sábado, 17 de julho de 2010

Dire Straits



Dire Straits foi uma banda de rock britânica formada em 1977 por Mark Knopfler (guitarra e vocais), seu irmão David Knopfler (guitarra), John Illsley (baixo) e Pick Withers (bateria). Embora formada em uma época em que o punk rock reinava absoluto, decidiram lidar com as convenções do rock clássico, firmando-se em uma sonoridade mais leve, que agradou ao público cansado do som super produzido do rock dos anos 70. Não tardou para que a banda se tornasse conhecida mundialmente, ganhando o status de disco de platina logo em seu primeiro álbum. Mesmo com "pouco" tempo de banda e apenas 6 álbuns de estúdio, a banda ultrapassou a marca de 100 milhões de discos vendidos mundialmente.

Entre suas canções mais conhecidas estão "Sultans of Swing", "Lady Writer", "Your Latest Trick ", "Romeo and Juliet", "Why Worry", "So Far Away", "Money for Nothing", "Walk of Life", "Tunnel of Love" e "Brothers in Arms".

Sultans of Swing

Lady Writer

Your Latest Trick

Romeo and Juliet

Apesar do grande sucesso, a banda terminou sem estardalhaços em 1995, quando Mark Knopfler expressou o desejo de não mais fazer turnês em larga escala, passando imediatamente a se dedicar integralmente à sua carreira solo.

O Dire Straits gravou e lançou seu primeiro e auto-intitulado álbum em 1978 embora a banda tenha sido criada em 1977. Fez sucesso inicialmente no Reino Unido, para depois se espalhar pelo resto da Europa e então Estados Unidos. O single Sultans of Swing alcançou as paradas britânicas.

O segundo álbum Communiqué foi lançado no ano seguinte. A formação da banda mudou ao longo dos anos, restando somente Mark Knopfler e John Illsley como remanescentes da formação inicial.

Dire Straits em Hamburg, 1978 John Illsley, Mark Knopfler, Pick Withers, David Knopfler.

Why Worry

Aumentando a complexidade

Em 1980 a banda lançou seu terceiro álbum, Making Movies, marcando o início de arranjos mais complexos e produções que continuariam parecidas até o final do grupo, nos anos 1990. Contendo Romeo and Juliet, que se tornou um dos maiores hits da banda, o álbum também marcou a saída de David Knopfler enquanto sua produção ainda estava em progresso. O músico foi substituído por Sid McGinnis. Making Movies ainda contava com o tecladista Roy Bittan e foi produzido por Jimmy Iovine.

So Far Away

O tecladista Alan Clark e o guitarrista Hal Lindes se uniram à banda no quarto álbum, Love Over Gold, lançado em 1982 e primeiro álbum da banda produzido por Mark Knopfler. Logo após o lançamento do álbum o baterista Pick Withers deixou a banda para uma nova carreira no jazz. Seu substituto foi Terry Williams, anteriormente no Rockpile.

Em 1983 foi lançado um EP contendo a canção Twisting by the Pool, sendo seguido pelo álbum ao vivo duplo Alchemy: Dire Straits Live, no ano seguinte.

Money for Nothing

Era Brothers in Arms

O Disco Brothers in Arms foi lançado em 1985 tornando-se, até então, o disco mais vendido do Reino Unido em todos os tempos. Alcançou também o topo das paradas em dezenas de países mundo afora, incluindo o Brasil. Foi origem de vários singles de sucesso, como o hit número 1 nos Estados Unidos Money for Nothing, que foi também o primeiro videoclipe apresentado na MTV do Reino Unido.


Houve mudanças na formação da banda, com a adição do segundo tecladista Guy Fletcher e a saída de Hal Lindes durante as gravações, tendo sido substituído por Jack Sonni. Apesar disso Hal permaneceu como membro oficial da banda até o lançamento do álbum. Além disso, Terry Williams tornou-se baterista. O sucesso comercial do disco foi ajudado pelo fato de ter sido um dos primeiros álbuns completamente gravado e produzido no então novo formato CD, levando aos admiradores da nova tecnologia a venerarem o álbum.

A turnê mundial da banda de 1985-1986 foi de sucesso fenomenal. Após tocar várias vezes no Wembley Arena, a banda também participou em 13 de julho de 1985 no Live Aid, tocando Money for Nothing com a participação nos vocais de Sting, que ajudou na composição da música. A turnê terminou no Entertainment Centre em Sydney. O sucesso do disco e a participação no Live Aid tornaram o Dire Straits a banda que mais vendeu em meados da década de 1980.

Walk of Life

Era pós-Brothers in Arms

Em 1986, após o final da turnê de suporte ao álbum Brothers in Arms, a banda estendeu-se fora da mídia e Mark Knopfler concentrou-se em projetos solo, além de trilhas sonoras. O grupo reuniu-se novamente para o concerto de aniversário de 70 anos de Nelson Mandela em 1988, que contou com outras grandes participações como o Bee Gees, Phil Collins, Eric Clapton entre outros. No mesmo ano Terry Williams deixou a banda.


Após Knopfler ter trabalhado e participado de turnê com o Notting Hillbillies, o Dire Straits reuniu-se em 1990. O resultado foi o último álbum de estúdio da banda, On Every Street (1991), com sucesso e críticas moderadas.


A turnê mundial de 1991-1992 não foi tão bem sucedida quanto a anterior.

Em 1993 foi lançado o álbum ao vivo On the Night, documentando a turnê.


Tunnel of Love

Final da banda

Seguindo o lançamento de Live at the BBC, uma coleção de gravações ao vivo de seus anos anteriores, a banda terminou sem alardes em Junho de 1995, após Knopfler expressar não querer mais grandes turnês, partindo para um trabalho em tempo integral em material solo e trilhas sonoras de filmes, enquanto os outros integrantes partiram para carreiras distintas.

Brothers in Arms


fonte

https://pt.wikipedia.org/wiki/Dire_Straits

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Maria Augusta


Maria Augusta sempre viveu dentro de um ambiente musical e, desde cedo , teve o privilégio de assistir a verdadeiras jam sessions em sua casa , com gente hoje muito famosa:Ivan Lins , Egberto Gismonti , Helio Delmiro , Gonzaguinha e muitos outros.

Carioca, Maria Augusta morou em Brasília por 15 anos. La iniciou suas incursões pela música , participando de festivais e apresentando -se em casas noturnas .

Depois de um ano realizando pesquisas e estudando em Nova York ,na New York University, voltou ao Brasil trazendo na bagagem um profundo interesse pela música americana , em especial o Jazz , com o qual flertara desde sempre.

Na sua volta ,Maria Augusta se encontra com Roberto Menescal e deste encontro resultou seu primeiro trabalho : CLASSIC IN BOSSA - o cd teve excelente crítica e é tocado em vários países pelo mundo inteiro - " …aí está um CD destinado aos que tem bom gosto e querem ouvir uma versão brasileira de dois sucessos de sempre. E ,cá pra nós, orgulhos tupiniquins à parte ,Maria Augusta está valorizando estes grandes de sempre… Apalusos em pé a Maria Augusta". ALEXANDRE GARCIA

"Maria Augusta sempre valeu a pena. É uma cantora que canta com a alma ,tem uma força interpretativa bastante forte… arte com ela não vem de fora para dentrp…Tem um bom gosto na escolha do repertório: canta bem música brasileira e standards americanos…" GUINGA

" Maria Augusta vive em tempo de jazz…" DURVAL FERREIRA.

Interesses pessoaisFotografia,artes plásticas,poesia,música,caminhar na natureza ouvindo música no i-pod,por sinal sua música com Produção de Roberto Menescal pode ser comprada no I-Tunes.
INFORMAÇÕES DE CONTATO@mariaaugustaleoniEnviar mensagem agoramariaaugusta@ig.com.br
MAIS INFORMAÇÕESSobreCantora,gravou dois discos para o exterior que já totlizaram-se em mais de 60 coletâneas onde participa com duas músicas

Biografia
MARIA AUGUSTA sempre viveu dentro de um ambiente musical e, desde cedo, teve o privilégio de assistir a verdadeiras jam-sessions em sua casa, com gente hoje muito famosa: Ivan Lins, Egberto Gismonti, Guinga, dentre outros. Seu pai, Pedro Paulo de Leoni, criou a Radiobrás, além de ter trabalhado em outras rádios como Rádio Roquette Pinto e criou a Radio Nacional Fm. Compositor bissexto,chegou a ter músicas suas gravadas por Ângela Maria e Marlene,cantora com a qual conviveu a vida inteira,assim como com Adelaide Chiozzo, outro baluarte da Música Brasileira.


Carioca, MARIA AUGUSTA morou em Brasília por 15 anos.Lá iniciou suas incursões pela música, participando de festivais e apresentando-se em casas noturnas dando canja.Aos 16 já tinha se apresentado na Itália com muito sucesso; ganhou um concurso dentre cem participantes (cujo prêmio era ir para o programa do Raul Gil) e foi convidada pela melhor casa noturna para cantar nos horários nobres,mas seu pai não deixou por ela ser menor.Passou para a Faculdade de Letras-em que se formou- e em primeiro lugar para a Faculdade de Artes Dulcina,que completou,Junto com a Faculdade Dulcina de Moraes, fazendo 4 semestres. Maria Augusta é também poeta e pintora.


Após uma temporada de um ano em Nova York,desembarcou no Rio trazendo na bagem um profundo interesse pela música americana, em especial o jazz, com o qual flertava há muito tempo, e com uma acertada decisão:cantar.Desta sua decisão, seguiram-se aulas de canto,que aprimoraram a sua técnica vocal,e o decisivo encontro com ROBERTO MENESCAL.O depoimento de Menescal explica como surgiu o convite para gravar com ele um CD de Clássicos americanos.

Com seus violões e arranjos de Menescal ,teclados de Gilson Peranzetta, contra-baixo de Adriano Giffoni e bateria de Raimundo Bittencourt Barney. O disco,hoje no exterior em vários países como Japão,Estados Unidos,Dinamarca,Singapura, etc destaca-se por trazer, na interpretação de MARIA AUGUSTA composições já consagradas por grandes interpretes , agora sublinhadas com um sotaque brasileiro pela batida intimista da Bossa Nova e executadas por Roberto Menescal, um mago da Bossa Nova.


Depois de vários elogios de gente muito gabaritada como Antônio Adolfo,Alexandre Garcia,Guinga ,João Carlos Assis Brasil, Roberto Menescal ,Billy Blanco e Durval Ferreira e baseado no primeiro disco, surgiu um convite da Revista Seleções Reader’s Digest para fazer um Segundo cd, chamado “más que nada classic in bossa”,já com algumas músicas em Português.

Fez shows com Chiquito Braga, Adriano Giffoni, Helvius Vilela, o cantor Luiz Cláudio, Marcelo Salazar, além de dividir o palco primeiro com Marlene e Miltinho e depois com Leila Pinheiro, Lucinha Lins , Erasmo Carlos ,Sebastião Tapajós, Marcel Baden, Dóris Monteiro,convidada pelo inesquecível mestre Billy Blanco.Também fez show com Edson e Tita lobo,Fernando Merlino e Don Chacal.Foi convidada pela ABL-Academia Brasileira de Letras para um show comemorativo dos 90 anos de Vinícius de Moraes.


Quem quiser saber mais ou ouvir Maria Augusta, entre no google e procure por Maria Augusta Bossa Nova, que agora passou a ser seu “sobrenome”.


Contato: mariaaugustaleon@ig.com.br

Prêmioscandidata,junto com Emílio Santiago ao prêmio Sharp 97, em idioma estrangeiro.
Informações pessoaisArtista plástica,poeta e cantora.