quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Allana Macedo


Cantora, compositora. Nascida em Brasília, criada em Planaltina cidade do Distrito Federal cercada por fazendas e que ainda guarda os costumes e tradições de Goiás. Nasceu e cresceu ouvindo música sertaneja. Seu avô Baltazar, violeiro, sanfoneiro e cantor de boas modas passou a veia artística para todas as gerações da família. E que sorte da música que, dessa tradicional família do interior do Brasil, surgia a Allana Macedo.


Desde cedo, Allana cantava nas festas de família e de amigos e, logo que aprendeu a tocar violão, começou a aflorar seu talento, a compor e a fazer apresentações por onde passava. Quando mais velha decidiu gravar um vídeo cantando e, ao enviá-lo ao Youtube, começou a ganhar força na internet e um grande público fiel. A partir daí não parou mais de gravar vídeos e se destacar em grandes sites como revelação.


Com mais de 8 milhões de visualizações no Youtube, mais de 130 mil fãs no Facebook, 29 mil seguidores no Instagram e 4 milhões de downloads de suas músicas, Allana Macedo já se tornou um dos maiores nomes femininos do sertanejo atual e vem se destacando cada vez mais no cenário nacional.


Desde 2013, Allana Macedo realizou shows por todo o Brasil com sua turnê, dentre São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Em 2017 lança sua nova música de trabalho "Direitos Iguais".

FONTE

https://www.allanamacedo.com/

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Rafaela Miranda




"Rimar ou não rimar. Eis a questão". Gostei mais das músicas onde as palavras cantam e as rimas foram praticamente dispensadas... "Oh Como doí" (Paiero) e "Conta pra ela"

A lagopratense Rafaela Miranda vem conquistando uma legião de fãs por onde passa. Seja pelo seu jeito simples, ou pela sua INCRÍVEL voz. A mineira recentemente assinou com a ÁudioMix, que é uma das maiores empresas de gerenciamento artístico do país, responsável por revelar, posicionar e gerenciar a carreira dos principais artistas do mercado sertanejo.


A artista lançou recentemente a música “Luz Apagada” que já alcançou mais de 100 mil visualizações no Youtube. Além disso, Rafaela está prestes a lançar seu primeiro CD pela Universal Music e já no segundo semestre de 2016, a cantora irá gravar seu primeiro DVD. Pela primeira vez em Lagoa da Prata nessa nova fase de sua carreira, Rafaela irá cantar ao lado da dupla Jorge e Mateus e nós do Sou + Lagoa batemos um papo com ela. Confira:


1. Como você se sente levando consigo o nome de Lagoa da Prata por onde passa?
Rafaela Miranda: Com certeza, me sinto lisonjeada. Lagoa da Prata é minha cidade natal, onde construí todos os meus sonhos. Por isso, acredito que por onde eu for, por onde passar, eu tenho que levar o nome da cidade sim, porque tudo começou aqui. Tenho muito orgulho dessa cidade!


2. Os lagopratenses têm muito orgulho de seus talentos, seja no esporte, com Gilberto Silva e na música, com você. Para os que estão começando agora, qual a dica que você dá para não desistirem?
Rafaela Miranda: Estou começando a trilhar o meu caminho na música e, graças a Deus, hoje estamos trabalhando bastante pra chegar onde queremos chegar. Então, a dica que dou se resume em uma única frase: “Não existe fracasso, existe resultado”, é preciso acordar e ir atrás.



3. Qual tem sido a sua maior dificuldade em chegar aonde quer chegar?
Rafaela Miranda: A maior dificuldade pra chegar onde pretendo chegar foi o preconceito com mulher no sertanejo. Em muitos locais onde bati na porta pedindo oportunidade para cantar, diversas vezes sentia que as pessoas não levavam tão a sério o trabalho, sem mesmo nunca nem ter me ouvido.


4. Como você se sente cantando ao lado de Jorge e Mateus, uma das maiores duplas sertanejas do nosso país?
Rafaela Miranda: Cantar com Jorge & Mateus é mais um sonho realizado. Agradeço demais por essas oportunidades e pela força que eles têm me dado.


5. Seu videoclipe tem um sucesso no Youtube e a música é linda, quando um novo clipe será lançado?
Rafaela Miranda: “Luz Apagada” tem tido uma repercussão bacana tanto na internet quanto nas rádios de todo o Brasil. O próximo trabalho audiovisual será o DVD, que tem lançamento previsto para o segundo semestre deste ano.


6. Qual a pessoa que mais te apoiou neste caminho? E qual a mensagem tem a dizer para ela?
Rafaela Miranda: Minha mãe. Tem outras pessoas que também me apoiaram bastante, mas ela é minha maior incentivadora, se mudou comigo para Goiânia. A mensagem que tenho para ela é de agradecimento: obrigada por estar comigo, ter investido nesse sonho. Obrigada por tudo e por estar ao meu lado sempre. Te amo e que Deus nos abençoe.


7. Aos que duvidaram, o que você diria para eles?
Rafaela Miranda: Diria para que não subestimem ninguém.



Recado: Muito obrigada a toda equipe do Portal Sou + Lagoa por esse espaço e pela oportunidade de contar um pouquinho mais da minha história para vocês! Grande beijo!





FONTE

http://soumaislagoa.com.br/sou-lagoa-entrevista-rafaela-miranda/

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Mariana Fagundes



Mariana Fagundes nasceu em Aparecida do Taboado, no Mato Grosso do Sul. Passou parte da sua infância e adolescência em Inocência, nesse mesmo Estado.



Vinda de família de músicos, ela recebeu influências do tio Vicente Dias, autor de músicas que fizeram sucesso na voz de cantores famosos como “Amor Perfeito”, Amado Batista e “Sonhei com você”, Milionário e José Rico. Desde muito cedo, Mariana Fagundes soltava a voz. Aos oito anos de idade já realizava shows e apresentações musicais em festas e arenas de rodeio da região em que morava.


Cantora e compositora, passou parte da sua trajetória musical em palcos de banda show como vocalista. Neste período, viajou por todo Brasil, potencializando sua bagagem cultural e musical, o que a incentivou a ter coragem para seguir carreira solo. Participou de vários programas em rede nacional, como o Programa da Eliana, no quadro "Tem um Cantor Sertanejo lá em Casa", Programa do Raul Gil no quadro "Mulheres que Brilham" e se apresentou com grandes nomes do cenário Sertanejo, subindo degrau por degrau em busca do seu sonho.




Mariana alcançou também grande ascensão ao participar do Programa "Hora do Faro" do apresentador Rodrigo Faro, onde contou toda a sua história de vida e superação após se recuperar completamente que 3 acidentes que quase tiraram sua vida.



Ficou conhecida no meio dos "boleiros" por figurar sua música Agora Chora no programa de esportes e entretenimento "Jogo Aberto", que conta a apresentação de Renata Fan e Denilson Show.


Participou do quadro "Boteco do Ratinho" no Programa do Ratinho onde fez dueto com o cantor Pablo do Arrocha e impressionou o apresentador ao interpretar a canção "I Will Always Love You" da cantora Whitney Houston, tema do filme "O Guarda-Costas"; relembrando assim seus tempos de Banda Baile.

Uma de suas músicas do seu primeiro álbum "Diamante" há pouco tempo foi gravada com a parceria do cantor Renato Teixeira em uma versão exclusiva para o YouTube, mostrando assim seu potencial em vários estilos musicais. A música tem como título "Vagalume".



Como consequência do seu talento, o lançamento “Tô Ficando Louca” ultrapassou 3 milhões de visualizações no YouTube e o single “Agora Chora”, do segundo CD, tem quase 2 milhões de visualizações.




Hoje com toda experiência, Mariana Fagundes lança seu quinto disco, que inclui os sucessos SÓ VOCÊ NÃO VÊ que em menos de 24h alcançou a marca de 4 milhões de acessos no YouTube, FLORES DE PLÁSTICO, MUDEI DE BAR, ETIQUETA e BARULHO DO VENTILADOR, VÁLVULA DE ESCAPE entre outros.


Seu primeiro DVD “Mariana Fagundes Ao Vivo em São Paulo” conta com a participação da dupla renomada Thaeme & Thiago, do cantor Léo Santana e da dupla Denis & Renan.


Em agosto de 2016 gravou seu sucesso É SÓ ME CHAMAR com a cantora Naiara Azevedo, dona do hit "50 reais", que hoje tem mais de 5 milhões de views, recentemente fez uma participação no clipe do cantor Xand de uma das bandas mais influentes do país, Aviões do Forró, gravando a mesma música É SÓ ME CHAMAR que será lançada em breve.


Dona de uma voz marcante com timbre forte, Mariana Fagundes possui agenda cheia de shows e viaja o Brasil todo com sua nova turnê.





fonte

http://marianafagundes.com.br/site/

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Novo álbum dos Tribalistas


Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown anunciam novo álbum dos Tribalistas e mostram quatro inéditas

Quinze anos após união para projeto, trio apresenta canções inéditas e divulga trabalho em rede social. Tribalistas estão de volta: Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown. Os Tribalistas estão mesmo de volta. Em 2016, alguns burburinhos davam indícios da retomada do projeto de Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown.

E nesta quinta-feira (10), o trio usou as redes sociais para divulgar quatro músicas inéditas: “Diáspora”, “Um só”, “Fora da memória” e “Aliança”. Elas farão parte do novo disco dos Tribalistas e ganharam clipes que mostram imagens dos artistas em estúdio.

Lyric Vídeo






Fonte

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

A Profética "Fico Assim Sem Você" - Claudinho e Buchecha


Ano de 2000, o compositor Abdullah passeia com a sua esposa e - em um momento de brincadeira - começa a criar declarações para a amada de maneira divertida. Entre elas "Você é a manteiga do meu pão" ou " Eu sem você sou que nem carro sem gasolina". No dia seguinte, inspirado pelo agradável momento romântico, compôs com o amigo Cacá Moraes a música "Fico Assim Sem Você", na qual prestou uma homenagem aos funkeiros Claudinho e Buchecha, qualificando a dupla como tão inseparável quanto "neném sem chupeta", "namoro sem beijinho" ou até mesmo "Romeu sem Julieta".

Ao concluir a divertida composição, Abdullah ligou para o amigo Buchecha para mostrar a novidade, este que por sua vez, obviamente, amou.

Essa novidade foi lançada dois anos depois, no CD "Vamos Dançar", o sexto e último disco da vitoriosa carreira da dupla, e estourou nas paradas de sucesso no mesmo ano em que o profético verso se realizou: "Buchecha sem Claudinho, sou eu assim sem você".

Claudio Rodrigues de Mattos, o Claudinho, faleceu em 13 de julho de 2002, vítima de um acidente de carro na Rodovia Presidente Dutra, deixando esposa e filha. A comoção nacional pela perda da carismática figura que participou ativamente da emancipação e emergência do funk tornou a música mais famosa e tocada sem cessar por bastante tempo. Fãs, artistas e jornalistas manifestaram lamento pela perda do rapaz jovem, bem intencionado e talentoso.

Em 2004, Adriana Calcanhotto regravou a música "Fico Assim Sem Você" no CD "Adriana Partimpim", que propunha trazer uma nova cara às músicas escutadas pelas crianças, usou recursos lúdicos e multi-instrumentistas, na linha de "qualquer coisa que se possa fazer barulho" e agradou muitíssimo à crítica e ao público - e não só o mirim. A música reemergiu e se imortalizou para mais uma geração. E, dessa vez, com uma nova voz, arranjo e - para os mais preconceituosos - acompanhado pelo nome de uma cantora de mais alto nível social que a dupla funkeira do Rio de Janeiro.
Há quem se emocione - eu, por exemplo - até hoje com o correr das linhas dos versos da poética, porém descompromissada letra.


Cantor e compositor Abdullah

Dupla de funkeiros cariocas Claudinho e Buchecha

Último CD da dupla, "Vamos Dançar"

Adriana Partimpim

Fico Assim Sem Você
Claudinho e BuchechaComposição: Abdullah / Caca Moraes

Avião sem asa,
Fogueira sem brasa,
Sou eu assim, sem você
Futebol sem bola,
Piu-piu sem Frajola,
Sou eu assim, sem você...

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim...

Amor sem beijinho,
Buchecha sem Claudinho,
Sou eu assim, sem você
Circo sem palhaço,
Namoro sem amasso,
Sou eu assim, sem você...

Tô louco prá te ver chegar
Tô louco prá te ter nas mãos
Deitar no teu abraço
Retomar o pedaço
Que falta no meu coração...

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo...

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo

Por quê? Por quê?

Neném sem chupeta,
Romeu sem Julieta,
Sou eu assim, sem você
Carro sem estrada,
Queijo sem goiabada,
Sou eu assim, sem você...

Você...

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim...

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas prá poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo...
Por quê? Por quê? (4x)

FONTE

http://musicasdahistoria.blogspot.com.br/2010/04/

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Luiza & Maurílio


A dupla Luiza e Maurílio, composta por uma mineira e um imperatrizense, surgiu em 2015 na cidade de Imperatriz do Maranhão. A dupla ganhou o gosto do público quando alcançou milhares de visualizações em vídeos tocando e cantando nas redes sociais. A partir daí eles começaram a fazer apresentações em boates e barzinhos na região, em grande parte no eixo Imperatriz, Araguaína e Marabá.


Em agosto do mesmo ano, a dupla se mudou para Goiânia e iniciou um projeto independente com 5 músicas, o que despertou o interesse de empresários. Em 2016, Luiza e Maurílio passaram a fazer parte do casting da Workshow, escritório renomado responsável em cuidar da carreira de artistas como Henrique & Juliano, Maiara & Maraisa, Marília Mendonça, Marcos & Fernando, Kleo Dibah & Rafael, Zé Neto & Cristiano, Hugo Del Vecchio, Junior Angelim, Filipe Labre, Paula Mattos, Wanessa Camargo entre outros.


Luiza e Maurílio ganharam o público e elogios de profissionais do mercado quando divulgaram dois vídeos no canal oficial do youtube das canções "Tô Bem" e "Mais Mulher Que a Sua". A dupla surpreendeu o Brasil por causa da voz diferente e marcante de Luiza que harmoniza e encanta com a segunda voz de Maurílio.


No dia 10 de janeiro de 2017, o primeiro DVD da carreira é gravado em Trindade-GO, no Recanto Cabriny. Com produção musical de Marcelo Rodriguez e a direção das imagens de Rafael Terra, da Terra Produções. 

O álbum intitulado de “Luiza e Maurílio Ao Vivo” compõe 17 faixas e até o momento duas músicas do DVD foram divulgadas no youtube: “Pra quê isso?” e “Atrás das Grades”. As novidades estão apenas começando e Luiza e Maurílio ainda vão ter muita história pra contar.


O maior escritório de representação artística do país, a Workshow, que tem no seu casting artistas como Henrique & Juliano, Marília Mendonça, Maiara & Maraísa, Kleo Dibah & Rafael, Zé Neto & Cristiano, Paula Mattos, Wanessa Camargo, entre outros, está de olho em 2017 com novas apostas para o mercado sertanejo.


Luiza & Maurílio, uma mineira de Belo Horizonte e um maranhense de Imperatriz, ficaram bastante conhecidos no ano de 2015 através das redes sociais com vídeos tocando e cantando em bares de Imperatriz no Maranhão.


Contratados no primeiro semestre de 2016, desde então, a dupla desenvolve junto com seu novo escritório o projeto de lançamento nacional e acabam de lançar sua nova música “Mais Mulher Que a Sua”. Além disso, já preparam o lançamento de um DVD, em formato Pocket Show que será gravado no primeiro semestre de 2017, provavelmente em Goiânia – GO.


“Mais Mulher Que a Sua” é uma composição de um time de 08 compositores, são eles Vanessinha PG, Débora Victoria, Bruno Mandioca, Fabrício de Menezes, Junior Magalhães, Helena Carminatti, Henrique Oliver e Léo Pommont.

Para quem curte sertanejo, vale a pena ficar de olho e conhecer mais esse lançamento que deverá conquistar espaço em 2017

Letra:

Mais mulher que a sua – Luiza & Maurílio


Já chega!
Tô tomando raiva do amor por causa disso
Reconheço que eu devia ter sido mais difícil
Tô errada, mas não merecia isso

Passei por cima de princípios por você
Eu aceitei as suas condições com medo de perder
E como é que depois dessa briga à toa
Você vem jogar na minha cara e me dizer

Que eu não passo da outra
Que você não me ama
Que eu não sou boa o bastante
Que só te sirvo na cama

E de hoje em diante
A vida continua
Não me chame de amante
Sou mais mulher que a sua

FONTE

https://viawebradio.com.br/noticias/luiza-e-maurilio-nova-aposta-da-workshow-para-2017/

https://www.palcomp3.com/luizaemaurilio/info.htm

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Haim


Haim (pronuncia-se HY-əm, /ˈhaɪ.əm/, Em hebraico: חיים‎ - Vida e estilizado como HAIM) é uma banda de indie rock de Los Angeles, Califórnia. É formado pelas irmãs Este, Alana e Danielle Haim.


As três irmãs cresceram em San Fernando Valley, ouvindo os clássicos do rock dos anos 1970 e músicas do gênero americana influenciadas por seus pais. Enquanto ainda estavam na escola, os pais formaram uma banda em família chamada Rockinhaimpara tocar covers em feiras de caridade locais. A banda tinha o pai delas, o israelense Mordechai ("Moti") na bateria e Donna, a mãe, na guitarra. Danielle e Este foram integrantes da girl band The Valli Girls.

À medida que cresciam, as meninas tornaram-se mais interessadas em incorporar pop e R&B às suas músicas. Em 2006, elas decidiram formar sua própria banda. Nos cinco anos seguintes, a banda Haim tocou em locais de interesse turístico, mas as coisas não foram adiante, pois as três irmãs estavam ocupadas com outros projetos. Este estava estudando na Universidade da Califórnia e graduou-se em 2010 em etnomusicologia.

Ao se formar no ensino médio, Danielle foi convidada a tocar bateria para na abertura em uma das turnês de Jenny Lewis, que levou Lewis a pedir para Danielle ser sua guitarrista na turnê seguinte. O vocalista dos Strokes, Julian Casablancas assistiu um dos shows de Lewis, e, por sua vez, pediu à Danielle para tocar violão e percussão em sua turnê solo. Ela também fez turnê como parte da Scarlet Fever, a banda de vocais de apoio só de mulheres para Cee-Lo Green.

Foi depois que Danielle tinha tocado com outros artistas e Este se formou que as irmãs decidiram que queriam levar sua carreira como Haim mais a sério. Alana, irmã caçula, passou um ano na faculdade, antes de abandonar o curso para se juntar a banda com suas irmãs.

As três irmãs tocam mais de um instrumento: Este desempenha guitarra e baixo, Danielle toca guitarra e bateria, e Alana toca guitarra, teclados e percussão. Nas gravações e ao vivo, Este toca baixo, Danielle desempenha guitarra e canta os vocais, e Alana toca guitarra junto com teclados e percussão.

Em shows, Este desenvolveu uma reputação por suas brincadeiras grosseiras com a plateia, muitas vezes, envergonhando suas irmãs.

Tendo tocado como banda de apoio de artistas como Edward Sharpe e os Magnetic Zeros, The Henry Clay People e Ke$ha, o primeiro lançamento original de Haim foi um EPcom três canções intitulada Forever que foi disponibilizado em 10 de fevereiro de 2012 como um download gratuito em seu site por um breve período. O EP recebeu muita atenção da imprensa musical e o público em geral, e na sequência de um show de sucesso no South by Southwest Festival, em março de 2012.

Haim assinou um contrato com a Polydor Records no Reino Unido em junho de 2012.

No mês de agosto abriu shows de Mumford & Sons em sua turnê Gentlemen of the Road. A banda fez sua turnê de estreia no Reino Unido em novembro de 2012. e, em seguida, fez turnê junto à Florence and the Machine no Reino Unido e Irlanda em dezembro de 2012. Em 16 de outubro de 2012 Zane Lowe da BBC Radio 1 estreou seu single “Don't Save Me” em seu programa de rádio.


O lado B era “Send Me Down”, diferenciando-se de seus lançamentos anteriores por ter uma notável sonoridade mais hip hop, com harmonias vocais brilhantes na parte superior.


Seu álbum de estreia intitulado "Days Are Gone" foi lançando no dia 5 de agosto do ano de 2013.


O grupo foi eleito por especialistas como a principal promessa da música para 2013 e foi anunciado como o dono do primeiro lugar na pesquisa “Sound of 2013” (Som de 2013), da rede britânica BBC. Um guia que é considerado um dos mais respeitados na área musical. Haim também integrava o levantamento “Brand New for 2013” (Novidades para 2013), do canal MTV, que aponta as principais tendências para o ano.


Em 2015, gravam "Pray to God" do renomado produtor Calvin Harris. Em 2015 gravam "Holes in the Sky" para o filme The Divergent Series:Insurgent.



fonte

https://pt.wikipedia.org/wiki/Haim_(banda)

terça-feira, 18 de julho de 2017

Música e Carro (moto): Uma Viagem a Dois


Como os avanços da indústria automobilística incorporam novas tecnologias para o consumo musical e ajudam a expandir o mercado — e os lucros dos criadores

Ouvir música enquanto se dirige é um hábito quase automático. Espaço que só viu sua importância no consumo de música crescer, o carro sempre acompanhou as mudanças na indústria fonográfica, desde o primeiro aparelho de som (para discos de vinil!) embutido num automóvel, passando pelas fitas cassete, as rádios AM e FM e o bluetooth para audição de músicas a partir de um dispositivo móvel até chegar à incorporação do streaming e à rádio digital via satélite.

Há pelo menos dois anos, os principais modelos lançados nos Estados Unidos já trazem de fábrica um novo sistema de audição de músicas, transmissões esportivas, programas de debates e notícias que promete revolucionar o rádio no carro. No SiriusXM, o usuário compra um pacote de canais, habilita o aparelho do automóvel e pode desfrutar de todo o conteúdo via satélite, mesmo em áreas sem acesso à internet (e, portanto, sem streaming de música por plataformas como Spotify ou Deezer). Nissan, Toyota, GM e Volkswagen são algumas das montadoras que já aderiram ao modelo por lá. Uma alternativa sólida, sem dúvidas, a um avanço tecnológico que começou pela Noruega e que, dizem analistas, não deve demorar muitos anos antes de se consumar em países como o Brasil: o fim da FM.


É boa notícia para os titulares de direitos autorais no Brasil, uma vez que o modelo de cobrança às rádios levado a cabo pelo Ecad e a as associações que o compõem tem regras claras, é mais fiável e garante melhores ganhos do que o streaming, ainda sujeito a pagamentos mais baixos. Na época do anúncio do fim da FM na Noruega, o analista James Cridland afirmou que, “muito provavelmente, os atuais ouvintes de rádio, em vez de migrar para o serviço digital, simplesmente decidirão se conectar ao Spotify e outras plataformas similares” e que o rádio precisaria surpreender para continuar a ter relevância. Agora, ele mesmo diz em seu podcast Future of Radio, no site MediaUK, que sistemas como o SiriusXM podem ser a resposta que se esperava.

O streaming contra-ataca e faz parcerias com grandes montadoras. Spotify e Ford, por exemplo, já chegaram a um acordo por meio do qual os automóveis da fabricante americana saem de fábrica com a plataforma nativa nos aparelhos, dispensando o uso do bluetooth e do celular. O sistema permite controlar o aplicativo com botões no volante.


Diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS Rio), Sergio Branco vê um movimento sem volta na direção do consumo sem mídia em carros. “A gente está na evidência da internet das coisas, um conceito que fala sobre objetos do dia a dia estarem conectados à internet”, analisa. “Plataformas de streaming como o Spotify criam playlists a partir da sua experiência como consumidor e da comparação do seu comportamento com outros usuários com gosto semelhante ao seu, então você não precisa sequer selecionar a música que quer ouvir. O carro já vai 'saber' o que você gosta de ouvir”, diz.




Com o ganho de escala, e melhores pagamentos por stream (demanda global que tem mobilizado criadores, artistas e atores da indústria musical em geral), espera-se um salto considerável nos ganhos nos próximos anos. “Os carros com direção autônoma são uma tendência mundial e que só deve aumentar”, diz o especialista Fabio Perrota Júnior, que antevê um grande crescimento concomitante do consumo de conteúdos audiovisuais pelos motoristas desobrigados de dirigir. “Músicas, filmes e outros produtos são formas de ajudar a distrair no trânsito.” Previsivelmente, espera-se um aumento considerável da produção para abastecer esse mercado em expansão.



// Bolachão tocando no carro? Desvia do buraco!

Os primeiros rádios de carro surgiram no fim da década de 1920, como explica o jornalista especializado em carros Jason Vogel. “Eram uns trambolhos tão grandes que ficavam embaixo do chassi ou dentro do painel. Funcionavam muito mal, de forma precária”, conta ele. Nos anos 1950, começaram a se popularizar os primeiros aparelhos valvulados, geralmente AM e em ondas curtas. Até então, a música não ocupava o maior espaço na programação das rádios, que privilegiavam notícias, programas de debates e informativos em geral. O salto da música ligada a esses aparelhos móveis começou mesmo nos anos 1960. Consolidada a era do rock, e com o pop despontando como a próxima grande revolução musical do século XX, os rádios passaram a vir embutidos nos painéis dos carros e transistorizados, o que diminuiu seu tamanho.

Foi também nessa época que se lançaram os toca-discos de vinil no painel, que comportavam compactos. “Pulava muito (a agulha), por mais mola que tivesse. Não fez muito sucesso”, diverte-se Vogel. “O usuário só foi começar a controlar as próprias músicas lá para o fim dos anos 60, início dos 70, com o primeiro toca-fitas de cartucho”, diz.



Na década de 1970, com o cassete, o toca-fitas virou uma grande febre. “Começaram a aparecer vários modelos. Teve uma onda de roubos, era perigoso você ter no Brasil, porque o pessoal arrombava o carro para tirar o rádio do painel. As marcas sonho de consumo na época eram TKR e Roadstar. A qualidade de som, que até então não era grande coisa, começou a melhorar com os amplificadores”, lembra o jornalista.


Nos anos 1990, surgem os primeiros CD players de carro. No início, assim como o toca-discos dos anos 60, também pulavam muito. “Era uma coisa pouco prática. Até que inventaram o chamado carrossel, um troço que você botava na mala do carro, comportava seis CDs e tinha comando. Isso foi considerado uma evolução, primeiro em qualidade de som, depois porque você não precisava ficar mudando o disco, podia fazer uma viagem do Rio a São Paulo sem ter que trocar nada.”


A revolução, no entanto, não durou nem 25 anos: logo veio o mp3. Formato que também já foi superado, dando passo às atuais aposta da indústria: o rádio digital e o streaming.






**Não vou deixar de fora a música de viagem dos mochileiros...


FONTE

Por Kamille Viola, do Rio
http://www.ubc.org.br/Publicacoes/Noticias/7942

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Thomas Marco Roth


Thomas Marco Roth é um publicitário, produtor musical, compositor e cantor brasileiro. Trabalhou como jurado nas duas primeiras temporadas do Ídolos, e também no programa Astros, ambos do SBT. começou a carreira na produtora Sonima.

Em 1975, gravou um compacto simples com sua música "Quero", gravada também por Elis Regina no LP "Falso Brilhante" (1976) e incluída no repertório do show homônimo.

Quero



Em 1981, abriu a Lua Nova, produtora de fonogramas publicitários.

De 1980 a 1984, atuou em dupla com Luiz Guedes, com que lançou dois compactos, "Canto matinal" e "Como nunca", canções da parceria de ambos, e também os LPs "Extra" e "Jornal do Planeta".

Canto matinal

Constam do repertório do LP "Extra" (1982) suas composições "Milagre do amor", "Angra", "Estradas (Dentro da cabeça)", "Bons tempos", "Chuva de vento", "São Paulo (Coração do tempo)" e a faixa-título, todas com Luiz Guedes, e "Longe demais" (c/ Luiz Guedes e Paulo Flexa), além de "Clube do coração" (Luiz Guedes e Paulo Flexa).



No LP "Jornal do Planeta" (1983), registrou suas canções "Lunar", "Viagens do coração", "Nova estação" e a faixa-título, todas com Luiz Guedes, "Ela sabe demais" (c/ Luiz Guedes e Paulo Flexa), "No galeio do trem" (c/ Murilo Antunes e Luiz Guedes), "Pátria (c/ Luiz Guedes e Fernando Brant) e "Dois e dois: quatro" (c/ Luiz Guedes e Ferreira Gullar), além de "Amoramar" (Luiz Guedes e Paulo Flexa) e "Minha lua boa" (Luiz Guedes e Paulo Flexa).


É proprietário da gravadora independente Lua Discos, pela qual já lançou mais de 60 títulos com vários artistas, como Guilherme de Brito, Jards Macalé, Angela Maria (disco de 50 anos de carreira), Casquinha da Portela, Filó Machado, Rebeca Matta, Virgínia Rosa, Maurício Pereira, Moacyr Luz, Claudio Nucci, Moisés Santana. 


Criou também a LuaWeb, empresa que realiza projetos de áudio para a Internet.


Em 2002, lançou o CD "Luiz Guedes & Thomas Roth", uma compilação das faixas dos compactos e LPs lançados com o parceiro. A renda obtida com a vendagem vem sendo revertida à família de Luiz Guedes, falecido em 1997.

Compôs mais de 200 canções, entre as quais se destacam sucessos de execução em rádio, como "Canção de verão" e "Vôo livre", gravadas pelo grupo Roupa Nova, "Cachoeira", por Ronnie Von, "Chama da paixão", por Jane Duboc, e "Fica Comigo", pelo grupo Placa Luminosa.

Canção de verão

Vôo livre

Cachoeira

Chama da paixão

Fica Comigo

Além dos já citados, constam também da relação dos intérpretes de suas canções Beto Guedes, MPB4, Marcos Sabino, Eliete Negreiros e Simone Guimarães, entre outros.

É considerado um dos principais nomes brasileiros da publicidade.

fonte

http://dicionariompb.com.br/thomas-roth/dados-artisticos