (1794-1832).

Além dos concertos periódicos em Ouro Preto, a Orquestra já se apresentou em diversos estados brasileiros sob a regência de importantes maestros, como Arnon Sávio Reis de Oliveira (MG), Ernani Aguiar (RJ) e Júlio Moretzsohn (RJ).

De modo especial, a partir de 2007, abriu uma programação destinada aos distritos do município de Ouro Preto, além de realizar concertos que se deslocaram do centro histórico para os bairros da cidade. Conta ainda, desde a sua criação, com o patrocínio da empresa ArcelorMittal. Mais Informações sobre a Orquestra pelo site http://www.orquestraouropreto.com.br/
Entre os concertos temáticos, destaque para a execução da “A Arte da Fuga”, de J.S. Bach, pelos cravistas Marcelo Fagerlande e Ana Cecília Tavares.


E ainda a execução de “Pièces de clavencin em concert”, de J.P. Rameau, pelo trio formado por Luis Otávio Santos (violinista barroco), Sérgio Álvares (gambista) e Bruno Procópio (cravista).

Pièces de Clavecin en Concert é a última compilação publicada das obras instrumentais do compositor francês Jean-Philippe Rameau, abrange quatro suítes de peças amplamente características, intituladas a partir de imagens ou quadros, ou de figuras da sociedade, estudantes ou compositores. Embora sejam peças para conjunto, o cravo rouba a cena.

O violinista barroco Luis Otávio Santos é natural de Juiz de Fora (MG). Em 1990, ingressou no Conservatório Real de Haia (Holanda), estudando violino barroco com Sigiswald Kuijken e cravo com Jacques Ogg. Em 1996, recebeu a graduação máxima da Instituição, o "Solist Diploma". Desde 1992, é membro da La Petite Bande , e integra outros grupos, como Ricercar Consort , Le Concert Français e De Nederlandse Bachverening . Atuou sob a direção de importantes artistas, como Sigiswald Kuijken, Phillipe Pierlot e Gustav Leonhardt. Desde 1998, é professor de violino barroco no Conservatório Real de Bruxelas (Bélgica). Leciona regularmente violino barroco em vários festivais, como o Stage de Musique Barroque de Barbastre (França), o Festival de Música de Brasília , a Oficina de Música de Curitiba e o Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga (Juiz de Fora, MG).

Natural de Belo Horizonte, Sérgio Álvares inicia seus estudos musicais com o Violão Clássico e o Violoncello em sua cidade natal em 1987. Seu interesse pela música barroca e a sua frequente participação em festivais de Musica Antiga no Brasil leva-o ao início dos seus estudos da Viola da Gamba com Eunice Brandão em 1997.

Em 1999 inicia seus estudos superiores de Viola da Gamba com Paolo Pandolfo na Schola Cantorum Basiliensis em Basel, Suiça onde obtém seu diploma de solista em 2004 com menção honrosa.

Bruno Procopio interprète Rameau

Bruno Procopio faz parte de uma nova geração de cravistas merecedora de especial atenção. Sua trajetória exemplar e sua formação junto aos professores Pierre Hantai e Christophe Rousset, fazem dele um dos mais interessantes jovens talentos do atual mundo do cravo.

Já na sua primeira experiência discográfica, Bruno propôs uma versão inovadora das monumentais Partitas de J.S.Bach. Este disco foi muito bem acolhido pela crítica francesa, recebendo a classificação de ” 5 Diapasons”. Foi também escolhido como um dos cinco melhores discos de música barroca do ano de 2004, pelos exigentes críticos da revista americana “Fanfare”.

Bruno fundou o selo discográfico Paraty com o apoio do distribuidor europeu Integral Distribution, com o objetivo de criar uma nova dinâmica ao disco clássico.

Seu ultimo disco, dedicado as Sonatas para viola da gamba e cravo de J.S.Bach recebeu o “Choc du Monde de la Musique”, uma das mais importantes recompensas discográficas em música clássica. O disco também recebeu a critica de “5 croches” da Pizzicato, revista especializada de Luxemburgo.

As inscrições para o 22º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga em Juiz de Fora - podem ser feitas pelo o site do Pró-Música (http://www.promusica.org.br/) até a véspera do evento, dependendo da disponibilidade de vagas. Os cem primeiros inscritos têm direito a alojamento gratuito e os 150 primeiros recebem alimentação (almoço e jantar) sem custo. As inscrições podem ser feitas no site.

A taxa é de R$ 120, por curso em pagamento com cheque nominal ao Centro Cultural Pró-Música ou depósito no Banco do Brasil (agência 0024-8, conta 6745-8). No caso do depósito, o comprovante deve ser remetido junto com a ficha de inscrição por e-mail (promusica@terra.com.br) ou fax (32) 3216-4787.

O 22° Festival tem o patrocínio de Petrobras, UFJF, ArcelorMittal, Cemig e Prefeitura de Juiz de Fora; apoio de Lei Federal de Incentivo à Cultura, Lei Estadual de Incentivo à Cultura, Funalfa, Institut Français - Consulado Francês, Tribuna de Minas, Colégio dos Jesuítas, TV Panorama e Quilombo Comunicação.

Todas as informações, inclusive a ficha de inscrição, estão disponíveis no site. Acompanhe o Festival e todas as atividades do Pró-Música no Twitter – @promusicajf

Fonte

Portal Click

Projeto Musibraille em Campo Grande/MS


O Projeto Musibraille, que desenvolveu um programa de computador específico para que deficientes visuais possam estudar música, passa por Campo Grande entre os dias 1 e 3 de junho. A capacitação ocorre no Instituto Sul-Mato-Grossense para Cegos Florisvaldo Vargas (Ismac). Executado com patrocínio da Petrobras, que seleciona projetos culturais através de edital nacional, o Musibraille surgiu com o intuito de criar condições favoráveis ao aprendizado da música por pessoas com deficiência visual de maneira equivalente aos colegas de visão normal.

Esta é a primeira vez que o projeto que surgiu em 2008 vem à Capital de MS. De acordo com o responsável pela audioteca do Ismac, Orlando Britto, o programa Musibraille permite que qualquer cego estude com um professor comum de música, pois apresenta no computador a partitura em duas formas, normal e braille. “Muitos alunos cegos querem fazer um curso ou uma faculdade de música e esbarram em barreiras impostas pelos próprios professores, que se julgam incapazes de ensinar os deficientes”, relata.

Orlando Britto é autodidata em música. Aos 53 anos, músico profissional, ele conta que toca violão desde os 11. “Eu participei do lançamento do Musibraille em Brasília, há dois anos. Fui convidado para executar o Hino Nacional. Eu toco, mas não conheço teoria musical e espero poder um dia estudá-la através desse programa”, destaca. O Projeto Musibraille começou com a criação de um software gratuito para estudo da música por cegos e hoje leva capacitações de como utilizá-lo para todo o Brasil.

Uma curiosidade sobre a musicografia braille é que ela foi desenvolvida por Louis Braille em 1828 antes da adaptação do método para a escrita. Através desta técnica, um texto musical de qualquer complexidade pode ser transcrito para a forma tátil e facilmente assimilado pelos deficientes visuais. O programa Musibraille está disponível gratuitamente para download no site: http://www.musibraille.com.br/download.htm


FONTE

A CRITICA MS

Odair Cabeça de Poeta & Grupo Capote


Odair Cabeça de Poeta é baiano, tocou bateria com os Novos Baianos e também foi parceiro de Tom Zé. Mas principalmente... Odair foi precursor do estilo forróck, juntamente com seus companheiros do Grupo Capote. Como curiosidade, a música ‘A feira da fruta’ foi usada na dublagem escraxada do seriado do Batman, que ficou conhecida na internet como ‘Batima’.


Músicos: Odair Cabeça de Poeta (Voz, Viola, Percussão), Oswaldinho (Acordeom), Edgar (Violão baixo, Baixo), Koelho (Bateria e Bongô), Mathias (Percussão, Vocal).

O conjunto musical brasileiro Grupo Capote esteve em atividade durante a década de 1970. Criado pelo cantor e compositor Odair Cabeça de Poeta, também tocava às vezes em parceria com o músico Tom Zé. O repertório misturava ritmos tradicionais nordestinos, como o forró e o maxixe, com os instrumentos eletrônicos e a batida típicos dos grupos de rock, e sobretudo uma boa dose de humor nas letras.

Odair e o Capote gravaram discos como O Forró Vai Ser Doutor (1975) e Rebuliço (1979). Seus componentes incluiam o próprio Odair e o guitarrista Ronaldo Paschoa.

Embora não exista mais, o Capote ganhou a atenção dos internautas brasileiros: sua canção Feira da Fruta foi a música-tema de uma sátira conhecida como "Filme do Batiman" ou "Batiman Feira da Fruta", onde um episódio inteiro da série clássica do personagem Batman foi redublado com inúmeros palavrões e diálogos inverossímeis. A sátira foi gravada em 1981 e é redescoberta e difundida pela internet desde 2003.

"Grupo Capote No Forrock", sem dúvida, o melhor disco do grupo de Odair. Lançado no início dos anos 70, este álbum trazia como diferencial uma proposta musical até então inédita, a fusão de ritmos nordestinos com a música jovem, o pop/rock. O disco traz dez músicas com letras bem humoradas e descontraídas. Tem composições de Gordurinha, Dorival Caymmi e Tom Zé. Mas o destaque vai para a faixa “A feira”, música que chamou muita atenção pelo seu refrão, que ao ser cantado soava como se tivesse dizendo um palavrão e chegou a ser proibida sua execução em rádios.

Revista Pop - Editora Abril - Outubro/1976
 ****

Revista Pop - Abril/1978

1972 Grupo Capote no Forróck
1. Xeque-mate blue
2. Bomlero
3. Carolina vai Carolina vem
4. Paulada no coqueiro
5. A feira da fruta
6. Forróck
7. Fiz uma viagem
8. Tu tá comendo vrido

9. Eu disse que disse
10. Minha calma espiritual imediata

1974 Odair Cabeça de Poeta & Grupo Capote
1. Buxixo na aldeia
2. A vida de um
3. Caminho do G
4. Abre ala
5. Moringa moringa
6. Teia de aranha
7. Paranauê
8. Feriado
9. O início
10. Maria
11. Picadeiro
12. Xi-qui-ri

1974 Compacto Continetal (Tom Zé com Odair Cabeça de Poeta)
1. Botaram tanta fumaça
2. Dodó e Zezé

1975 O Forró Vai ser Doutor (& Grupo Capote)
1. Sertão de Nova York
(Odair Cabeça de Poeta / Tom Zé)
2. O Forró Vai Ser Doutor
(Odair Cabeça de Poeta / Tom Zé)
3. Luar de Iô Iô
(Odair Cabeça de Poeta / Tom Zé)
4. Estrada de Canindé
(Luis Gonzaga / Humberto Teixeira)
5. Solada
(Odair Cabeça de Poeta)
6. Loucura Amor
(Odair Cabeça de Poeta)
7. Filomena e Fedegoso
(Jackson do Pandeiro / Elias Soares)
8. Seu Nepomuceno
(Odair Cabeça de Poeta)
9. Você Inventa
(Tom Zé / Odair Cabeça de Poeta)
10. Placar Diferente
(Odair Cabeça de Poeta)
11. A Dor É Curta e o Nome Cumprido
(Tom Zé / Odair Cabeça de Poeta)
12. Os Pingos da Chuva
(Oswaldinho / Odair Cabeça de Poeta)

1976 A Forronática e o Forramba (& Grupo Capote)
Este lp de 1976 que vem com o destaque “mulher corintiana”. O disco traz a mistura dos ritmos nordestinos com o rock.

1. Tranca da janela
2. Amigos
3. Mariquinha
4. Vazio
5. Feitiço do saci
6. Mundo só
7. Forramba no castelo doido
8. Arrepio do ébrio
9. Isso é bonito
10. Lamento
11. Mulher corintiana

1978 Águas e Mágoas (& Grupo Capote)
1. Águas e mágoas
2. Druma Madri
3. Carmem
4. Negra
5. Tempestade em tempo bom
6. Kalu
7. A figueira
8. Ontem à noite
9. Natural
10. Força do destino
11. Vamos abrir o jogo
12. Bem vindo o sol

1979 Rebuliço (& Capote)
“Reboliço”, outro dos excelentes álbuns desse artista baiano que sumiu da praça, lançado em 1979, nele Odair conta com participações importantes como Clementina de Jesus, Vicente Barreto e Oswaldinho do Acordeon.

1. Fada faça aquilo
2. O casamento e o frango
3. Terra
4. A outra que há outra
5. Não é navio... É um barco
6. Rebuliço
7. Jamais
8. Política do acarajé (com Clementina de Jesus)
9. Doce sonho doce
10. Não deixe de lembrar
11. Big boy
12. Antibiótico

1982 Odair Cabeça de Poeta
Este disco, conhecido como “Dragão”, embora não seja o nome oficial, pode ser considerado como o seu primeiro álbum solo, sem o Capote. Mesmo assim, o estilão não muda, ele mantém aqui a mesma sonoridade e jeito dos discos anteriores. Quer dizer, muito bom! Como destaque, eu chamaria a atenção para três faixas: “Bibelô chinês”, “Casca de banana” que é de Morais Moreira e Paulinho Boca e a regravação de “Tu tá cumendo vrido” de Gordurinha, presente no primeiro lp, “A feira”.

1. O dragão que São Jorge matou não morreu
2. Samba na lua
3. Balanço das ondas
4. Andaças
5. Distância
6. Tudo vai passando
7. Casca de banana
8. Tu tá cumento vrido
9. A bruxa
10. Quando o país começa a cantar
11. Bibelô chinês
12. Eu canto prá você
13. As figuras estão voltando
14. O dragão

1986 Repolho Podre e os Rabanetes Delinquentes
Todas as composições são do Odair, sendo que algumas em parceria com Paulinho Boca de Cantor e Marina Cortopassi.

1. Rocambole
2. Quanto a gente caminhou
3. O índio
4. Repolho podre e os rabanetes delinquentes
5. Novo planeta
6. Toque-toque
8. Balanço das ondas
9. Toda a vez que se fala no mar
10. Baton na boca
11.Quebrando esquinas

**Odair Cabeça de Poeta / Música: Rock da Concordata**



FONTE

EU OVO

vinil velho

wikipédia

Toque Musical

Ary Barroso


Ary de Resende Barroso (Ubá, Minas Gerais, 7 de novembro de 1903 — Rio de Janeiro, 9 de fevereiro de 1964) foi um compositor brasileiro de música popular, ficou famoso por seus sambas, sendo conhecido como autor de Aquarela do Brasil onde ficou consagrado, considerada uma expressão dos chamados “samba-exaltação”, foi também indicado ao Oscar de melhor canção original com a música Rio de Janeiro do filme Brasil (1944).


Filho do deputado estadual e promotor público João Evangelista Barroso e Angelina de Resende. Aos 8 anos, órfão de pai e mãe, Ary foi adotado pela avó materna, Gabriela Augusta de Resende. Realizou estudos curriculares na Escola Pública Guido Solero, Externato Mineiro do prof. Cícero Galindo, Ginásios: São José, Rio Branco, de Viçosa, de Leopoldina e de Cataguases. Estudou teoria, solfejo e piano com a tia Ritinha. Com doze anos já trabalhava como pianista auxiliar no Cinema Ideal, em Ubá. Aos treze anos trabalhou como caixeiro da loja "A Brasileira" e com quinze anos fez a primeira composição, um cateretê "De longe".

Em 1920, com o falecimento do tio Sabino Barroso, ex-ministro da Fazenda, recebeu uma herança de 40 contos (milhões de reis). Então, aos 17 anos mudou-se para o Rio de Janeiro para estudar Direito, ali permanecendo sob a tutela do Dr. Carlos Peixoto. Aprovado no vestibular, ingressa em 1921 na então Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, atual Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A Faculdade seria importante na consolidação da veia artística, esportiva e política. Quando calouro, foram colegas de Faculdade mais chegados:Luís Galotti (jurista, dirigente esportivo e posteriormente ministro do STF), João Lira Filho (jurista e professor), Gastão Soares de Moura Filho (dirigente esportivo), João Martins de Oliveira, Nonato Cruz, Odilon de Azevedo (ator), Taques Horta e Anésio Frota Aguiar (jurista, político e escritor).

Adepto da boemia, é reprovado na Faculdade, abandonando os estudos no segundo ano. Suas economias exauriram o que o fez empregar-se como pianista no Cinema Íris, no Largo da Carioca e, mais tarde, na sala de espera do Teatro Carlos Gomes com a orquestra do maestro Sebastião Cirino. Tocou ainda em muitas outras orquestras.

Em 1926 retoma os estudos de Direito, sem deixar a atividade de pianista. Dois anos depois é contratado pela orquestra do maestro J. Spina, de São Paulo, para uma temporada em Santos e Poços de Caldas. Nessa época, Ary resolve dedicar-se à composição. Compõe "Amor de mulato", "Cachorro quente" e "Oh! Nina", em parceria com Lamartine Babo, seu contemporâneo na Faculdade de Direito.


Foto do casamento de Ary Barroso com Yvonne,
em 26 de fevereiro de 1930


Em 1929 obtém, finalmente, o bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais. Seu colega de Faculdade e grande incentivador, Mário Reis, grava "Vou a Penha" e "Vamos deixar de intimidades", que se tornou o primeiro sucesso popular.


Nos anos 1930, escreveu as primeiras composições para o teatro musicado carioca. Aquarela do Brasil teve a primeira audição na voz de Aracy Cortes e regravada diversas vezes no Brasil e no exterior.


Recebeu o diploma da Academia de Ciências e Arte Cinematográfica de Hollywood pela trilha sonora do longa-metragem Você já foi à Bahia? (1944), de Walt Disney.


A partir de 1943, manteve durante vários anos o programa A hora do calouro, na Rádio Cruzeiro do Sul do Rio de Janeiro, no qual revelou e incentivou novos talentos musicais. Também trabalhou como locutor esportivo (proporcionando momentos inusitados ao sair para comemorar os gols do seu time o CR Flamengo).


Autor de centenas de composições em estilos variados, como choro, xote, marcha, foxtrote e samba. Os maiores sucessos de Ary Barroso foram "Aquarela do Brasil",  No Tabuleiro da Baiana (1936) e Na Baixa do Sapateiro (1938), Os Quindins de Yayá (1941), Boneca de piche (com Luis Iglésias); "Dá Nela", "É Luxo Só", "No Rancho Fundo" (com Lamartine Babo), "Risque", "Faceira"; Rio de Janeiro (1945), que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de melhor canção original; entre outros.


Durante os a década de 1940 e a década de 1950 compôs vários dos sucessos consagrados por Carmen Miranda no cinema. Ao compor Aquarela do Brasil inaugurou o gênero samba-exaltação.


No centenário do compositor Ary Barroso (2003), a Rede STV SESC SENAC foi a única a produzir um documentário especial de 60 minutos sobre a vida deste brasileiro único, intitulado "O Brasil Brasileiro de Ary Barroso", com depoimentos de Sérgio Cabral (biógrafo), Dalila Luciano, Carminha Mascarenhas, Carmélia Alves, Roberto Luna, e a filha de Ary Barroso, Mariúza . A direção foi de Dimas Oliveira Junior e produção de WeDo Comunicação.


Ary Barroso também era locutor esportivo. Torcedor confesso do Flamengo, torcia descaradamente a favor do rubro-negro nas transmissões que eram feitas pelo rádio. Quando o Flamengo era atacado, ele dizia mensagens do tipo:"Ih, lá vem os inimigos. Eu não quero nem olhar.", se recusando claramente a narrar o gol do adversário. Quando o embate era realizado entre equipes que não fossem o Flamengo, sempre que saía um gol, primeiro ele narrava, e depois tocava uma gaita.

Morreu no Rio de Janeiro, em 1964, de cirrose hepática decorrente do alcoolismo, e está enterrado no Cemitério de São João Batista.

Legado
Estátua do compositor no bairro do Leme

Ary Barroso foi o artista mais gravado por Carmen Miranda, com 30 músicas. Ao todo são conhecidas cerca de 264 composições de sua autoria. Aquarela do Brasil por exemplo, teve centenas de gravações mundo afora e, até hoje, é uma das músicas que mais produz direitos autorais no exterior. Dentre as homenagens póstumas ao compositor, estão estátuas em sua homenagem na sua cidade natal, Ubá, e no Rio de Janeiro, onde morou boa parte de sua vida. A família de Barroso tenta montar um museu em sua homenagem com seu acervo, dividido entre as duas cidades.


Em 1988, Ary Barroso inspirou o enredo "Aquarilha do Brasil" apresentado pela Escola de Samba União da Ilha do Governador. Em um desfile alegre e muito bonito a escola cantou a história do compositor e de suas paixões.

FONTE

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Roberto e Meirinho


Imagine uma noite agradável de moda de viola com os amigos Fafá de Belém, Leonardo, Chitãozinho e Xororó, Roberto e Meirinho... Interessante, né.

"Tu Tá Cumendo Vrido" by Roberto & Meirinho

Além da fusão de ritmos, do sertanejo romântico ao forró, e uma boa pitada de humor que caracterizam as apresentações da dupla Roberto e Meirinho... o que também chama a atenção é o "elenco" de compositores que estes divulgadores da MPB interpretam em seus discos.

Seu repertório traz nomes, como: Gordurinha; Luiz Gonzaga; José Homero Béttio; Tião Carreiro; Lourival Faissal; Tony Damito; Mário Zan e Palmeira; Roberta Miranda; Moacyr Franco; Arnaud Rodrigues e Chico Anísio; Matogrosso e Mathias; Zezé di Camargo e Fátima Leão... entre outros.

A dupla Roberto e Meirinho também gravou "Seguirei Meu Caminho", versão da música Yo seguiré mi camino, de Julio Iglesias.

Nascidos em São José do Rio Preto, Roberto e Meirinho tornaram-se o primeiro fenômeno da música sertaneja a romper fronteiras e apresentar-se no exterior, também o que poucos não sabem é que foram a primeira dupla a gravar com um artista estrangeiro.

Os irmãos iniciaram a carreira tocando bateria em bailes de sua cidade natal. Em 1973, Meirinho mudou-se para São Paulo a fim de seguir a carreira artística. Formou um trio com Tibagi e Miltinho, onde tocava sanfona. Trabalhou em diversas casas noturnas. Com a chegada do irmão a São Paulo, gravaram o primeiro disco, em 1975, que foi um LP misto intitulado "Linha Sertaneja Classe A", onde interpretaram a composição "Tu tá comendo vidro", um forró.

O primeiro grande sucesso foi na década de setenta com a música “TU TÁ CUMENO VRIDO”, de Gordurinha que vendeu na época 1 milhão de discos, quase tornando-se marcha de carnaval.

A música "Tú Tá Cumendo Vrido" também conhecida como "Chupando Gelo"; "Pedra d'agua"; "Tu Tá Chupando Vrido"... foi gravada em vários LPs da dupla Roberto e Meirinho tendo sua composição atribuida ao cantor e compositor Gordurinha, assim como no LP lançado em 1972 por Odair Cabeça de Poeta e Grupo Capote. Contudo, a música já foi lançada por outros interpretes tendo sua autoria atribuida ao compositor Edésio Deda.

No início da década de 80 foi inevitável, o disco com a música “A NOITE DO NOSSO AMOR” somando a sucessos como “SANFONA FURADA, FUNGADO NA BARRA, PRANTO ESCONDIDO”, alcançou a marca expressiva de “1 milhão e quatrocentos mil discos”, vendidos. Noite do nosso amor", que projetou a dupla, e lhes rendeu um disco de ouro.


O melhor momento da carreira da dupla ocorreu em 1980, quando lançaram seu quarto disco, onde se destacaram quatro composições. Surgiram na trajetória outros inúmeros sucessos como “LÁGRIMAS” que rendeu mais dois discos de platina e dois de ouro, também “VAMOS LÁ PRA VER, TÔ NAQUELA QUE JOGARAM NA GENI”, entre tantos outros.

Destacaram-se, também, com "Dona de mim", de Roberto, João Antunes e Martinez, "Volta pra mim", de Maracaí e João Antunes, "Procurando tu", de Antônio Barros e J. Luna e "Te amei pra valer", de Menino Celles e Gladis. Outros discos de ouro foram obtidos com as composições "Lágrimas", "Forró no escuro" e "Motoqueiro apaixonado".

A dupla Roberto e Meirinho também fizeram parte do elenco do filme "O Menino da Porteira" uma das maiores bilheterias de todos os tempos no cinema brasileiro.


Roberto e Meirinho também foram protagonistas durante anos da "Linha Sertaneja Classe A" da RÁDIO RECORD.

Consagrados não só como intérpretes, mas compositores, Roberto e Meirinho são responsáveis por inúmeros sucessos entre eles a música “VÁ PRO INFERNO COM SEU AMOR”, música que até hoje é uma das mais executadas em todo o Brasil, até hoje são lembrados como um dos melhores shows da música sertaneja, e grandes nomes têm como inspiração suas apresentações marcantes nos palcos!

A história dessa fabulosa dupla foi interrompida em 29/06/2002 com o falecimento do Meirinho. Após essa perda Roberto deu uma pausa na carreira e retomou as atividades em 2006 lançando dois trabalhos solo como Roberto Meirin homenageando seu irmão.

Em 2007, atendendo pedidos e sugestões de amigos Roberto uniu seu talento e experiência ao filho do Meirinho, seu sobrinho Meirinho Jr, que usufruindo o que aprendeu com a dupla durante todos os anos de convivência, vem demonstrando intimidade com os palcos e exibindo seu dom para compor, exemplo uma das novas músicas de trabalho “SUCESSO NACIONAL”.

O novo álbum “ É EU BEM” mostra que “A DUPLA ORGULHO DO BRASIL” está de volta com um trabalho cheio de inovações mas sem perder a essência que consagrou ROBERTO E MEIRINHO.

Vale ressaltar que no ano de 2009 a dupla recebeu o troféu "Destaques do Ano" e a indicação para o "Prêmio Mult Show" no ano de 2010. No decorrer de sua carreira foram: Mais de 10 milhões de discos vendidos; 01 disco diamante; 04 discos de platina duplos; 02 discos de platina; 06 discos de ouro; Troféu Imprensa.

ROBERTO E MEIRINHO - CONTATOS PARA SHOWS:
e-mail: robertoemeirinho@hotmail.com



DISCOGRAFIA DE ROBERTO E MEIRINHO
LPS E CDS
ROBERTO E MEIRINHO - 1974
1) Meu Apelo - Juliano Rivas
2) Passa a Mão na Peneira Nega - Neder e Roberto
3) Se a Minha Cama Voasse - Lourival dos Santos e Sebastião Víctor
4) O Que Sou Lembra Você - José Béttio e Sebastião Víctor
5) Tempero de Amor - Milton José e Tião Carreiro
6) A Viola - Dr. Alves Lima, Lourival dos Santos e Tião Carreiro
7) Tá Pegando Fogo na Minha Casinha - Wanderley Martins e Gentil Spank
8) Ela Pede e Eu Não Dou - Lourival dos Santos e Sebastião Víctor
9) Ah Se eu te Pego - Gentil Rossi e Joaquim Moreira
10) Saudade de Você - José Russo, Meirinho e E. Carvalho
11) Tu Tá Cumeno Vrido - Gordurinha

OS BICHOS DO MATO - 1975
1) Forró no Escuro - Luiz Gonzaga
2) Perdi Meu Canivete - Roberto e Meirinho
3) Assim Não Posso Ficar - Cláudio Balestro e Lourival dos Santos
4) Eu Preciso de Você - Rufino Delfino, Robinson Garcia e Antônio Jurca
5) Vivo Por Viver - Meirinho e Tapuã
6) Coração de luto - Teixeirinha
7) Folia de Reis - Arnaud Rodrigues e Chico Anísio
8) O Jacaré de Pijama - Jair Gonçalves
9) Bicho Quem Foi que te Mordeu - Meirinho
10) Só Gosto de Você - Meirinho
11) Que Bobo Fui Eu - Meirinho e Caçula
12) Urgentíssimo - Meirinho e Paulo Kiko

FORRÓ NO ESCURO

SERTANEJO CLASSE "A" - 1977

1) Nasci Para Te Amar - Ramoncito Gomes
2) Recordações - Mário Zan e Palmeira
3) Quero Comprar Teus Olhos - Ramoncito Gomes
4) Não Vá Embora - Ramoncito Gomes
5) O Despeitado - Praense e Roberto Paschoa
6) Pedacinho de Gente - Ramoncito Gomes
7) Homem Apaixonado - Roberto e Meirinho
8) Show da Viola - Sulino e Moacir dos Santos
9) Meu Amor é Só Você - Roberto e Meirinho
10) Menina Tentação - Meirinho e Da Silva
11) Eu Gosto Muito de Alguém - Meirinho e Télio Dutra
12) Sem Você é Tão Ruim - Meirinho e Milton José

A DUPLA ORGULHO DO BRASIL - VOLUME 4 - 1979
1) Pranto Escondido - Ronaldo Adriano e Rubens Avelino
2) A Noite do Nosso Amor - Jack e Abel
3) Não Tenho Outra Saída - Oreco e Nestor Machado
4) Grande Lição de Amor - Antônio Ramos
5) Ainda te Quero - Juquinha e Ninão
6) Teu Desprezo - Geraldo Blota, Cláudio de Barros e Serafim Costa Almeida
7) Sanfona Furada - Meirinho e José Homero Béttio
8) O Amor Fala Mais Alto - Ninão e Zé do Bode
9) Nada Mais Quero de Ti - Bié e Prado
10) Quando a Gente Ama - Duduca e Rubens Avelino
11) A Vida é um Regaço - Tito, Eugênio e Velho Tatau
12) Fungando na Barra - Ari Soares e Candango do Ypê

AGUENTA CORAÇÃO - 1980
1) O Que Sou Lembra Você - José Béttio e Sebastião Víctor
2) Vivo por Viver - Meirinho e Tapuã
3) Só Gosto de Você - Meirinho
4) Passa a Mão na Peneira Nega - Nader e Roberto
5) Eu Preciso de Você - Rufino Delfino, Róbison Garcia e Antônio Jurca
6) Ah Se eu te Pego - Gentil Rossi e Joaquim Moreira
7) Se a Minha Cama Voasse - Lourival dos Santos e Sebastião Víctor
8) Assim Não Posso Ficar - Cláudio Balestro e Lourival dos Santos
9) Saudade de Você - José Russo, Meirinho e E. Carvalho
10) Bicho Quem Foi que te Mordeu - Meirinho
11) Que Bobo Fui Eu - Caçula
12) Meu Apelo - Juliano Rivas

ROBERTO E MEIRINHO - 1981
1) A Noite é uma Delícia - Matogrosso, Mathias e Meirinho
2) Romance Maravilhoso - Everaldo Ferraz e Meirinho
3) Preciso Tanto de Carinho - Juliano Rivas e Roberto
4) Bandido do Amor - Peão Carreiro e Meirinho
5) O Preço de uma Noite - Marcel Melo e Loswaldo Duarte
6) Quando a Gente Gosta de Alguém - Miltinho Rodrigues e Peão Carreiro
7) Indiferença - Ed. Mendes, Marcelo Gonçalves e Meirinho
8) Dá um Cheiro no Seu Nêgo, Nêga - Poeta e Meirinho
9) Vamos com Alegria - Palito Ortega - Versão: Meirinho
10) Uma Vez e Nunca Mais - Jack, Paraíso e Benedito Seviero
11) Coração Amargurado - Ronaldo Adriano e Oswaldo Filho
12) Enquanto Viver Vou Cobrar - Itapuã, Magda e Meirinho

A Dupla Orgulho do Brasil - VOLUME 6 - 1982
1) Amor e Regaço - José Homero, L. Duarte e Benedito Seviero
2) Eu, Você e o Travesseiro - Benedito Seviero, Da Silva e Meirinho
3) Seguirei Meu Caminho - Ramos e Julio Iglesias - Versão: Fernando Adour e Petrônio

Altemar Dutra - Seguirei meu caminho (Seguiré mi camino)
4) O Melhor que já Vivi - Meirinho, José Russo, César e Gorgozinho
5) Saibas que te Amo - Walmir e Perturbado
6) Quero Beijar-te as Mãos - Arcênio de Carvalho e Lourival Faissal
7) Motoqueiro Apaixonado - Meirinho e Sebastião Ferreira da Silva
8) Capela - Tony Damito
9) Todo Mundo Quer Comer - Meirinho e Luis de Lara
10) Gente de Rádio - Waldemar Reis, Roberto e Vicente Figueiro
11) Último a Saber - Waldemar Reis, Roberto e Vicente Figueiro
12) Quero Sua Resposta - Meirinho e Poeta

VOLUME 7 - 1985

1) Lágrimas - Roberto e Maracai
2) Maçã do Amor - Jack e Júlio Guidini
3) Jóia Preferida - Edinho e Meirinho
4) Oração de um Jovem Triste - Alberto Luis
5) Vamos Lá Pra Ver - Antônio Barros
6) Paixão e Desejos - Meirinho e Losvaldo Duarte
7) Força da Saudade - Duduca, Meirinho e Laércio Flores
8) Coronel Antônio Bento - Luis Wanderley e João do Vale
9) Hei Mulher - Roberta Miranda e Taquaí
10) Tô Naquela que Jogaram na Geni - Meirinho

OS BICHOS DO MATO - VOLUME 8 - 1987

1) Te Amo - Chico Amado e Edinho da Mata
2) O Vento Levou - Roberto, Maracaí e Aparecido Abel
3) Amo Você - Meirinho, Souza e R. Piemonte
4) Talvez - Airton, Marcos e Meirinho
5) Biquinho Doce - Meirinho e Laércio Flores
6) Um Pouco de Você - Roberto e Maracaí
7) No Brilho do Teu Olhar - Fátima Leão e Juraides da Cruz
8) Último Pedido - Ronaldo Adriano, Meirinho e Manoel Egidio
9) Culpada - Silveira e Meirinho
10) O Boticão - Everaldo Ferraz e Guaracy Sampaio
11) Eu Vou te Deixar de Cama - Lourival dos Santos, Fogosa e Tião Carreiro
12) Tô Doidim - Maracaí, Roberto e Meirinho

JOVEM GUARDA SERTANEJA - 1990
1) Caminhos - Maracaí e Roberto
2) Boi Bumbá - César Augusto, César Rossini e A. C. de Carvalho
3) Momentos - José Homero, Santana e Roberto
4) A Saudade Dura a Vida Inteira - Waldemar de Freitas Assunção e Roberto
5) A Noite do Nosso Amor - Jack e Abel
6) Valeu a Pena - Elias Muniz e Sebastião Ferreira da Silva
7) Arrepia os Cabelinhos - Roberto, Santana e Sebastião Ferreira da Silva
8) Metade de Mim - Caio Michel, Mangabinha e Meirinho
9) Meu Travesseiro - Milton Nellis, Português da Mata e Meirinho
10) Uma Lágrima na Garganta - Livi

SUCESSOS - 1991


NOTA 10 - 1993

1) Dona de Mim - Roberto, João Antunes e Martinez
2) Amor Carente - Roneri
3) Morto de Saudade Sua - Zezé di Camargo e Fátima Leão
4) Leve a Solidão - Milton Nellis e Meirinho
5) Procurando Tu - Antônio Barros e J. Luna
6) Volta Pra Mim - Maracaí e João Antunes
7) Te Amei Pra Valer - Menino Celles e Gladis
8) Loucura - Maracaí e Dimarco
9) Te Amar é o Meu Mal - Alex e Arthur
10) Passa a Mão na Peneira Nega - Roberto e Neder

RAÍZES SERTANEJAS - 1998

1) A Noite do Nosso Amor - Jack e Abel
2) Nasci Para Te Amar - Ramoncito Gomes
3) Pranto Escondido - Ronaldo Adriano e Rubens Avelino
4) Nada Mais Quero de Ti - Bié e Prado
5) Ainda Te Quero - Juquinha e Ninão
6) Homem Apaixonado - Roberto e Meirinho
7) Recordações - Mário Zan e Palmeira
8) Teu Desprezo - Geraldo Blota
9) O Amor Fala Mais Alto - Ninão e Zé do Bode
10) A Vida é um Regaço - Tito, Eugênio e Velho Tatau
11) Quero Comprar Teus Olhos - Ramoncito Gomes
12) Não Vá Embora - Quero Comprar Teus Olhos
13) Eu Gosto Muito de Alguém - Meirinho e Télio Dutra
14) Quando a Gente Ama - Duduca e Rubens Avelino
15) Sanfona Furada - Meirinho e José Homero Béttio
16) Não Tenho Outra Saída - Oreco e Nestor Machado
17) Menina Tentação - Meirinho e Da Silva
18) Grande Lição de Amor - Antônio Ramos
19) Pedacinho de Gente - Ramoncito Gomes
20) Fungado na Barra - Ari Soares e Candango do Ypê

ROBERTO E MEIRINHO - 1999


1) Amor e Loucura -
2) Que Diabo Você Tem -
3) Estou nos Braços da Saudade -
4) Tempero da Paixão -
5) O Que Sou Lembra Você - José Béttio e Sebastião Victor
6) Nheco Vari Fum -
7) Eu Preciso de Você - Rufino Delfino
8) Cowboy Apaixonado -
9) O Pernilongo da Vila -
10) Caminhoneiro Apaixonado -
11) Deixa Dar Cheirinho -
12) Flor Matogrossense -
13) Fungado na Barra - Ari Soares e Candango do Ypê
14) Pra Ficar Sempre Contigo -

O MELHOR DE ROBERTO E MEIRINHO

1) Cumendo Vidro - Gordurinha

2) O Que Sou Lembra Você - José Béttio e Sebastião Victor
3) Tô Doidim - Maracaí, Roberto e Meirinho
4) Forró no Escuro - Luiz Gonzaga
5) Vamos Lá Pra Ver - Antonio Barros
6) Recordações - Mário Zan e Palmeira
7) Tempero de Amor - Nilton José e Tião Carreiro
8) Quero Beijar-te as Mãos - Arsênio de Carvalho e Faissal
9) Lágrimas - Roberto e Maracaí
10) Coronel Antonio Bento - Luiz Vanderlei e João do Vale
11) A Noite do Nosso Amor - Jack e Abel
12) A Viola - Dr. Alves de Lima, Lourival dos Santos e Tião Carreiro
13) Oração de um Jovem Triste - Alberto Luiz
14) Quem eu Amo Não me Quer Bem - Praense e Roberto Páscoa

ROBERTO E MEIRINHO


1) Solidão na Minha Porta -
2) Nóis tá na Fita -
3) Paixão que Não Tem Jeito -
4) Chuva Fininha -
5) Ausência -
6) Tú Tá Que Tá -
7) Na Rede -
8) De Olho no Seu Rebolado -
9) O Sabor do Seu Amor -
10) Tudo é Festa (Guariba) -
11) Pula Ne Mim -
12) Um Sete Um (Galinhagem) -

ROBERTO MEIRIN - VOLTEI

1) Lágrimas - Roberto e Maracaí
2) Fungado na Barra - Ari Soares e Candango do Ypê
3) Loucuras de Amor -
4) Tô Doidim - Maracaí, Roberto e Meirinho
5) Camisa Branca - Vicente P. Machado e Paraíso
6) O Bodão -
7) Expresso Boiadeiro -
8) Passa a Mão na Peneira Nega - Neder e Roberto
9) Ainda Ontem Chorei de Saudade - Moacyr Franco
10) Tu Tá Comendo Vrido - Gordurinha
11) A Noite do Nosso Amor - Jack e Abel
12) Festa no Barraco -
13) Eu Amei Demais -
14) Vá Pro Inferno Com Seu Amor - Meirinho

É EU BEM - 2008

1) É Eu Bem -
2) Paixão Doida -
3) Pagando Mico -
4) Me Pegou -
5) Ainda Ontem Chorei Por Você -
6) Agora é Pra Valer -
7) Sucesso Nacional - Meirinho Jr
8) Circuito de Rodeio -
9) Despedi Meu Patrão -
10) O Bodão -
11) Tu Tá Cumeno Vrido - Gordurinha
12) A Noite do Nosso Amor - Jack e Abel
13) Lágrimas - Roberto e Maracaí
14) O Chorão -

É EU BEM - 2008

1) É Eu Bem -
2) Paixão Doida -
3) Pagando Mico -
4) Me Pegou -
5) Ainda Ontem Chorei Por Você -
6) Agora é Pra Valer -
7) Sucesso Nacional - Meirinho Jr


8) Circuito de Rodeio -
9) Despedi Meu Patrão -
10) O Bodão -
11) Tu Tá Cumeno Vrido - Gordurinha
12) A Noite do Nosso Amor - Jack e Abel
13) Lágrimas - Roberto e Maracaí
14) O Chorão -

SUCESSOS EM DOSE DUPLA


1) Motoqueiro Apaixonado -
2) Lágrimas - Roberto e Maracaí
3) A Noite do Nosso Amor - Jack e Abel
4) Pranto Escondido - Ronaldo Adriano e Rubens Avelino
5) Sanfona Furada - Meirinho e José Homero Béttio
6) Nasci pra Te Amar - Ramoncito Gomes
7) Arrepia os Cabelinhos - Roberto, Santana e Sebastião Ferreira da Silva
8) Nada Mais Quero de Ti - Bié e Prado
9) Recordações - Mário Zan e Palmeira
10) Teu Desprezo - Geraldo Blota
11) Tu Tá Comendo Vidro - Gordurinha
12) O Amor Fala Mais Alto - Ninão e Zé do Bode
13) A Vida é um Regaço - Tito, Eugênio e Velho Tatau
14) Vamos Lá pra Ver - Antonio Barros
15) Fungado na Barra - Ari Soares e Candango do Ypê
16) Não Vá Embora - Ramoncito Gomes
17) Grande Lição de Amor - Antônio Ramos
18) Passa Mão na Peneira - Neder e Roberto
19) Quando a Gente Ama - Duduca e Rubens Avelino
20) Ainda te Quero - Juquinha e Ninão
21) Procurando Tu - Antônio Barros e J. Luna
22) Homem Apaixonado - Roberto e Meirinho
23) Forró no Escuro - Luiz Gonzaga
24) Paixão e Desejos - Meirinho e Losvaldo Duarte

MOTOQUEIRO APAIXONADO



MEIRINHO - ESTOU FELIZ - 1968 - CHANTECLER - CH-3176


MEIRINHO - O PRÍNCIPE DA SANFONA - CHANTECLER


MEIRINHO NA SANFONA

1) Pão de Açúcar - Paulo Rogério
2) Silveira Coelho - Meirinho e Teddy Vieira
3) Reboliço - Meirinho e Milano
4) Preto Velho no Chamego - Meirinho e Milano
5) Baile do Garrincha - Meirinho e Benedito Seviero
6) Twist a Caipira - Meirinho e Nízio
7) Dominique - Soeur Sourire
8) Vai que é Mole - Meirinho e Raimundo Lopes
9) Baião de Festa - Meirinho e Zacarias Mourão
10) Feitiço Espanhol - Meirinho e Maria Helena
11) Forró de Baiano - Meirinho e Loló
12) Meirinho na Sanfona - Meirinho e José Russo

MEIRINHO - XOTE AZUL - 1972
1) Xote Azul - Nízio
2) Pica Pau - Alberto Calçada
3) Marcando Passo - Meirinho e Linda Maria
4) Roubei a Gauchinha - Pirigoso
5) Largando Brasa - Meirinho e José Anacleto
6) Paulistinha - Nestor e Mario Agnaldo
7) Fole Furado - Meirinho e Teddy Vieira
8) Baile Antigo - Santana e Miranda
9) Gaúcho é Gente Boa - Meirinho e Lidia Camargo
10) Carinhoso - Meirinho e Maria Alice
11) Dançando Xote - Mario Agnaldo
12) Caldo Verde - Alberto Calçada

FONTE

Dicionário MPB

RECANTO CAIPIRA

P.O. BOX


A banda P.O. BOX foi fundada em 1997, em Goiânia, Goiás. A formação inicial tinha Carlinhos Santos nos vocais e violão, Jairo Reis nas guitarras e violões e Ocione Reis no contrabaixo e vocais. Em 2003, a banda suspendeu as atividades, também fazia parte da formação os irmãos Nelson Araújo e Neil Araújo, que se desligaram e hoje estão em outras atividades musicais.

P.O. BOX grupo pop formado em Goiás por músicos de baile, tornou-se conhecido em todo o país com o sucesso "Papo de jacaré", do CD homônimo lançado no mesmo ano, que contou com a produção de Robertinho de Recife.

O conjunto, tendo como principais integrantes Carlinhos Santos (voz) e Jairo Reis (guitarra), misturava funk, o rock e o reggae com ritmos brasileiros. É interessante notar que seu disco de estréia foi gravado ao vivo, fato pouco comum tratando-se da indústria fonográfica.

Como o grupo já era bastante conhecido em Goiás, o diretor artístico da EMI, Torquato Mariano, optou por gravar o disco ao vivo, na cidade de Inhúmas, para registrar o entusiasmo do público, estratégia que deu certo, pois em 2000, "Papo de jacaré" foi a segunda música mais executada na rádio FM O Dia.


A Banda goiana P.O Box fez muito sucesso nos anos de 1998 á 2002. Um dos principais sucessos foi "Papo de jacaré". Foi no verão de 2000 que aquele refrão grudou na mente de todos: “Vou te bater uma real/ Vou dizer que sou o tal/ Bater um papo no café/ É papo de jacaré/ Mas vê se fala por favor/ A minha língua/ Que já tem até uma íngua/ Por causa do seu inglês”.

O grupo composto por: Carlinhos Santos (Voz e Violão), Nelson Araújo (Guitarras, violão e vocal), Jairo Reis (Guitarras, violão nylon e vocal), Ocione Reis (Baixo e vocal) e Neil Araújo (Bateria, programações e vocal).

P.O Box tinha a agenda de shows lotada e chegava a cobrar para se apresentar-se em programas de grande audiência, como o Domingão do Faustão e Xuxa Park. Várias outras músicas chegaram até serem temas de novelas como "Não Tô Entendendo", musica-tema da atriz Daniella Whinits na novela Uga-Uga.


Discografia

Até o Sol Raiar

1999 - Papo de Jacaré - Ao Vivo
2001 - A Festa Continua


Neil Araujo e Nelson Araujo, ex – integrantes da banda P.O.BOX que foi sucesso no verão de 2000 com a música “Papo de Jacaré”, e Davi Ribeiro, formam a Banda Trevo. Com letras de músicas que mencionam do romantismo até os problemas sociais, a nova banda segue o estilo POP/ROCK Nacional, e assim como o antigo grupo, pretende conquistar crianças, jovens e adultos.

A Banda já possui até Fã-Clube Oficial que pode ser visitado no endereço eletrônico http://www.faclubebandatrevo.cjb.net/, lá o internauta pode ouvir um trecho das músicas e entrar em contato com Fã-Clube para mais esclarecimentos e novidades.


FONTE

Dicionário MPB



domingo, 29 de maio de 2011

Twister


Twister foi uma banda brasileira formada em 2000. A banda inicialmente era composta por Sander (guitarra), Léo (baixo), Luciano (teclado), Gilson (bateria) e Alex (guitarra). Todos eles já trabalharam com música e tocam instrumentos musicais. Léo, por exemplo, já fez parte de bandas de rock e de heavy metal, assim como Sander, que já tocou em bandas de rock.

O grupo Twister surgiu depois da descoberta do vocalista Sander pelo empresário Hélio Batista em um bar de São Paulo. Nessa época, 1998, Sander tocava guitarra fazendo covers da banda Pearl Jam pelos bares da cidade. Ao receber a proposta do empresário, o próprio Sander saiu à procura dos outros integrantes para compor o grupo. Foi para Campinas fazer aulas de música onde conheceu Luciano e Gilson, e juntos formaram o Twister.


No mesmo ano possuía mais um integrante do grupo twister, que era o Thiago ( músico contratado de Hélio Batista). De volta a São Paulo, o grupo começou a ensaiar todos os dias e a buscar uma gravadora. Em 1999 conheceram Leonardo,(que entrou no lugar do Thiago, por motivos particulares teve que sair) que aceitou integrar a banda depois de largar seu emprego em um estúdio.

Já com a formação completa, em 2000 lançaram o álbum Twister, primeiro trabalho da banda gravado pela Abril Music. O hit "40 graus" alcançou o primeiro lugar das paradas de sucesso e o álbum vendeu 250 mil cópias.


Em 2001, Luciano resolve abandonar o grupo depois de ter alguns desentendimentos com o empresário. Alex entra na banda para continuar a formação de quarteto. Dois meses depois, o grupo resolve mudar de empresário e chamam Luciano de volta - o Twister passa então a ser um quinteto.

Em março de 2001 viajam para Los Angeles com uma proposta da gravadora para o lançamento do primeiro CD em espanhol. Em junho o CD Twister é lançado nos Estados Unidos, México e Porto Rico e o grupo fica em turnê durante um mês, passando por Miami, Los Angeles e Porto Rico. Esse CD não chegou a ser lançado no Brasil.

Ainda em 2001, a banda é convidada para abrir um show da banda 'NSync no México, em um estádio com capacidade para 100 mil pessoas.


Posteriormente, em 2002, lançou o seu terceiro álbum, Mochila e Guitarra no Avião, que continha inclusive uma versão em português reescrita por Gilson, Mauri Lima e Carlinhos Pessoa de I Drive Myself Crazy, da banda 'NSync.

Mas, o ano de 2002 foi marcado por imprevistos na carreira do grupo. Um deles foi o fechamento oficial da gravadora Abril Music e o projeto para lançamento do novo CD não aconteceu. O outro foi a prisão de Sander por posse de drogas.

Em 2003 Sander resolve montar outra banda chamada Methamorfose, e deixa o grupo. Mais recentemente, o Leo gravou um CD e segue sua carreira solo fazendo shows ao lado da cantora Thaeme, vencedora da 2ª edição do programa Ídolos, no SBT.


FONTE

Vanessa Rangel


Vanessa Teixeira Rangel (Niterói, 29 de julho de 1971) é uma cantora brasileira.

Palpite, Vanessa Rangel

Tô com saudade de você
Debaixo do meu cobertor
E te arrancar suspiros
Fazer amor
Tô com saudade de você
Na varanda em noite quente
E o arrepio frio
Que dá na gente
Truque do desejo
Guardo na boca
O gosto do beijo...

Eu sinto a falta de você
Me sinto só
E aí!
Será que você volta?
Tudo à minha volta
É triste
E aí!
O amor pode acontecer
De novo prá você
Palpite!...

Tô com saudade de você
Do nosso banho de chuva
Do calor na minha pele
Da língua tua
Tô com saudade de você
Censurando o meu vestido
As juras de amor
Ao pé do ouvido
Truque do desejo
Guardo na boca
O gosto do beijo...

Eu sinto a falta de você
Me sinto só
E aí!
Será que você volta?
Tudo à minha volta
É triste
E aí!
O amor pode acontecer
De novo prá você
Palpite!...(2x)

E aí!
Será que você volta?
Tudo à minha volta
É triste
E aí!
O amor pode acontecer
De novo prá você
Palpite!


Cantora, compositora, instrumentista e violonista, aos nove anos de idade Vanessa Rangel começou a tocar violão. Formou-se em Direito pela Universidade Federal Fluminense e chegou a trabalhar na Segunda Instância da Justiça Federal, mas abandonou a carreira de advogada para dedicar-se à música. Anos mais tarde, retornou à carreira de servidora pública federal.

Iniciou sua carreira artística em 1995, apresentando-se em espaços culturais cariocas. No ano seguinte, gravou uma fita demo produzida por Ary Sperling.

No final de 1997, gravou o CD Vanessa Rangel, lançado no ano seguinte. Com dez músicas de sua autoria, o destaque era a canção Palpite, incluída na trilha sonora da telenovela da Por Amor, da Rede Globo, além da regravação de Acontece (Cartola).



O disco contou com a participação de Ary Sperling (produção musical, piano, programação de teclados e violão), Rogério Meanda e Sérgio Chiavazzoli (guitarra) e Fernando Nunes (baixo), além de Kika Tristão, Aline Cabral e Xico Puppo nos vocais. Palpite foi regravada pelo grupo Terra Samba.

Participou do CD 14 Bis - bis, interpretando, com Lô Borges, a faixa Sonhando o Futuro (Lô Borges e Cláudio Venturini).



Em 2000, Vanessa Rangel lançou seu segundo disco, Mediterrâneo, que contou com a participação de Fernando Nunes e Décio Crispim (baixo), Sidinho Moreira (percussão), Cesinha (bateria), Rogério Meanda (guitarra) e Ary Sperling (produção musical, arranjos, regência, teclados e violão de aço), além de Aline Cabral, Jurema de Cândia e Xico Pupo (vocais).

No repertório, canções de sua autoria, com destaque para Do Avesso (incluída na trilha sonora da telenovela Vila Madalena, da Rede Globo), Por Toda a Vida Agora e a faixa-título, entre outras, além de Paisagem na Janela (Lô Borges e Fernando Brant).

Ainda no ano 2000, sua canção Palpite foi selecionada como uma das músicas dos anos 90 na coletânea As Cem Melhores do Século e as 14 Mais, organizada por Ricardo Cravo Albin dentro do acervo fonográfico da gravadora EMI/Odeon.


  • Discografia
1997: Vanessa Rangel
2000: Mediterrâneo



FONTE

WIKIPÉDIA

Dicionário MPB