sábado, 29 de abril de 2017

Yago e Santhiago


Com quase 10 milhões de acessos no Facebook e correndo os grupos de WhatsApp de todo o país o vídeo da dupla Yago e Santhiago virou sucesso. Com imitações perfeitas de cantores renomados como Zezé di Camargo e Luciano, Luan Santana, Leonardo, Eduardo Costa, Cesar Menotti e Fabiano, Jorge e Matheus, Chrystian e Ralf, João Bosco e Vinícius, Milionário e José Rico entre outros nomes da música sertaneja, eles estouraram e hoje alavancam uma carreira promissora. O primeiro CD da carreira da dupla, "Porre da Dor" foi lançado e a agenda de shows dos cantores cresce a cada dia.

CIGANOS YAGO E SANTHIAGO E FAMÍLIA


Mas a história desses irmãos ciganos começou muito antes desse vídeo, eles estão na estrada há 18 anos, e como todo bom cigano já passaram por diversas cidades, sempre em busca do sonho da carreira musical. Ainda crianças começaram a cantar na rua e enfrentaram diversas dificuldades vividas por cantores de rua, porém com preconceito maior por serem ciganos, cultura essa que eles nunca esconderam e de que tem muito orgulho.

Na voz desses cantores ousados e talentosos músicas como "Lepo Lepo" da banda Psirico que foi febre no carnaval de 2014 e "Gordinho Gostoso" da dupla Henrique e Juliano ganham versões de ópera na voz dos tenores Yago e Santhiago.


A música faz parte da vida desses irmãos, que aprenderam a cantar e tocar diversos instrumentos com o pai que também é cantor, e esse legado eles também passam para os filhos, que mesmo com pouca idade fazem participações nos shows cantando e dançando arrocha.


A dupla Yago e Santhiago se formou oficialmente há nove anos, depois de muitas idas e vindas por todo o Brasil, enfrentando dificuldades e falta de investimentos, mas há três anos a carreira desses ciganos começou a se profissionalizar graças a um empresário do ramo hoteleiro de Campo Largo, Gil Solto, que acreditou no talento dos irmãos. Já as imitações começaram como uma brincadeira em shows no Hotel Campo Largo e hoje já são marca registrada das apresentações.


Biografia:


Os irmãos Yago e Santhiago nasceram em São Paulo –SP, mas foram criados no interior de Minas Gerais, na cidade de Poços de Caldas.


Yago começou a cantar com apenas 6 anos, fez diversas participações no programa Raul Gil e aos 9 anos de idade integrou a segunda formação do Trem da Alegria, que tinha como madrinha a apresentadora Eliana.


Santhiago já foi radialista, locutor e peão de rodeio e domador de cavalos, veio para o Paraná para fazer parte de uma banda de salsa, além de tocar em bares e festas.


A dupla participou do programa Country Star, na Band, deixando para trás sete mil e quinhentos candidatos garantindo o segundo lugar no programa.

FONTE

http://www.yagoesanthiago.com.br/#biografia

domingo, 16 de abril de 2017

Bruno Mars


Peter Gene Hernandez (Honolulu, 8 de outubro de 1985), mais conhecido pelo nome artístico Bruno Mars, é um cantor, compositor, produtor musical, e multi-instrumentista americano, nascido e criado no Havaí. Vindo de uma família com uma grande tradição musical, Mars começou a cantar e a se apresentar como um artista amador durante a infância. Depois de se formar no Ensino Médio, decidiu mudar-se para Los Angeles, na Califórnia, com o objetivo de investir cada vez mais em sua carreira musical. Em Los Angeles, ele formou a equipe de produtores The Smeezingtons, ao lado de Philip Lawrence e Ari Levine, trabalhando para a Motown Records.


Depois do seu fracasso com a gravadora Motown Records, Mars assinou com a Atlantic Records em 2009. Durante os primeiros meses como artista da editora, ele co-escreveu os arranjos e fez participações em músicas como "Nothin' on You" (2010), do rapper B.o.B, e "Billionaire" (2010), do cantor americano Travie McCoy.


Também participou da composição dos êxitos mundiais "Right Round" (2009), do rapper Flo Rida com participação de Kesha, "Wavin' Flag" (2010), do cantor somali K'naan, e "Fuck You!" (2010), de Cee Lo Green.


Em Outubro de 2010, lançou o seu álbum de estúdio de estreia, Doo-Wops & Hooligans. O álbum atingiu o seu pico na terceira colocação da tabela musical Billboard 200 nos EUA, e recebeu o certificado de disco de platina pela Recording Industry Association of America (RIAA) após vender mais de um milhão de cópias no país.


Seu primeiro single como artista principal, "Just The Way You Are" (2010), ocupou a primeira posição da tabela de singles americana Billboard Hot 100 por quatro semanas consecutivas."Grenade" (2010), ocupou a mesma posição por oito semanas não consecutivas.



O sucesso dos dois singles nos Estados Unidos fazem de Mars um dos seis artistas masculinos na história que alcançaram o topo da Billboard com os dois primeiros singles do mesmo álbum, e o primeiro a fazê-lo em treze anos. Inspirado por lendários artistas como Michael Jackson e Elvis Presley, o intérprete é considerado um dos mais "versáteis e completos artistas de música pop da atualidade", segundo um crítico do prestigiado jornal The New York Times.


Seu segundo álbum de estúdio, intitulado Unorthodox Jukebox, foi lançado em 11 de dezembro de 2012, do qual o primeiro single, a música "Locked Out of Heaven", foi lançado em 1 de outubro. No dia 13 de dezembro de 2012, "Locked Out of Heaven" assumiu a 1ª posição da Billboard Hot 100 e da Hot Digital Songs, graças a seu crescimento nas vendas digitais de 46% em relação a semana anterior. "Locked Out of Heaven" tornou Mars o artista masculino com o maior número de singles número um no menor período de tempo na parada desde 1964, quando Bobby Vinton registrou o mesmo recorde.


O segundo single do álbum, a música When I Was Your Man também chegou a primeira posição na Billboard Hot 100 e foi nomeada ao 56º Grammy Awards na categoria de Melhor Performance Pop Solo.


O terceiro single do álbum foi a canção Treasure que chegou ao top 5 da Billboard Hot 100 e o quarto e último single foi Gorilla.


Depois de terminar a Moonshine Jungle Tour, Mars começou a trabalhar em seu terceiro álbum de estúdio, 24K Magic. Ele escreveu em sua página no Facebook: "Agora é hora de começar a escrever o capítulo 3". O artista não tinha chegado a uma data para o lançamento, afirmando: "Até que seja feito ... Tem que ser tão bom, se não melhor."


Em 25 de março de 2015, o cantor e compositor foi entrevistado pela revista that's Shanghai e forneceu alguns detalhes do novo álbum, confirmando Mark Ronson e Jeff Bhasker como produtores. Ele acrescentou: "Eu quero escrever músicas melhores, eu quero fazer shows melhores, quero fazer melhores vídeos musicais, quero que meu próximo álbum seja melhor do que o primeiro e o segundo". No mesmo ano, Mars esteve envolvido na composição de "All I Ask", uma faixa do terceiro álbum de estúdio de Adele, 25.

Em 2 de dezembro de 2015, foi anunciado que o Coldplay seriam os artistas principais no show do intervalo para o Super Bowl 50 em 7 de fevereiro de 2016. Mars e Beyoncé foram os convidados do no show tornando-os os terceiro e quarto artistas a ter aparecido no show do intervalo Super Bowl duas vezes, juntamente com Justin Timberlake e Nelly, e ultrapassado apenas por Gloria Estefan, com três aparições. Nielsen Ratings confirmou que o show foi assistido por 111,9 milhões de telespectadores, tornando-se assim o terceiro show do intervalo mais visto na história após Katy Perry e Mars foram os principais artistas.


O Grammy Awards de 2016 viram o single de Mars com Mark Ronson, "Uptown Funk", ganharem o Grammy Award de Best Pop Solo Collaboration e Record of the Year, trazendo seu total de vitórias para quatro. Mars estrelou na segunda temporada de Jane, a Virgem como um convidado musical. Em 10 de maio de 2016, Billboard informou que Mars e seu gerente, Brendon Creed, se dividiram após nove anos trabalhando juntos.

No início de 2016, a Rolling Stone classificou o terceiro álbum de Mars como um dos 20 mais aguardados de 2016. O cantor esteve no estúdio com o engenheiro Charles Moniz, que o chamou de "o próximo movimento de Bruno" e confirmou que o álbum estava perto de ser concluído em fevereiro de 2016.

Mars também trabalhou com Skrillex, que afirmou: "o que estamos fazendo é tão diferente, impressionante e próximo nível e soa como nada mais que aconteceu antes". Jamareo Artis dos Hooligans, revelou que ele tem trabalhando no álbum há cerca de um ano, "tentando idéias diferentes e experimentando". Ele acrescentou "vai ter um novo som ... o material é muito groove orientado", previsto para ser lançado este ano. O cantor e compositor Andrew Wyatt também tem trabalhado no álbum.

O pai de Mars confirmou que o álbum estava programado para ser lançado em março e sete canções já foram gravadas, mas a aparição de seu filho no show do intervalo do Super Bowl levou à liberação sendo adiada por vários meses. Mars também tocou algumas de suas novas músicas para a artista americana de hip hop Missy Elliot.


"24K Magic" foi lançado como o single principal de 24K Magic em 7 de outubro de 2016. Foi promovido com o seu desempenho no Saturday Night Live e alcançou o número quatro na Billboard Hot 100. Além disso, alcançou o primeiro lugar na Bélgica, França e Nova Zelândia. Mars se apresentou em Las Vegas no MGM's Park Theatre em Monte Carlo nos dias 30 e 31 de dezembro de 2016. 24K Magic foi lançado em 18 de novembro de 2016. Recebeu críticas positivas e estreou em segundo lugar na tabela da Billboard 200.


Quem é Bruno Mars


Ele está dirigindo um Cadillac preto com janelas escurecidas, em direção a um anoitecer que tinge o horizonte de rosa. É um glorioso fim de tarde em West Hollywood, Los Angeles, e por que não seria? Bruno Mars tem mais uma música rumo ao topo das paradas, uma turnê com ingressos esgotados, uma namorada que ele ama e nenhuma preocupação. Exceto a ideia de ficar doente e cancelar um show – nunca suportaria faltar a um. Mars é um astro pop à moda antiga, bem-vestido, sedutor e de voz elástica que teria sido igualmente bem-sucedido em 1960. Ele está usando uma calça marrom elegante e camisa havaiana de manga curta com estampa de flores e aves – como nasceu no Havaí, tudo bem. Nos pés, mocassins de couro de crocodilo (sem meias). Na cabeça, um chapéu marrom. Mars é bonito de uma maneira multiétnica, quase futurista: é como se seu rosto fosse desenhado por um grupo de pesquisas. Filho de pele dourada de um judeu porto-riquenho e uma filipina, nunca pensou muito sobre raça no Havaí: “Todos meio que são mestiços ali, bronzeados de sol”, diz. “Então, para mim foi um choque chegar aqui.” Ele ficou espantado quando executivos de gravadoras tiveram dificuldade em categorizá-lo. “Eles falavam sobre ‘Que rádio tocaria isto?’ e basicamente tudo remete a ‘Quem vai comprar seus álbuns? Brancos ou negros?’”

Como Bruno Mars, ex-imitador mirim de Elvis Presley, tornou-se o homem de ouro da música pop.

Mars tem 27 anos e está no show business desde quando começou a imitar Elvis Presley com a banda da família, aos 2 anos. Isso dá um quarto de século de carreira, o que significa que ele tem mais experiência de palco do que, digamos, Justin Timberlake. O pai de Mars, Peter “Dr. Doo-Wop” Hernandez, lembra-se de diminuir as luzes na sala de parto enquanto a esposa dava à luz, para que fosse “quase como uma boate”, e de tocar “músicas antigas, mas boas”, em um toca- -fitas para dar as boas-vindas ao filho – nascido Peter G. Hernandez. Aos 4 anos, Mars apareceu como um Elvis minúsculo no filme Lua de Mel em Las Vegas e foi entrevistado pela MTV. Durante o ensino fundamental, ele cantava com a banda da família em um clube lotado, fazendo dois shows por noite. No entanto, aos 11, como explica, isso acabou. Não é difícil dizer que ele passou os últimos 16 anos tentando recuperar tudo.

Ele entra em um estacionamento subterrâneo e somos levados à sala de jantar na cobertura da filial de West Hollywood do clube Soho House, onde o artista tem a melhor mesa do lugar. O sol se pôs e as janelas mostram a maior parte de Los Angeles – incluindo a casa dele, em algum ponto de Hollywood Hills – brilhando sob seus pés.

Bruno Mars nunca teve um período de inatividade: sempre se interessou por mulheres. No jardim de infância, ficava embasbacado pelas lindas cantoras de vestidos brilhantes que via nos bastidores. “Pensava: ‘Estas garotas não se parecem com as da escola’”, relembra, de olhos arregalados. Desde o início, amava se apresentar com a banda da família, a Love Notes. “Esperava a hora de sair da escola”, conta. “Ficava olhando o relógio, esperando dar 14h15.” Ele decorava fitas de vídeo de Elvis, James Brown e Michael Jackson e até hoje assiste à apresentação de Brown no T.A.M.I. Show, ou Hendrix em Woodstock, ou Prince cantando “Purple Rain” antes de subir ao palco. Uma noite, quando tinha 5 anos, ele se esqueceu de ir ao banheiro antes do show e molhou o macacão enquanto cantava “Can’t Help Falling in Love”. O público tentou não rir e a mãe dele chorou – depois, os pais se perguntaram por um momento se estavam cometendo um erro. O próprio Mars nunca hesitou.

A banda Love Notes, especializada em doo-wop e outros ritmos dos anos 50, fazia sucesso tocando covers. Peter, o pai de Bruno, pagava US$ 1.000 por semana aos integrantes no auge do grupo, de acordo com um deles, o amigo da família Bobby Brooks Wilson. Peter também estava se saindo bem como empreendedor, com negócios que iam de um salão de tatuagens temporárias a duas lojas enormes de suvenires. O pai de Mars é bonito e bom de papo – conheceu a mãe do cantor, Bernadette (que morreu depois de sofrer um aneurisma, no início de junho), em uma apresentação polinésia. “Ele era um percussionista latino”, diz Bruno Mars. “Minha mãe era dançarina de hula, e ele a conquistou.” No auge do sucesso, Peter tinha sete Cadillacs e a família morava em uma casa grande em Kahala. “O quarto do Bruno era do tamanho da sala de estar da maioria das pessoas”, lembra Wilson. “E tinha uma minibateria, uma guitarra em miniatura, um minipiano, alguns instrumentos de percussão. Ele me levava para o quarto: ‘Bobby, olha! Consigo tocar esta aqui!’” Wilson lembra que Mars uma vez ficou de mau humor quando tinha 7 ou 8 anos – estava furioso por estar gripado e a mãe lhe proibir de se apresentar naquela noite.

Quando ele tinha 11 anos, a banda se desfez, assim como o casamento dos pais. Por motivos dos quais Mars não fala muito, os muitos negócios do pai também afundaram. Todo o dinheiro acabou e Mars se mudou com Peter para “as favelas do Havaí”. Foi uma adaptação difícil. “Sabe de uma coisa? Percebi que não trocaria aquilo por nada, cara”, diz, tomando uma cerveja no Soho House, “porque acho que consigo aproveitar isto muito mais.”

O pai o ensinou músicas do The Ventures e Chuck Berry na guitarra, mesmo quando Mars estava se interessando por músicas mais modernas, atraído pela produção dos Neptunes e de Timbaland. Peter montou uma nova banda; Mars subia ao palco, cantava faixas como “My Girl” e também abria com sua própria boy band no estilo do ’NSync, a School Boys. Mars se viu de volta ao mundo do entretenimento havaiano, ganhando US$ 75 por show enquanto ainda estava no ensino médio, como número de abertura para uma apresentação de mágica e interpretando Michael Jackson em um show de imitadores de celebridades. Era assustadoramente bom, como imagens disponíveis no YouTube demonstram – era um dançarino muito melhor do que demonstra ser agora. “Só porque consigo fazer o moonwalk não significa que eu deva fazer”, afirma. Também estava em posição de realizar suas fantasias de bastidores: de acordo com Wilson, quando tinha 16 anos, Mars começou a namorar uma cantora de pouco mais de 20, escondendo a relação da mãe. Bruno é mais comedido sobre o sucesso com as mulheres. “Meus pais me ensinaram que um cavalheiro nunca sai por aí contando”, diz.


No canto da sala de estar de Mars, perto de uma lareira acesa, há um piano. O astro está sentado às teclas, demonstrando como compôs seu quinto single número 1, “When I Was Your Man”, aqui mesmo. Está orgulhoso do fato de que a gravação tem apenas piano e voz. Também é a música mais pessoal já lançada por ele, que tem medo de ficar confessional demais. “Não sou fã de sentir dó de si mesmo”, diz. “Para mim, a música é: ‘Quero me sentir bem’ ou ‘Quero dançar’, e não cantar sobre crescer no Havaí e ‘minha luta para me relacionar’.” Com extrema relutância, Mars revela que compôs “When I Was Your Man” sobre a atual namorada, a modelo Jessica Caban – achava que estava prestes a perdê-la. A música começa com acordes simples e um verso que refletia o arrependimento: “Deveria ter comprado flores”. Só que ele fica tão desconfortável em falar disso, que em um momento enterra a cabeça nos braços sobre a mesa. “Não vou responder a nenhuma pergunta sobre essa música”, protesta. “É pessoal demais.” A narrativa da faixa é exagerada: Caban nunca realmente o abandonou. Na vida real, ele diz, “foi um final feliz”, mas ele acha difícil cantar a música. “Você está dando tudo de si e a grava, fica orgulhoso, mas, quando a apresenta, está trazendo essas emoções à tona. É como sangrar!”


Mars começou tarde a compor. Foi embora do Havaí depois de se formar no ensino médio. Assinou um contrato com a Motown, que não tinha ideia do que fazer com ele e, quando isso ruiu, Mars percebeu que teria de começar a compor e se uniu a Philip Lawrence – mais tarde e com a adição de Ari Levine, eles formariam o The Smeezingtons, grupo de produção e composição que fez faixas para Sugababes e Sean Kingston. Duas das melhores produções – “Nothin’ on You” e “Billionaire” – estouraram, com Mars cantando o refrão. Eles correram para gravar o primeiro álbum do cantor enquanto as músicas ainda estavam nas paradas. Agora, Mars praticamente parou de escrever para outros artistas. “Essa parte de mim meio que morreu”, afirma. “Porque, sabe, não é um esporte.” Ele está tentando puxar as rédeas de sua ambição. “Já estou doido para entrar em estúdio”, diz, dando um suspiro. “Só que estou tentando curtir o momento – ficava muito preso em visualizar minha vida lá atrás, para onde quero levar a música.” Ele acende um cigarro – espera abandonar logo, embora não esteja tão preocupado com o efeito em sua voz .


Ultimamente, tem sentido falta do Havaí. “Todo mundo é muito contente lá”, diz. “Você está aqui para ser alguém, ninguém está simplesmente vivendo. No Havaí, a mentalidade é mais: ‘Bom, estamos no paraíso e estamos, sabe, vivendo’.” Ele recuperou tudo o que tinha perdido – e mais. A verdade é que não planejou muito além deste ponto. “Não sei onde vou parar”, conta, “mas quero continuar compondo músicas. Escrever uma boa música dá uma sensação que não se consegue de nenhum outro lugar. Você sempre quer essa sensação, do mesmo jeito que sempre quer comer bem, sempre quer estar apaixonado.” Mars nunca imaginou a vida longe das multidões e dos aplausos. “Isso está comigo há tanto tempo”, diz. “Sabe, sempre foi: ‘Tudo bem, vejo vocês mais tarde, vou fazer o show’.” Só que não há nenhum show hoje, nenhum ensaio à tarde – para variar, nenhum lugar em que precise estar. Ele se recosta em uma cadeira, tocando o violão aos pés das palmeiras enfileiradas sob o vasto céu sem nuvens do quintal da casa dele. Tudo está perfeito e, por um momento, ele está simplesmente vivendo.




FONTE

http://rollingstone.uol.com.br/edicao/edicao-82/construcao-de-bruno-mars-artista-que-ja-nasceu-astro-pop#imagem0

https://pt.wikipedia.org/wiki/Bruno_Mars

Dia Mundial da Voz



No Dia Mundial da Voz, conheça dicas de cantores e especialistas para preservar melhor a sua

"Quando eu soltar a minha voz/Por favor, entenda/
Que, palavra por palavra/Eis aqui uma pessoa se entregando",
canta Gonzaguinha em "Sangrando".


Não há dúvidas de que cantar envolve muita emoção. Mas nem só de paixão vive um cantor: é essencial cuidar de seu “instrumento”. Comemorado em 16 de abril, o Dia Mundial da Voz — que foi criado no Brasil, onde é celebrado desde 1999 — tem por objetivo conscientizar a população sobre a importância da voz. A data é uma boa desculpa para se pensar numa rotina saudável para o bem mais precioso de muitos artistas.



Uma unanimidade é que o cuidado com a voz passa pelo cuidado com a saúde em geral. "Dormir e se alimentar bem, hidratar-se, procurar ter momentos de relaxamento mental e físico são essenciais para estar bem consigo mesmo, e todo esse equilíbrio vai se refletir no uso que fazemos do nosso corpo, e, por consequência, da nossa voz. O cantor é um atleta, usa e precisa de seu corpo de uma forma diferente das pessoas 'normais', por isso precisa estar sempre atento às suas necessidades e cuidados", destaca a cantora, regente e professora de canto Maíra Martins, que, além de ter um trabalho solo, integra os grupos Ordinarius, Cria e Projeto Magu.

Pouco álcool, muito sono

No dia a dia, nem sempre é possível seguir todas as recomendações, mas os artistas buscam manter alguma rotina, como conta o cantor e vocalista João Cavalcanti. "Tento não beber ou comer muito, sobretudo cerveja e queijo, logo antes dos shows. Tento também dormir o melhor possível na véspera. Mas, confesso, não sou muito disciplinado com os aquecimentos e desaquecimentos vocais", confessa João Cavalcanti.

Maíra Martins acredita que cada um sabe o que funciona para si. "Não sigo aquelas regras do tipo 'não tomar gelado', 'fazer repouso vocal antes de cantar' ou 'comer maçã'. Acredito que precisamos conhecer nosso próprio corpo e estar sempre atentos ao que nos faz bem ou não. Criar nossas próprias regras. Eu, por exemplo, evito dormir com ar-condicionado ligado, pois não me faz bem, e posso dormir com o ventilador na cara sem sentir nenhum desconforto. Seria mais fácil se as regras fossem iguais para todos, mas infelizmente (ou felizmente) não é tão simples assim", analisa. "Um ritual que tenho sempre que me apresento é de fazer exercícios de relaxamento corporal e respiração, que funcionam pra mim como aquecimento para as músicas", conta.

Rotina própria

A cantora Érika Martins, vocalista do grupo Autoramas, também é do time que acha que cada um deve ter seus próprios cuidados. "A minha relação com a voz é muito intuitiva, nunca fiz aula. Acredito muito em a gente escutar o corpo. Durante a minha vida inteira, fui vendo o que funcionava e o que não funcionava para mim. Então, sei que, se eu sair no dia anterior a um show e for para algum lugar muito barulhento — com certeza você acaba falando mais alto, fica forçando para falar com as pessoas e fica com a voz mais desgastada, até rouca. Tento evitar isso", exemplifica ela. "Eu não gosto muito de comer muito antes de show, por questão de movimento de palco e para respirar para cantar, então tento fazer uma refeição mais leve antes do show. Mas depois da apresentação caio matando (risos), gasto muita caloria, fico esfomeada", diverte-se.

Alimentação Adequada

A fonoaudióloga Maria Luíza Araújo, que trabalha a voz de cantores e atores, frisa que uma alimentação adequada é muito importante para os cantores. "Principalmente na época próxima às apresentações, é bom evitar comida muito pesada, para não sobrecarregar a ação diafragmática, evitar consumo excessivo de bebidas alcoólicas, refrigerante, essas coisas. Podem gerar um pouquinho de refluxo e atrapalhar o rendimento", frisa Maria Luíza. "É importante comer carboidrato também, principalmente se a pessoa vai fazer um show de duração. Carboidrato 'do bem', como frutas, uma alimentação saudável que vire energia imediatamente. A maçã ajuda, porque não só é adstringente, mas trabalha também a musculatura da face, para você articular melhor ao cantar ou falar. Mas, se a pessoa tiver refluxo muito forte, por ser ácida pode comprometer um pouquinho", diz.

Atividade física

Atividade física é outro hábito que deve ser incorporado à rotina. "É importante para dar uma equilibrada. Pode ser caminhada, ioga, muay thay...", enumera a fonoaudióloga. "Trabalho com cantores líricos que fazem musculação exatamente para ganhar bastante atividade e fortalecimento da região do diafragma, que sustenta os pulmões. Isso vai dar um rendimento e maior sustentabilidade de uma emissão vocal", exemplifica ela. João Cavalcanti é um adepto. "O Casuarina fez recentemente uma turnê de mais de dois meses pelos Estados Unidos, e o que me salvou a vida foi uma rotina de exercícios que eu mesmo desenvolvi. Exercícios simples, possíveis de serem feitos no próprio quarto do hotel ou no camarim dos teatros. Consegui controlar a ansiedade (e a obesidade, já que não há muitas opções saudáveis para comer) à base de abdominais, flexões e corridas", lembra.

Maria Luíza Araújo ainda frisa a importância de evitar molhos, condimentos, coisas tipo amendoim, pipoca, que podem dar um certo prurido na hora de se apresentar, “porque podem ficar grudados na amídala”, explica. Já o cigarro deve ser banido da vida de um cantor, ela avisa. "É preciso eliminar de vez o fumo, qualquer um que seja, o legal ou não: eles interferem bastante, porque queimam muito a mucosa das pregas vocais", diz.

EXERCÍCIOS VOCAIS: POR QUE FAZÊ-LOS

Os exercícios vocais são importantes, diz a fonoaudióloga. "Sempre recomendo um aquecimento vocal bem rápido, de no máximo 5 ou 10 minutos — eu faço aquecimento fisiológico, geralmente o aquecimento mais preparatório vem dos professores de canto", esclarece. "O desaquecimento vocal também é importante, para você voltar ao registro vocal confortável de voz. Você faz algumas praticas em que vai descer a laringe e o registro vocal, e assim volta à voz normal de fala, uma voz confortável”, comenta Maria Luiza.

Por fim, ela recomenda consultas periódicas com um otorrino. "Sempre que possível, fazer uma avaliação, com videolaringoscopia, para saber se tem alguma coisa, se tem algum componente que possa desenvolver uma lesão por esforço repetitivo", diz. "Uma avaliação de fonoterapia também é importante. Tenho clientes que já atendo há 10 anos, e eles continuam vindo a mim a cada oito a 12 meses: 'O que você tem de novidade?' E eu mesma aviso: 'Olha, estou com umas técnicas de aquecimento mais rápidas, mais eficazes, e eles sempre dão um jeitinho de no máximo a cada dois anos dar uma retrabalhada, reavaliar", ensina.


FONTE

http://www.ubc.org.br/Publicacoes/Noticias/7261

sábado, 8 de abril de 2017

Diário da Música ♪♫: Luiz Calanca e a Baratos Afins


Diário da Música ♪♫: Luiz Calanca: A coleção do dono da Baratos Afins: Sobre a referencia de Luiz Calanca na música “Black & White World”, escrita por Eric Burdon em co-autoria com Marcelo Nova, em 1996, assim se expressou o brasileiro fundador do selo musical e loja de discos Baratos Afins, em sua página no facebook (23/08/2012). 

"Sou orgulhoso sim, imortalizado por uma das maiores e mais bela voz da historia do rock de todos os tempos. o ex Animal, Ex War, Eric Burdon, no álbum My Secret Life de 2004...


BLACK AND WHITE WORLD 
LIRICS: Eric Burdon & Marcelo Nova

I'm a war child raised from the ashes radium
The sunlight burns my eyes so I pray for the night to come
In the back row darkness I burst my bubble
Because it's there that misfits like me can stay out of trouble 

(chorus)

I live in a black and white world
I love those black and white movies
You see when you're not of this earth
It's not so easy to move me

Me Mike and Mickey were hiding from the daylight
Salivating at the femme fatale her dress is so tight
She whispers in my ear as we dance to white jazz
You got a light baby when she knows that's all I've ever had

(chorus)

Precious white milk skin black and blue bruises
In the backseat of a cab full of rhythem and blueses
We go uptown downtown looking for Luiz Calanca
He's going to get us false passports man and we can
Sail off to Casa Blanca

(chorus)

I'm not afraid of dying anymore
Because it's the only chance I've got to meet my maker
And it's the opportunity I've been waiting for
To say hello and hats off to Josephine Baker

That girl is living in a black and white world
I love those black and white movies 
You see when you're not of this earth
It's not so easy to move me

Black white world black white movies
You see when you're not of this earth 
It's not so easy to move me

Late at night, black and white
Black white black white
Black and white

E neste 08 de abril de 2017 me deparei com a postagem "Rock e rap se misturam a roupas e cabelos black e fazem da Galeria do Rock a 'meca' da diversidade" grata surpresa a menção de Luiz Calanca e sua Baratos Afins, como você pode conferir abaixo.

No entra e sai de uma galera majoritariamente jovem e com estilo, uma lojinha no segundo andar guarda, entre tantas preciosidades, um disco raro: o primeiro LP do baiano Tom Zé, "Grande Liquidação", gravado em 1968.


Estamos no coração do centro histórico de São Paulo, bem em frente à igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, no largo do Paissandu.

Cidade




Vista interna da Galeria do Rock Por: Coletivo Amapoa/Folhapress 07/04/2017

A Galeria do Rock é um símbolo da cidade. Surgiu em 1963 como um minishopping da elite, com roupas, chapéus e produtos importados.

Virou point de roqueiros nos anos 1980 e, com a queda da indústria fonográfica, assistiu à debandada das lojas de disco. Poucos ali restaram. A miscelânea de roupas, tênis, tatuagem e piercing dão o tom.

A galeria manteve uma loja que sintetiza aquela herança dos tempos do vinil. É a Baratos Afins. O acervo possui cerca de 100 mil títulos entre vinil e CD, dos mais diversos estilos. "Só de música latina temos 200 álbuns", gaba-se Luiz Calanca, 64, proprietário da loja que também é gravadora.

Nos fins de semana, 35 mil pessoas chegam a cruzar os quatro andares, com suas 450 lojas. Há tempos engavetado, um museu do rock está nos planos.

No quinto andar, há uma horta orgânica, onde ocorrem oficinas e cursos, com preços que variam de R$ 30 a R$ 100.

galeriadorock.com.br. Av. São João, 439, Centro, região central, tel. 3337-2361. Seg. a sex.: 8h30 às 19h30. Sáb.: 8h30 às 18h

FONTE

Pentatonix


Pentatonix é um grupo estadunidense a cappella composto por cinco vocalistas: Scott Hoying, Kirstin "Kirstie" Maldonado, Mitchell "Mitch" Grassi, Avriel "Avi" Kaplan e Kevin "KO" Olusola, formado na cidade de Arlington, Texas. O grupo venceu a terceira temporada do programa The Sing-Off, da rede de televisão norte-americana NBC em 2011, cantando um arranjo a cappella da canção "Eye of the Tiger", originalmente gravada pela banda de rock Survivor como sua canção da vitória. O grupo ganhou US$200.000 e um contrato de gravação com a Sony.

Eye of the Tiger

Seu EP de estréia saiu em 2012, PTX Vol. 1, alcançou o 14º lugar na Billboard 200, e sua versão de 2013, PTX Vol. 2, estreou em 10º lugar na Billboard 200. Eles já venderam mais de 500.000 cópias.[1]Seu albúm que estreou em 2015 'Pentatonix' chegou a alcançar o 1º lugar na Billboard 200. Seu albúm mais recente 'A Pentatonix Christmas' lançado em 21 de Outubro de 2016, estreou em 3º lugar na Billboard 200.


O grupo está atualmente está na segunda parte do seu tour mundial 'Pentatonix World Tour 2016', juntamente ao grupo 'Us The Duo'. E se preparando para seu especial de natal 'A Pentatonix Christmas Special' que vai ao ar dia 14 de Dezembro de 2016, transmitido pela rede americana NBC.




Pentatonix começou com três amigos que cresceram e estudaram juntos: Kirstin Maldonado (Kirstie), Mitchell Grassi(Mitch), e Scott Hoying na Martin High School em Arlington, Texas. Em uma audição de um programa de uma rádio local que estava realizando uma competição para que quem ganhasse pudesse conhecer o elenco do seriado Glee, Scott, Kirstie e Mitch fizeram uma versão em trio de "Telephone" e a enviaram. Embora eles não tenham ganhado a competição, eles despertaram a atenção em torno de sua escola, onde o grupo começou a se apresentar. Depois de sua versão de "Telephone" ter ganhado atenção no YouTube, eles continuaram a fazer performances.


Scott Hoying e Kirstie Maldonado se formaram na Martin High School em 2010. Scott foi para a Universidade do Sul da Califórnia (USC) para conseguir um bacharelado em Música Popular, enquanto Kirstie seguiu um mestrado em Teatro Musical na Universidade de Oklahoma. Mitch, o membro mais jovem do trio, ainda estava em seu último ano do ensino médio. Enquanto na USC, Scott Hoying se juntou a um grupo a cappella chamado SoCal VoCals. Ele descobriu sobre o The Sing-Off a partir de outro membro do grupo, Ben Bram (também seu arranjador, produtor e engenheiro de som) e foi incentivado a fazer a audição para o show. Ele convenceu Kirstie Maldonado e Mitch Grassi a acompanhá-lo, mas para o show era necessário pelo menos cinco membros.

Scott conheceu Avriel "Avi" Kaplan através de um amigo em comum, um baixo-vocal altamente reconhecido na comunidade a cappella e o trio encontrou Kevin Olusola no YouTube, com um de seus vídeos em que ele estava fazendo beatbox e tocando seu violoncelo, ao mesmo tempo em que se tornou viral (chamado "celloboxing"). Kevin se formou em Yale, e também fala fluentemente mandarim, depois de passar um ano estudando na China.


O grupo efetivamente se conheceu um dia antes das audições para a terceira temporada de "The Sing-Off" terem começado. Mitch Grassi deixou de ir a sua cerimônia de formatura do ensino médio, a fim de chegar a tempo para as audições. Eles fizeram o teste com sucesso para o show e, finalmente, passaram até ganhar o título de 2011 (3ª temporada).

Pentatonix, como sugerido por Scott Hoying, que em música é uma referência a escala pentatônica que é a denominação dada ao conjunto de todas as escalas formadas por cinco notas ou tons. O grupo acreditava que as cinco notas da escala combinavam com eles por eles serem um quinteto. Eles substituíram a última letra por um x para tornar o nome mais atraente. O quinteto deriva suas influências em música pop, dubstep, electro, country, reggae e hip-hop .

Integrantes


Scott Richard Hoying é um compositor e pianista que se se dedica à música desde os 8 anos de idade. Depois de se formar em Martin High School (em Arlington, Texas), Scott entrou na USC, onde se juntou ao renomado grupo a capella do campus: os SoCal VoCals. Scott sempre se envolveu em muitos projetos musicais, foi finalista no programa “Star Search” da rede CBS, já cantou o hino nacional norte-americano em inúmeros eventos esportivos.


Kirstin Taylor Maldonado sempre se destacou na escola: ganhou uma bolsa de estudos nacional e cursava o segundo ano de Teatro Musical na Universidade de Oklahoma antes de se juntar aos Pentatonix. Ela desenvolveu seus talentos vocais e de apresentação durante os 8 anos em que esteve com a companhia Theatre Arlington. No colegial, começou seu treinamento clássico e foi membro do coral Texas All State Choir por três anos. Capitã do coral e também da equipe de dança, Kirstie conseguiu inúmeros papeis em produções de teatro, apresentando-se por várias cidades do estado. Ela atualmente é vocalista secundária dos Pentatonix. Para além da sua voz espantosa, tem também uma voz arrebatadora.


Mitchell Coby Grassi é o mais jovem dos membros dos Pentatonix. Em Arlignton, Texas, Mitch se envolveu com musicais de teatro, mas também tem um gosto musical influenciado por música eletrônica e underground. Desde pequeno, sempre participou de muitas competições de talento e de canto, chegando a ganhar no "Teen Talent Follies". Além de ser vocalista secundário dos Pentatonix, Mitch está se aperfeiçoando em produção musical e também como DJ.


Avriel Benjamin Kaplan é um estudante de música clássica que também toca violão, compõe e faz arranjos musicais para corais e grupos a capella. Nascido em Visalia, California, Avi frequentou a Mt. San Antonio College, conhecida mundialmente pela sua tradição em corais e grupos a capella. Ele se juntou ao Fermata Nowhere, o primeiro grupo a capella de uma universidade comunitária a ganhar o ICCA, importante competição internacional de grupos a capella, e Avi levou o prêmio de “melhor seção rítmica”. Em seu terceiro ano na faculdade, Avi se juntou ao Sincopation, um grupo de jazz que ganhou o "Monterey Jazz Festival" em seu primeiro ano. Avi se apresentou nas mais importantes casas de show pelo mundo, entre elas o Lincoln Center e o Carnegie Hall .


Kevin Oluwole Olusola cresceu em uma pequena cidade no estado de Kentucky. Filho de um psiquiatra nigeriano e de uma enfermeira granadina, Kevin começou a aprender a tocar piano, violoncelo e saxofone ainda muito jovem. Já se apresentou no Carnegie Hall, no programa de rádio From the Top e no Montreux Jazz Festival de 2012. Depois de terminar o colegial na Phillips Academy Andover, Kevin foi aceite na Yale University, onde cursou Estudos do Leste Asiático e também pré-Medicina. Morou 18 meses em Pequim e, por isso, fala fluentemente o mandarim. Na faculdade, aperfeiçoou o seu "celloboxing" (tocar violoncelo e fazer beatbox ao mesmo tempo) e ficou em segundo lugar em uma competição internacional ligada ao famoso violoncelista Yo-Yo Ma, que definiu o celloboxing de Kevin como “engenhoso e inesperado”.


Em 2011, postou um vídeo de seu celloboxing no YouTube e o vídeo foi divulgado por inúmeros canais de comunicação dos EUA, e foi através deste vídeo que os Pentatonix conheceram o talento de Kevin e o convidaram para se juntar ao grupo. Paralelo ao Pentatonix, possui o projecto "Triptyq", com a cantora Antoniette Costa e a pianista Tara Kamangar.

Scott Hoying e Kirstie Maldonado abandonaram a escola na esperança de ganhar o The Sing-Off. Depois que ganharam, todos os membros se mudaram para Los Angeles a fim de seguir uma carreira como artistas de gravação. O principal objetivo do grupo é tornar-se o primeiro grupo a cappella dominante nos últimos tempos.


Em janeiro de 2012, eles começaram a trabalhar em seu primeiro álbum PTX Vol. 1 com o produtor Ben Bram. Durante esse período de escolher capas originais e escrever em seis meses, os Pentatonix lançou vídeos de covers de canções populares e clássicos no YouTube. Em entrevistas, os membros mencionam que foi uma maneira de permanecer relevante para o seu público-alvo depois do "The Sing-Off", além de ganhar novos fãs. Quase todos os seus covers, incluindo "Somebody That I Used to Know" de Gotye, "Gangnam Style" do coreano Psy , e "We Are Young" da banda Fun, se tornaram virais no YouTube.




O seu muito aguardado EP, PTX Vol. 1, foi lançado em 26 de junho de 2012, chegando ao 14º Lugar na tabela da EUA Billboard 200 e 5º no tabela digital. Eles venderam 20.000 cópias em sua primeira semana de lançamento. Eles promoveram o seu álbum através de aparições na imprensa sobre "Access Hollywood", "VH1", "The Buzz" , "Marie", e programas de televisão locais. Pentatonix também foi destaque na versão chinesa do The Sing-Off como convidados onde Kevin exibiu sua fluência em mandarim.

Pentatonix também embarcou em sua primeira turnê nacional como atração principal no outono de 2012. A turnê foi esgotou todos os ingressos e durou shows em 30 cidades. Aberturas dos shows consistia em Alexander Cardinale e SJ Music Acustic.


O grupo lançou o seu EP de Natal, PTXmas, em 13 de novembro de 2012. Eles lançaram um vídeo de um arranjo original de "Carol of the Bells" no dia seguinte. Eles foram artistas participantes no "Coca-Cola Red Carpet LIVE! @ The 2012 American Music Awards" pré-show em 18 de novembro, realizado no Desfile de Natal de Hollywood, e foram a principal banda de abertura para o "94,7 THE WAVE O Concerto de Natal Estrelado por Dave Koz e Kenny Loggins " em 16 de dezembro. Eles também foram convidados destaque em Katie Couric (ABC), "Home and Family" (Hallmark), "The Tonight Show com Jay Leno" , e Big D NYE. O site de Ryan Seacrest nomeou o Pentatonix em 2012 como "Artista Destaque do Ano" pelo seu crescimento expansivo online em apenas um ano.

A banda tem colaborado com outros artistas. Em março de 2013, Pentatonix postou um cover com a violinista e dançarina Lindsey Stirling da canção "Radioactive" da banda de indie rock Imagine Dragons, que estreou como número um na tabela da Billboard na categoria músicas clássicas digitais.


Pentatonix postaram um cover de "Royals", da cantora neozelandesa Lorde no YouTube em 2 de Outubro de 2013. Atualmente, possui um pouco mais de 50 milhões de visualizações.


Outro cover feito pelo grupo foi de "Say Something", da dupla norte-americana Great Big World e da cantora, atriz e compositora Christina Aguilera, no Youtube em 24 de Março de 2014. Hoje, ele possui pouco mais que 11 milhões de acessos.


PTX Vol. 2

A banda em Paris, em setembro de 2013


A banda entrou em sua segunda turnê nacional como atração principal de 24 de janeiro de 2013 a 11 de maio de 2013, e, simultaneamente, escreveu material original adicional para o seu segundo EP, PTX, Vol. II. Eles lançaram o primeiro single, um cover de "Can't Hold Us" de Macklemore & Ryan Lewis em 20 de agosto de 2013 que hoje já passa das 10 milhões de visualizações.


O grupo também promoveu PTX, Vol. 2 no The Ellen DeGeneres Show , em novembro de 2013, após o sucesso do vídeo "Evolution of Beyoncé" no YouTube. Na segunda semana de Novembro de 2013, a banda foi destaque na "Around The World com Diane Sawyer" e foram nomeados "Personalidades da Semana".


O álbum foi lançado em 05 de novembro de 2013 e em conjunto com o seu segundo álbum, fizeram um medley de músicas do Daft Punk. Ele se tornou viral, conquistando mais de 10 milhões de visualizações em uma semana, e que atualmente já atingiu mais de 219 milhões de visualizações. PTX, vol. 2 estreou 10º Lugar na Billboard 200 e em 1º tabelas independentes, vendendo 31.000 cópias na primeira semana.


Pentatonix posteriormente, re-lançou uma versão de luxo do PTXmas em 18 de novembro de 2013, com duas novas faixas, "Little Drummer Boy" e "Go Tell It On The Mountain". Seu vídeo no YouTube de "Little Drummer Boy", que foi lançado em 25 de novembro de 2013 recebeu mais de 10 milhões de visualizações na primeira semana e chegou ao 10º lugar na tabela do Top 10 Músicas do iTunes em todo o mundo. O álbum alcançou o número 1 nas paradas de álbuns do iTunes no top mundial e 7º lugar na tabela da Billboard 200 vendendo 61.000 cópias em sua segunda semana.


Pentatonix já tem mais dois EP's lançados: O PTX, Vol. III e o segundo EP para o Natal That's Christmas to Me, e eles estão se preparando para sua turnê mundial de 2014 começando na América do Norte em fevereiro e estendendo-se até abril, e em seguida, Europa e Reino Unido entre o final de abril e o início de maio.

PTX. Vol 3 & That's Christmas To Me
Anunciado em 7 de agosto de 2014 e lançado oficialmente em 23 de setembro de 2014, PTX, Vol. III é o quarto EP lançado pelo grupo. O EP entrou em pré-venda no iTunes no dia 11 de agosto de 2014 e incluia os downloads de "La La Latch" e "Problem". O EP contém 7 faixas, as quais 3 são originais (See Through, On My Way Home e Standing By) e 1 em françês (Papaoutai). O álbum ficou em número 14 no Billboard 200.


That's Christmas To Me foi então o sexto álbum lançado pelo grupo (considerando o PTX. Vol I & 2 Japan Edition e derivados), lançado em 21 de outubro oficialmente. É o segundo álbum de natal desde o PTXmas. Ele contém 11 faixas, sendo uma original com o mesmo nome do CD e uma faixa bônus vindoura do PTX Vol. I & 2 Japan Edition e derivados, Let It Go, que sofreu pequenas modificações. O álbum ficou no número 8 no Billboard canadense. O single "Mary Did You Know" ficou em número 26 no Billboard Hot 100 e em número 44 no Billboard Hot 100 canadense. O vídeo do single foi lançado em 11 de novembro de 2014 e hoje conta com mais de 17 milhões de visualizações no Youtube.


Pentatonix (Album)
Pentatonix é o homônimo quarto álbum de estúdio por americano a cappella grupo Pentatonix, que foi lançado em 16 de outubro de 2015. A data de lançamento foi anunciada no Twitter por uma série de fotos com os integrantes da cinco banda liberados mais um longo dia cinco, com membros de uma banda acrescentados à imagem a cada dia, culminando com a data que está sendo revelada em 28 de agosto. É o sétimo lançamento do grupo.

Este é o primeiro lançamento da banda para material de característica predominantemente original (o único abrange sendo capa do Shai "se alguma vez me apaixonar e faixas do bônus na versão deluxe do álbum). Pentatonix também marca a primeira vez que os membros da banda recebem créditos de composição individual para a maioria das faixas. Pentatonix estreou no topo da tabela Billboard 200 com 98.000 unidades. É o primeiro álbum n º 1 neste quadro.

Canção de John Lennon “Imagine”

Todos conhecem a canção de John Lennon “Imagine”, e reconhecem que é impossível superar a versão original, mas o grupo Pentatonix elevou a fasquia e deixou todo o mundo em lágrimas. As suas vozes harmoniosas juntamente com as letras comoventes são simplesmente incríveis.

A inspiração do artista John Lennon para a canção “Imagine” surgiu quando ele imaginou um mundo em paz, sem guerras e sem divisão de culturas. Ela foi lançada em outubro de 1971, e foi um sucesso instantâneo. Desde seu lançamento, inúmeros artistas e grupos têm tentado compartilhar a mesma mensagem de inclusão e amor.


E os Pentatonix também resolveram fazer a sua própria versão arrepiante daquela música. Todos nós deveríamos ouvir isso pelo menos uma vez em sua vida! O grupo interpreta a canção de sucesso de Lennon enquanto mostra diferentes cartazes com mensagens maravilhosas.

Não importa quem você é, ou no que você acredita, somos todos pessoas que merecem respeito e bondade. Só os seres humanos podem fazer do mundo um lugar melhor!

FONTE

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pentatonix

http://www.clickebaixe.com/nova-versao-deste-classico-esta-deixar-o-mundo-inteiro-em-lagrimas-quando-ouvires/